domingo, 23 de maio de 2010

CGADB afirma que renúncia de Silas Malafaia não está no estatuto do congresso

0 comentários
O secretário adjunto da Convenção Geral das Assembléias de Deus (CGADB), pastor Ciro Melo, disse que uma convenção jurídica avaliará até a próxima semana qual caminho deverá tomar sobre a renúncia do pastor Silas Malafaia que foi anunciada no último sábado, dia 15, em seu programa de TV na Rede Bandeirantes de Televisão.

De acordo com Ciro, a ação não está prevista em estatuto que deverá discutir o melhor caminho para suprir a vaga antes assumida por Silas Malafaia. Insatisfeito, o pastor carioca abriu mão do cargo, após receber mais de seis mil votos. Na TV, Silas argumentou que a partir de agora seguiria sua visão e que a CGADB é não é uma convenção de igrejas e sim de pastores. “Para ser Assembleia de Deus não precisa estar ligado à convenção nenhuma. Há coisas que a gente não programa, eu nunca achei que seria pastor de igreja”, frisou.

O pastor Mello esclareceu ainda que Silas Malafaia, apesar do anúncio na TV, ainda não apresentou documentos de renúncia e que a entidade não emitirá comunicado oficial sobre o desligamento de pastor da Igreja AD Vitória em Cristo.
gospelmais

Estudantes feridos falam sobre o privilégio de sofrer por Cristo

0 comentários
ÍNDIA – Os missionários em treinamento pela Gospel for Asia falaram sobre o privilégio que sentiram ao sofrer por Cristo após serem atacados em sua faculdade bíblica em Mumbai, Índia, no início do mês.

Sete estudantes ficaram gravemente feridos quando um grupo invadiu o campus da faculdade bíblica na noite de domingo em Mumbai, Índia. Os alunos estavam preparando sua refeição quando os agressores, armados com paus e barras de ferro, entraram no campus e começaram a bater neles. Os cristãos tentaram conversar com seus agressores e perguntar qual era a queixa contra eles, mas não obtiveram resposta.

Hemanti Kashyap ficou ferido quando os agressores o atingiram no estômago com uma barra de ferro. Ele afirma que o incidente deu a oportunidade de colocar em prática todas as lições que ele aprendeu na faculdade.

“Através dessa situação, aprendi o que a Bíblia quer dizer quando afirma: ‘Bem-aventurados os que sofrem por Cristo’. Essa oposição foi o teste para que minha fé siga em frente, e para que eu compartilhe o evangelho. Eles atingiram meu estômago com uma barra de ferro, e me feriram, mas sou grato ao Senhor Jesus, que me guardou, para ser uma testemunha dele.”

Sunil Pattanayap relembra o momento do ataque: “Por um instante fiquei chocado, querendo saber por que aquilo estava acontecendo comigo. Então, eu compreendi que havia chegado o momento de glorificar o nome do Senhor”.

“Foi um privilégio sofrer por Cristo, e estou feliz porque posso testificar que Deus me protegeu e me livrou da morte, para que eu pudesse proclamar sua Palavra e permanecer firme como testemunha viva, com uma grande fé.”

Três dos estudantes feridos ainda estão se recuperando no hospital. Beedram Sena teve que ser submetido a uma cirurgia devido à fratura em sua perna. Sudershan Yadavan precisou ser operado para tratar sua rótula quebrada. Sunil Reedy precisou de tratamento dentário para substituir os dentes arrancados pelos agressores.

Brijeshware Nayan, que teve ferimentos em suas costas, mas não precisou ficar hospitalizado, afirmou que o ataque o ajudou a ver o valor espiritual do sofrimento.

Ele diz: “Eu vim para cá para servir ao Senhor. Se eu ficar com medo dessa oposição, como poderemos aprender a crescer em fé?”.

“Esse tipo de perseguição só prova que as pessoas precisam conhecer o amor de Cristo. É a única forma de eles encontrarem razão em suas vidas e um propósito para transformar o ódio em amor.”

Fonte: Missão Portas Abertas

Ministério Vineyard lança sua primeira coletânea “Acende o Fogo em Mim”

0 comentários
Você já notou a quantidade de lançamentos que semanalmente são publicados nas livrarias cristãs em todo o Brasil? Pensando nisso o Ministério Vineyard resolveu disponibilizar para os admiradores de suas canções uma primeira super coletânea reunindo 14 clássicos do ministério que estão presentes no repertório de muitas igrejas em nosso país.

‘São canções de adoração utilizadas em igrejas em todas as partes do Brasil, que expressam as principais características da música Vineyard: modernidade, profundidade e acessibilidade’, comenta Márcio Miguel, coordenador do projeto.

O título do álbum é ‘Acende o fogo em mim’, é uma homenagem á uma das canções mais cantadas da Vineyard ao redor do mundo. O álbum também substitui os CDs ‘Entrega’, ‘Mais que Paixão’ e ‘Grande Deus’ que saíram de catálogo por decisão do ministério.

O CD ‘Acende o fogo em mim’ pode ser encontrado nas principais livrarias do Brasil, no site do ministério www.vineyardmusic.com.br e também pode ser adquirido pelo televendas (14) 3265-2575 | 3265-1818.

Faixas:

01 Fome
02 Teu nome é santo
03 Acende o fogo em mim
04 A ti me entrego
05 Som celeste
06 Teu amor é incrível
07 Entrega
08 Tome tudo de mim
09 Faz morada em mim
10 Recebo sim
11 Vem sobre mim
12 Laços de amor
13 No controle tu estás
14 Grande Deus

“Sou a Regina Pentecostes” diz Regininha Poltergeist à Veja

0 comentários
Celebrada nos anos 90 pelo cantor Fausto Fawcett como uma louraça belzebu, Regininha Poltergeist, de 39 anos, converteu-se à Igreja Evangélica Bola de Neve. Alguns dias atrás Regina participou do Programa Boladas da Bola de Neve.

Como você se converteu?
Eu estava em depressão profunda por fazer trabalhos que não tinham a ver comigo. Por causa da grana, passei por cima dos princípios.

Está se referindo aos filmes pornôs?
E às fotos nua também. Eu já não achava legal. Sempre fui tímida, mas me perdi pelo dinheiro. Essa coisa da carne é do diabo.

O que mudou na sua vida?
Tudo. As pessoas começaram a me tratar como eu sou: boa, solícita e que quer fazer o bem. Até meu guarda-roupa mudou. Só fiquei com as blusas comportadas.

Sem decote?
Isso eu já não usava. O problema é que não punha sutiã. Agora, visto top para esconder tudo e, se a blusa for transparente, ainda coloco sutiã por baixo.

Você tem namorado?
Ainda estou esperando o varão que Deus vai escolher para mim. Mas ele terá de pedir permissão à pastora para me namorar.

É uma mudança e tanto. Quantos parceiros você teve até se converter?
Ai, nem me lembro.

Não sente falta de sexo?
Claro, mas leio a Bíblia para pedir tranquilidade, acalmar meu coração e matar a carne, que é o mais importante.

Onde foi parar a Poltergeist?
Não existe mais. Esse apelido foi para o inferno. Agora, sou a Regina Pentecostes.

Fonte: Veja / Gospel Prime

terça-feira, 4 de maio de 2010

Tenho saudades daquele Silas Malafaia do passado!

0 comentários
Neste sábado o pastor Silas Malafaia mais uma vez criticou os críticos por criticarem o que ele vem fazendo de errado. Ora, Malafaia é um homem acima da crítica, já que ninguém deve contestar as doutrinas espúrias que ele vem ensinando junto com Mike Murdock e Morris Cerullo. Ninguém deve levantar a voz contra as aberrações de barganha que ele vem sistematicamente introduzindo em seu programa. A única resposta do Silas Malafaia para a crítica é: “Vocês são bandidos, fracassados, que não fazem nada”. Ainda está ameaçando com possíveis processos. Mas na base de qual Constituição?

Mas eu tenho saudades do Malafaia de antigamente.

Tenho saudades daquele que pregava contra a barganha, contra a confissão positiva, contra as teologias da prosperidade. Hoje ele prega tudo aquilo que antes condenava.

Tenho saudades daquele que nos advertiu contra os perigos do G12. Lembram daqueles VHS que passávamos nas igrejas com as duras palavras do Silas Malafaia contra esse modismo? Hoje ele prega no congresso do René Terra Nova, o maior líder do gedozismo no Brasil.

Tenho saudades daquele Silas Malafaia que condenava os modismos vindos de Boston. Aquelas aberrações produzidas pela Igreja do Avivamento que tinha como co-pastor Geziel Gomes. Hoje, o senhor Malafaia conta com Gomes para suas revistas e congressos.

Tenho saudades daquele Silas Malafaia. O que será que aconteceu? Alguns avançam, já outros...

Leia mais:

http://www.genizahvirtual.com/2010/04/silas-malafaia-chama-pastores-e-crentes.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed:+Genizah+(Genizah)

http://www.pulpitocristao.com/2010/04/silas-malafaia-responde-aos-blogueiros.html

http://teologiapentecostal.blogspot.com/

Chico Xavier, o mito cada vez mais santificado pelos fãs

0 comentários
Nesse último sábado assisti o badalado longa-metragem “Chico Xavier”, do diretor Daniel Filho. O filme surpreende, pois foge do lugar-comum das produções nacionais. O interior de Minas Gerais é retratado com uma fotografia muito bonita e ainda contém alguns efeitos especiais. O ritmo da história não imita novela, como é comum em alguns sucessos nacionais como “Olga”. Agora, já a história...

O filme só faltou trocar o nome Chico Xavier por Jesus Cristo. O médium é retratado como um homem santíssimo, caridoso, não interesseiro, mas somente um pouco vaidoso com sua peruca exótica. Xavier é perseguido por implacáveis opositores, incluindo sua família, a Igreja Católica e parte da imprensa. Os algozes são pintados como verdadeiros demônios que não compartilhavam de toda a bondade daquele “santo”.

Por que o filme não mostrou a humanidade de Chico Xavier? Era ele um homem sem defeitos? É claro que não. As polêmicas envolvendo o seu centro espírito não são retratados no filme. Quando um personagem aponta fraude em alguma cena, logo acontece algum fato que desmente a suposta fraude. Na história que se passa nas telas ele é uma mistura de Jesus Cristo, Francisco de Assis, Madre Teresa de Calcutá e fisicamente parecido com Gandhi.

Alguns espíritas fazem questão de enfatizar: “o diretor não é espírita”. Ora, como se isso fizesse grande diferença no Brasil onde o espiritismo e a sua doutrina da reencarnação é aceita por boa parte da população. O longa faz um papel que eu já esperava: a mitificação do médium. Os homens sem pecado não existem, mas parece que só Daniel Filho acredita em sujeitos imaculados. Filho parece acreditar em um Chico Xavier, digamos, além-humano. Em entrevista para o jornal “O Estado de S. Paulo”, Daniel Filho chegou a afirmar que Xavier era assexuado. Cada uma, hein?

E ainda teve crítico de cinema que abriu a boca para dizer: “Não é um filme chapa-branca”. Ora, não seria melhor assumir o proselitismo do longa-metragem? Não há crime na promoção de uma religião por meio do cinema, mas é ruim quando não se reconhece isso. Não dá para falar que é mera biografia.

Cenas do cinema

Nessa sessão foi a primeira vez que vi uma enorme quantidade de idosos no cinema. Uma senhora ao meu lado não parava de chorar e mexer em um saco plástico. Ou seja, tive que ouvir durante toda o filme o choro dessa mulher com o barulho da sacola. Nada mais agradável para o sacro silêncio do cinema. Mas a emoção dela me chamou atenção pelo fato que Chico Xavier trabalhava com pessoas vulneráveis a emoção, como mães que perderam os filhos e pobres interioranos em busca de uma cura desesperada. Alguma crítica acadêmica ou midiática dessa manipulação emotiva? É claro que não. Agora se fosse uma igreja evangélica...

Outra questão. Sempre que os algozes de Chico Xavier se manifestavam na tela havia um burburinho na sala. Ou seja, as pessoas manifestam a emoção de indignação conforme eram conduzidas pelas cenas. Tal fato nunca verifiquei com tanta força como nesse filme. É a manifestação que a maioria dos frequentadores das salas são, digamos, fãs e simpáticos ao médium.

O novo santo do país?

Resumindo. O filme é uma tentativa de tornar Chico Xavier o novo Padre Cícero do Brasil. O santo não canonizado. O mártir incompreendido pela cruel sociedade que sempre corrompe o bom selvagem. O verdadeiro filho do Brasil e que se associava aos espíritos do bem. É assim pintado naquela tela. Além, é claro, da eterna tentativa de misturar cristianismo e espiritismo. Ora, tal sincretismo é impossível. Os espíritas baseiam sua esperança na reencarnação que melhora o homem pelas boas obras, enquanto o cristianismo é baseada na esperança da ressurreição para uma vida eterna cujo sacrifício de Cristo é suficiente. Os cristãos sabem que suas obras são insuficientes diante do eterno amor de Deus. São duas crenças antagônicas que não são possíveis na mistura do caldo religioso brasileiro. Todo “cristão” espírita que conheci era um espírita mal resolvido. Só isso.

Leia mais:

- Uma análise sobre o “Novo Espiritismo” escrito pelo Dr. Paulo Romeiro, docente no Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião da Universidade Presbiteriana Mackenzie:

http://www.agirbrasil.org.br/Artigos/artigos.info.asp?tp=146&sg=13&id=183

- Livro completo sobre as principais crenças e ramos do espiritismo no Brasil escrito pelo teólogo Esequias Soares, que é graduado em línguas orientais pela Universidade de São Paulo (USP) e mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Manual de Apologética Cristã. Editora CPAD.
http://teologiapentecostal.blogspot.com/

Santo Daime: Que religião é essa?

0 comentários
São bem oportunas as palavras bíblicas de Romanos 1.22: "Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos", quando nos propomos a falar sobre o grupo religioso SANTO DAIME. Dizemos isso porque, nesse grupo religioso, aparentemente desconhecido, existem celebridades da TV que já se pronunciaram publicamente como membros dele. E não é só isso. Até o famoso pastor Neemias Marien já fez parte de reuniões religiosas onde o chá foi bebido.

Conta ele: "Concentrado no culto, cantei, com o mais vivo entusiasmo, todas as canções de louvor, mas sempre muito atento às mínimas ocorrências envolvendo os circunstantes. Vi nocauteada a resistência de muitos que se entregavam relaxados nos colchonetes e poltronas espalhados pela sala. Vi outros se transfigurarem, em êxtase, os olhos vítreos esbugalhados. Um jovem tomou-me a mão, como um náufrago perdido no mar e, literalmente, urrava como leão. Muitos vomitavam, enquanto outros corriam ao banheiro. Um outro virou uma estátua vibrante, o tempo todo em obediência a seus chakras, segundo disse. Então, após o segundo cálice, comecei a sentir as mãos frouxas e uma ligeira cãibra nas pernas, dando-me a impressão de desmaio, embora em momento algum me sentisse tenso. Procurei cantar com mais entusiasmo, mas logo percebi ser melhor procurar o sofá, no qual o meu corpo caiu pesado. Foi nesse instante que, relaxado, rendi-me ao DAIME, sem alucinações, mas com a consciência da purificação espiritual centrada em Jesus."(...) "Creio que, também, pelo Santo Daime, pode-se contemplar a luz divina e alcançar a purificação do espírito e a cura interior."(JESUS, A Luz da Nova Era, pp.120/21).

Pode haver maior apostasia do que essa, de se ler um pastor afirmar que "contemplou a luz divina" e alcançou a "purificação do espírito e cura interior" depois que tomou o chá ??? A luz divina, como sabemos pela Bíblia, é Jesus Cristo: "Ali estava a luz verdadeira, que alumia a todo o homem que vem ao mundo" (Jo 1.9). Purificação do espírito se faz pelo sangue de Jesus e não por tomar-se um chá - "Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo." (Jo 1.29). E cura interior alcançamos quando atendemos ao convite de Jesus, em Mt 11.28,29: "Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas."


O NOME

DAIME - dizem - vem do verbo dar, no imperativo. "'Daime' paz, 'Daime' saúde, 'Daime' felicidade!" - é a aspiração dos membros da entidade. É um tipo de seita eclética, uma mistura de espiritismo, cultos afro-brasileiros e catolicismo romano, resultantes de três culturas (a branca, a negra e a indígena). O livro sagrado que adotam é o seu hinário. As letras dos hinos constituem a diretriz para os seguidores. Todos os ensinamentos são ministrados por hinos naquele estado alterado de consciência proporcionado pelo Daime, encontrando-se neles suas crenças básicas. A principal característica do Santo Daime é o canto. São conhecidos também como "Povo de Juramidam", expressão composta de Jura (pai) e Midam (filho). Tal é o nome que o iniciador da seita diz ter recebido das entidades divinas. Juramidam representa a segunda volta de Jesus à terra, sendo assim o povo de Juramidam o povo de Jesus Cristo. Impossível para um leitor da Bíblia ler sobre um tipo de culto envolvido com práticas mediúnicas, idolatria e feitiçaria, admitir que seja "povo de Jesus". O próprio Jesus declara ser a luz do mundo e que aquele que o segue não andará em trevas (Jo 8.12). Em nenhuma passagem bíblica se encontra qualquer ensino de Cristo que se assemelhe a um ensino que envolva espiritismo, feitiçaria e idolatria.


O FUNDADOR

O fundador, Raimundo Irineu Serra, nasceu em 1892, no Maranhão, e faleceu em 1971. Aos 20 anos de idade, integrou um movimento migratório de nordestinos para trabalhar na extração de látex. Na floresta amazônica Irineu e seus companheiros foram misturando a sua cultura com a dos índios e aprenderam a preparar a bebida, que lhe provocava "visões". Numa dessas "visões" apareceu-lhe uma mulher chamada Clara, que se dizia Nossa Senhora da Conceição, a Rainha da floresta. Ela falou-lhe: "Quem é que tu acha que eu sou? Ele olhou e disse: Para mim a senhora é uma Deusa Universal. Tu tem coragem de me chamar de Satanás, isso ou aquilo outro? Não, a senhora é uma Deusa Universal. Tu achas que o que tu está vendo agora, alguém já viu? O mestre Irineu refletiu e achou que alguém já podia ter visto, tantos que faziam a bebida que ele podia estar vendo o resto. A senhora então disse: O que você está vendo agora ninguém jamais viu, só tu. E eu vou te entregar esse mundo para tu governar. Agora tu vai se preparar, porque eu não vou te entregar agora. Vai ter uma preparação para ver se você tem merecer verdadeiramente: você vai passar oito dias comendo só macaxeira (mandioca) cozida, com água e mais nada."

Relatou Irineu que foi ela quem deu o nome de Santo Daime à bebida e ditou normas para a realização do ritual. Ele adquiriu poderes extra-sensoriais e aí passou a ter vidência e a comunicar-se com os mortos. Nas reuniões evocam Jesus Cristo e os santos católicos como Nossa Senhora da Conceição, São João Batista, São José. Paralelamente evocam entidades indígenas como Tuperci, Ripi Iaiá, Currupipipiraguá, Equior, Tucum, Barum, Marum Papai Paxá, B. G., Rei Titango, Rei Agarrube, Rei Tintuma, Princesa Soloína, Princesa Janaína e Marachimbé.


EFEITOS DO CHÁ

A bebida é preparada com o cozimento de dois vegetais da floresta amazônica: o cipó jagube (Banisteriopsis caspi) e a folha chacrona (Psychotria veridis). É conhecida como ayahuasca ou, abreviadamente, OASCA. É ingerida para proporcionar vidências, comunicação com espíritos, alívio físico e psíquico, curas, etc. É uma porta aberta para os estados alterados de consciência. Produz um desarranjo intestinal tão violento que a pessoa que o bebe sente necessidade de ter ao seu lado um vomitório móvel porque não há tempo de ir ao banheiro comum.


DOUTRINAS E CONTESTAÇAO

Dentro do ritual encontramos práticas religiosas ligadas à idolatria, à feitiçaria e às cerimônias católicas.

a) Idolatria:

O Estatuto da CEFLURIS declara, entre outros pormenores, os seguintes itens, esclarecendo que a entidade é "fundamentada no Ritual do Ecletismo Evolutivo, ou seja, de várias correntes religiosas que se interpenetram, tendo como ponto de partida o Cristianismo." (p. 41 da revista PERGUNTE E RESPONDEMOS, setembro/90).

Comentário: O Santo Daime é formado por várias correntes religiosas como catolicismo, cultos afro-brasileiros e indígenas. Ora, o ecletismo religioso é uma abominação aos olhos de Deus. Apontamos como exemplo o povo israelita no deserto, acampado junto ao Monte Sinai. Enquanto Moisés estava no Monte Sinai, o povo embaixo resolveu prestar um culto a Deus, criando um ídolo na forma de um bezerro de ouro. Depois de pronto instituíram uma festividade e a justificaram com os seguintes dizeres: "Estes são os teus deuses, ó Israel, que te tiraram da terra do Egito. E Arão, vendo isto, edificou um altar diante dele; e Arão apregoou, e disse: Amanhã será festa ao Senhor." (Êx 32.4,5). Como Deus encarou uma festividade eclética entre ele e o bezerro de ouro? Disse Deus a Moisés, lá no Monte Sinai: "Vai, desce; porque o teu povo, que fizeste subir do Egito, se tem corrompido. E depressa se tem desviado do caminho que eu lhes tinha ordenado; fizeram para si um bezerro de fundição, e perante ele se inclinaram, e sacrificaram-lhe, e disseram: Estes são os teus deuses, ó Israel, que te tiraram da terra do Egito." (v. 7,8). As práticas ligadas à idolatria foram mais tarde condenadas pelos profetas: "Eu sou o Senhor; este é o meu nome; a minha glória pois a outrem não darei, nem o meu louvor às ../imagens de escultura." (Is 42.8). "Eu anunciei, e eu salvei, e eu o fiz ouvir, e deus estranho não houve entre vós, pois vós sois as minhas testemunhas, diz o Senhor; eu sou Deus." (Is 43.12).

b) Feitiçaria:

Sabemos que os cultos afro-brasileiros tributam louvores a entidades também conhecidas como orixás, que pensam ser os intermediários entre o deus Olurum e os homens.

Ora, sabemos que tais entidades espirituais, embora sejam chamados "santos", na verdade são espíritos demoníacos que povoam os ares como afirma Paulo em Ef 6.12: "Porque não temos que lutar contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais." Afirmamos: o que consta do estatuto nada tem a ver com o cristianismo. Quando há genuína conversão a Deus, há o abandono dos ídolos e de todo o ecletismo. Jesus foi enfático dizendo: "Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro." (Mt 6.24).

c) Ritual da bebida:

O cipó é cortado em pedaços de 20 cm de comprimento. A partir das 2 horas da madrugada, realiza-se a "bateção": turmas de 12 homens revezam-se de duas em duas horas no trabalho de esmagar os pedaços de jagube sobre troncos de árvores fixos no solo, utilizando marretas de cumaru, pau tirco ou bálsamo, sendo que o ritmo é acompanhado por hinos adequados. A bateção significa purificação em si e serve para o sujeito se disciplinar. O cozimento do cipó macerado e das folhas, se dá na proporção de duas medidas de cipó para uma das folhas de chacrona e é uma das etapas mais delicadas do ritual. Não se deve conversar com a pessoa encarregada, pois ela controla o ponto de fervura da bebida, que é indicado por uma entidade do Santo Daime presente no plano astral, a qual se manifesta no momento em que se completa o cozimento para que a panela seja retirada da fornalha. Todos são avisados desse procedimento através de uma campainha acionada pelo encarregado.

Essa entidade, que desce e se manifesta no momento em que é completado o cozimento, é uma das manifestações malignas, embora possa ser chamada por nomes indígenas como Tuperci, Ripi Iaiá, Currupipipiraguá, Equior, Tucum, Bvarum, Marum Papai Paxá, B. G. , Rei Titango, rei Agarrube, Rei Tintuma, Princesa Soloína, Princesa Janaína e Marachimbé.

d) Cerimônias católicas:

Durante o ritual rezam missa em favor dos falecidos e cantam-se dez hinos sem instrumentos musicais, sem bailados. Reza-se um terço, ficando o Salve Rainha para o término da sessão. Essa prática é ligada à Igreja Católica.

Não se deve celebrar missas aos mortos, porque elas são inúteis. Jesus afirmou que se alguém morrer sem crer nele como único e suficiente Salvador nunca poderá ir para onde ele foi. Jesus foi para o céu de onde virá para buscar o seu povo (Jo 8.21,24; Jo 14.2,3). O ritual do Santo Daime é ritual pagão, impróprio e condenado pela Bíblia em Dt 18.9-12.



APARIÇÃO DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO

Relata o Mestre Irineu que recebeu uma visão de uma senhora divina que ele pensou ser uma deusa Universal, identificando-a até como se fosse Satanás. Entretanto, posteriormente, na própria "visão", foi esclarecido de que se tratava de Nossa Senhora da Conceição.

Para os que têm a Bíblia e a consideram como autoridade maior no campo religioso, devem ter presente as palavras de Paulo - em Gl 1.8,9 - que afirmam: "Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema. Assim como já vô-lo dissemos, agora de novo também vô-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema." Ora, se esse grupo religioso tem como "princípio básico e fundamental o Santo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo" como reza o item 2 do Estatuto, deveria saber que o evangelho que Jesus pregou incluía o arrependimento e fé na sua pessoa (Mc 1.15), pois sem arrependimento ninguém poderia salvar-se (Lc 13.3); e que afirmava a necessidade da sua morte, sepultamento e ressurreição como meio de salvação.(Mt 16.21-23; 20.28). Jesus nada ensinou sobre ecletismo, mas foi incisivo ao afirmar que existem "duas portas" e "dois caminhos" que levam a dois fins distintos. "Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; e porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que o encontram" (Mt 7.13,14).


UM CULTO ABSURDO

É tão absurdo esse culto do Santo Daime que se declara: "Há quem vomite e quem seja cometido de desarranjos intestinais, ou as duas coisas juntas. E com que objetivo? Ocorrendo a ânsia de vômitos e a diarréia depois que se toma o chá é que a pessoa está passando por uma espécie de 'limpeza espiritual'. Ou seja, de alguma maneira está se livrando de tudo aquilo que a impede de estar em comunhão com Deus" É esse um culto racional? Paulo recomenda que apresentemos os nossos corpos como um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o nosso culto racional (Rm 12.2).


***
Bibliografia das obras consultadas:

1. MELO, Fernando dos Reis de. Religião & Religiões - Perguntas que muita gente faz. Editora Santuário.
2. BETTENCOURT, Estevão Tavares. Crenças, Religiões, Igrejas & Seitas: quem são?
3. MARIEN, Pr. Nehemias. Jesus à Luz da Nova Era. Editora Record.
4. Revista "Pergunte & Respondemos", nº 340, setembro de 1990, pp.38/48.
Loading...
 

Copyright 2008 All Rights Reserved Revolution Two Church theme by Brian Gardner Converted into Blogger Template by Bloganol dot com