domingo, 23 de maio de 2010

CGADB afirma que renúncia de Silas Malafaia não está no estatuto do congresso

0 comentários
O secretário adjunto da Convenção Geral das Assembléias de Deus (CGADB), pastor Ciro Melo, disse que uma convenção jurídica avaliará até a próxima semana qual caminho deverá tomar sobre a renúncia do pastor Silas Malafaia que foi anunciada no último sábado, dia 15, em seu programa de TV na Rede Bandeirantes de Televisão.

De acordo com Ciro, a ação não está prevista em estatuto que deverá discutir o melhor caminho para suprir a vaga antes assumida por Silas Malafaia. Insatisfeito, o pastor carioca abriu mão do cargo, após receber mais de seis mil votos. Na TV, Silas argumentou que a partir de agora seguiria sua visão e que a CGADB é não é uma convenção de igrejas e sim de pastores. “Para ser Assembleia de Deus não precisa estar ligado à convenção nenhuma. Há coisas que a gente não programa, eu nunca achei que seria pastor de igreja”, frisou.

O pastor Mello esclareceu ainda que Silas Malafaia, apesar do anúncio na TV, ainda não apresentou documentos de renúncia e que a entidade não emitirá comunicado oficial sobre o desligamento de pastor da Igreja AD Vitória em Cristo.
gospelmais

Estudantes feridos falam sobre o privilégio de sofrer por Cristo

0 comentários
ÍNDIA – Os missionários em treinamento pela Gospel for Asia falaram sobre o privilégio que sentiram ao sofrer por Cristo após serem atacados em sua faculdade bíblica em Mumbai, Índia, no início do mês.

Sete estudantes ficaram gravemente feridos quando um grupo invadiu o campus da faculdade bíblica na noite de domingo em Mumbai, Índia. Os alunos estavam preparando sua refeição quando os agressores, armados com paus e barras de ferro, entraram no campus e começaram a bater neles. Os cristãos tentaram conversar com seus agressores e perguntar qual era a queixa contra eles, mas não obtiveram resposta.

Hemanti Kashyap ficou ferido quando os agressores o atingiram no estômago com uma barra de ferro. Ele afirma que o incidente deu a oportunidade de colocar em prática todas as lições que ele aprendeu na faculdade.

“Através dessa situação, aprendi o que a Bíblia quer dizer quando afirma: ‘Bem-aventurados os que sofrem por Cristo’. Essa oposição foi o teste para que minha fé siga em frente, e para que eu compartilhe o evangelho. Eles atingiram meu estômago com uma barra de ferro, e me feriram, mas sou grato ao Senhor Jesus, que me guardou, para ser uma testemunha dele.”

Sunil Pattanayap relembra o momento do ataque: “Por um instante fiquei chocado, querendo saber por que aquilo estava acontecendo comigo. Então, eu compreendi que havia chegado o momento de glorificar o nome do Senhor”.

“Foi um privilégio sofrer por Cristo, e estou feliz porque posso testificar que Deus me protegeu e me livrou da morte, para que eu pudesse proclamar sua Palavra e permanecer firme como testemunha viva, com uma grande fé.”

Três dos estudantes feridos ainda estão se recuperando no hospital. Beedram Sena teve que ser submetido a uma cirurgia devido à fratura em sua perna. Sudershan Yadavan precisou ser operado para tratar sua rótula quebrada. Sunil Reedy precisou de tratamento dentário para substituir os dentes arrancados pelos agressores.

Brijeshware Nayan, que teve ferimentos em suas costas, mas não precisou ficar hospitalizado, afirmou que o ataque o ajudou a ver o valor espiritual do sofrimento.

Ele diz: “Eu vim para cá para servir ao Senhor. Se eu ficar com medo dessa oposição, como poderemos aprender a crescer em fé?”.

“Esse tipo de perseguição só prova que as pessoas precisam conhecer o amor de Cristo. É a única forma de eles encontrarem razão em suas vidas e um propósito para transformar o ódio em amor.”

Fonte: Missão Portas Abertas

Ministério Vineyard lança sua primeira coletânea “Acende o Fogo em Mim”

0 comentários
Você já notou a quantidade de lançamentos que semanalmente são publicados nas livrarias cristãs em todo o Brasil? Pensando nisso o Ministério Vineyard resolveu disponibilizar para os admiradores de suas canções uma primeira super coletânea reunindo 14 clássicos do ministério que estão presentes no repertório de muitas igrejas em nosso país.

‘São canções de adoração utilizadas em igrejas em todas as partes do Brasil, que expressam as principais características da música Vineyard: modernidade, profundidade e acessibilidade’, comenta Márcio Miguel, coordenador do projeto.

O título do álbum é ‘Acende o fogo em mim’, é uma homenagem á uma das canções mais cantadas da Vineyard ao redor do mundo. O álbum também substitui os CDs ‘Entrega’, ‘Mais que Paixão’ e ‘Grande Deus’ que saíram de catálogo por decisão do ministério.

O CD ‘Acende o fogo em mim’ pode ser encontrado nas principais livrarias do Brasil, no site do ministério www.vineyardmusic.com.br e também pode ser adquirido pelo televendas (14) 3265-2575 | 3265-1818.

Faixas:

01 Fome
02 Teu nome é santo
03 Acende o fogo em mim
04 A ti me entrego
05 Som celeste
06 Teu amor é incrível
07 Entrega
08 Tome tudo de mim
09 Faz morada em mim
10 Recebo sim
11 Vem sobre mim
12 Laços de amor
13 No controle tu estás
14 Grande Deus

“Sou a Regina Pentecostes” diz Regininha Poltergeist à Veja

0 comentários
Celebrada nos anos 90 pelo cantor Fausto Fawcett como uma louraça belzebu, Regininha Poltergeist, de 39 anos, converteu-se à Igreja Evangélica Bola de Neve. Alguns dias atrás Regina participou do Programa Boladas da Bola de Neve.

Como você se converteu?
Eu estava em depressão profunda por fazer trabalhos que não tinham a ver comigo. Por causa da grana, passei por cima dos princípios.

Está se referindo aos filmes pornôs?
E às fotos nua também. Eu já não achava legal. Sempre fui tímida, mas me perdi pelo dinheiro. Essa coisa da carne é do diabo.

O que mudou na sua vida?
Tudo. As pessoas começaram a me tratar como eu sou: boa, solícita e que quer fazer o bem. Até meu guarda-roupa mudou. Só fiquei com as blusas comportadas.

Sem decote?
Isso eu já não usava. O problema é que não punha sutiã. Agora, visto top para esconder tudo e, se a blusa for transparente, ainda coloco sutiã por baixo.

Você tem namorado?
Ainda estou esperando o varão que Deus vai escolher para mim. Mas ele terá de pedir permissão à pastora para me namorar.

É uma mudança e tanto. Quantos parceiros você teve até se converter?
Ai, nem me lembro.

Não sente falta de sexo?
Claro, mas leio a Bíblia para pedir tranquilidade, acalmar meu coração e matar a carne, que é o mais importante.

Onde foi parar a Poltergeist?
Não existe mais. Esse apelido foi para o inferno. Agora, sou a Regina Pentecostes.

Fonte: Veja / Gospel Prime

terça-feira, 4 de maio de 2010

Tenho saudades daquele Silas Malafaia do passado!

0 comentários
Neste sábado o pastor Silas Malafaia mais uma vez criticou os críticos por criticarem o que ele vem fazendo de errado. Ora, Malafaia é um homem acima da crítica, já que ninguém deve contestar as doutrinas espúrias que ele vem ensinando junto com Mike Murdock e Morris Cerullo. Ninguém deve levantar a voz contra as aberrações de barganha que ele vem sistematicamente introduzindo em seu programa. A única resposta do Silas Malafaia para a crítica é: “Vocês são bandidos, fracassados, que não fazem nada”. Ainda está ameaçando com possíveis processos. Mas na base de qual Constituição?

Mas eu tenho saudades do Malafaia de antigamente.

Tenho saudades daquele que pregava contra a barganha, contra a confissão positiva, contra as teologias da prosperidade. Hoje ele prega tudo aquilo que antes condenava.

Tenho saudades daquele que nos advertiu contra os perigos do G12. Lembram daqueles VHS que passávamos nas igrejas com as duras palavras do Silas Malafaia contra esse modismo? Hoje ele prega no congresso do René Terra Nova, o maior líder do gedozismo no Brasil.

Tenho saudades daquele Silas Malafaia que condenava os modismos vindos de Boston. Aquelas aberrações produzidas pela Igreja do Avivamento que tinha como co-pastor Geziel Gomes. Hoje, o senhor Malafaia conta com Gomes para suas revistas e congressos.

Tenho saudades daquele Silas Malafaia. O que será que aconteceu? Alguns avançam, já outros...

Leia mais:

http://www.genizahvirtual.com/2010/04/silas-malafaia-chama-pastores-e-crentes.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed:+Genizah+(Genizah)

http://www.pulpitocristao.com/2010/04/silas-malafaia-responde-aos-blogueiros.html

http://teologiapentecostal.blogspot.com/

Chico Xavier, o mito cada vez mais santificado pelos fãs

0 comentários
Nesse último sábado assisti o badalado longa-metragem “Chico Xavier”, do diretor Daniel Filho. O filme surpreende, pois foge do lugar-comum das produções nacionais. O interior de Minas Gerais é retratado com uma fotografia muito bonita e ainda contém alguns efeitos especiais. O ritmo da história não imita novela, como é comum em alguns sucessos nacionais como “Olga”. Agora, já a história...

O filme só faltou trocar o nome Chico Xavier por Jesus Cristo. O médium é retratado como um homem santíssimo, caridoso, não interesseiro, mas somente um pouco vaidoso com sua peruca exótica. Xavier é perseguido por implacáveis opositores, incluindo sua família, a Igreja Católica e parte da imprensa. Os algozes são pintados como verdadeiros demônios que não compartilhavam de toda a bondade daquele “santo”.

Por que o filme não mostrou a humanidade de Chico Xavier? Era ele um homem sem defeitos? É claro que não. As polêmicas envolvendo o seu centro espírito não são retratados no filme. Quando um personagem aponta fraude em alguma cena, logo acontece algum fato que desmente a suposta fraude. Na história que se passa nas telas ele é uma mistura de Jesus Cristo, Francisco de Assis, Madre Teresa de Calcutá e fisicamente parecido com Gandhi.

Alguns espíritas fazem questão de enfatizar: “o diretor não é espírita”. Ora, como se isso fizesse grande diferença no Brasil onde o espiritismo e a sua doutrina da reencarnação é aceita por boa parte da população. O longa faz um papel que eu já esperava: a mitificação do médium. Os homens sem pecado não existem, mas parece que só Daniel Filho acredita em sujeitos imaculados. Filho parece acreditar em um Chico Xavier, digamos, além-humano. Em entrevista para o jornal “O Estado de S. Paulo”, Daniel Filho chegou a afirmar que Xavier era assexuado. Cada uma, hein?

E ainda teve crítico de cinema que abriu a boca para dizer: “Não é um filme chapa-branca”. Ora, não seria melhor assumir o proselitismo do longa-metragem? Não há crime na promoção de uma religião por meio do cinema, mas é ruim quando não se reconhece isso. Não dá para falar que é mera biografia.

Cenas do cinema

Nessa sessão foi a primeira vez que vi uma enorme quantidade de idosos no cinema. Uma senhora ao meu lado não parava de chorar e mexer em um saco plástico. Ou seja, tive que ouvir durante toda o filme o choro dessa mulher com o barulho da sacola. Nada mais agradável para o sacro silêncio do cinema. Mas a emoção dela me chamou atenção pelo fato que Chico Xavier trabalhava com pessoas vulneráveis a emoção, como mães que perderam os filhos e pobres interioranos em busca de uma cura desesperada. Alguma crítica acadêmica ou midiática dessa manipulação emotiva? É claro que não. Agora se fosse uma igreja evangélica...

Outra questão. Sempre que os algozes de Chico Xavier se manifestavam na tela havia um burburinho na sala. Ou seja, as pessoas manifestam a emoção de indignação conforme eram conduzidas pelas cenas. Tal fato nunca verifiquei com tanta força como nesse filme. É a manifestação que a maioria dos frequentadores das salas são, digamos, fãs e simpáticos ao médium.

O novo santo do país?

Resumindo. O filme é uma tentativa de tornar Chico Xavier o novo Padre Cícero do Brasil. O santo não canonizado. O mártir incompreendido pela cruel sociedade que sempre corrompe o bom selvagem. O verdadeiro filho do Brasil e que se associava aos espíritos do bem. É assim pintado naquela tela. Além, é claro, da eterna tentativa de misturar cristianismo e espiritismo. Ora, tal sincretismo é impossível. Os espíritas baseiam sua esperança na reencarnação que melhora o homem pelas boas obras, enquanto o cristianismo é baseada na esperança da ressurreição para uma vida eterna cujo sacrifício de Cristo é suficiente. Os cristãos sabem que suas obras são insuficientes diante do eterno amor de Deus. São duas crenças antagônicas que não são possíveis na mistura do caldo religioso brasileiro. Todo “cristão” espírita que conheci era um espírita mal resolvido. Só isso.

Leia mais:

- Uma análise sobre o “Novo Espiritismo” escrito pelo Dr. Paulo Romeiro, docente no Programa de Pós-Graduação em Ciências da Religião da Universidade Presbiteriana Mackenzie:

http://www.agirbrasil.org.br/Artigos/artigos.info.asp?tp=146&sg=13&id=183

- Livro completo sobre as principais crenças e ramos do espiritismo no Brasil escrito pelo teólogo Esequias Soares, que é graduado em línguas orientais pela Universidade de São Paulo (USP) e mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie.

Manual de Apologética Cristã. Editora CPAD.
http://teologiapentecostal.blogspot.com/

Santo Daime: Que religião é essa?

0 comentários
São bem oportunas as palavras bíblicas de Romanos 1.22: "Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos", quando nos propomos a falar sobre o grupo religioso SANTO DAIME. Dizemos isso porque, nesse grupo religioso, aparentemente desconhecido, existem celebridades da TV que já se pronunciaram publicamente como membros dele. E não é só isso. Até o famoso pastor Neemias Marien já fez parte de reuniões religiosas onde o chá foi bebido.

Conta ele: "Concentrado no culto, cantei, com o mais vivo entusiasmo, todas as canções de louvor, mas sempre muito atento às mínimas ocorrências envolvendo os circunstantes. Vi nocauteada a resistência de muitos que se entregavam relaxados nos colchonetes e poltronas espalhados pela sala. Vi outros se transfigurarem, em êxtase, os olhos vítreos esbugalhados. Um jovem tomou-me a mão, como um náufrago perdido no mar e, literalmente, urrava como leão. Muitos vomitavam, enquanto outros corriam ao banheiro. Um outro virou uma estátua vibrante, o tempo todo em obediência a seus chakras, segundo disse. Então, após o segundo cálice, comecei a sentir as mãos frouxas e uma ligeira cãibra nas pernas, dando-me a impressão de desmaio, embora em momento algum me sentisse tenso. Procurei cantar com mais entusiasmo, mas logo percebi ser melhor procurar o sofá, no qual o meu corpo caiu pesado. Foi nesse instante que, relaxado, rendi-me ao DAIME, sem alucinações, mas com a consciência da purificação espiritual centrada em Jesus."(...) "Creio que, também, pelo Santo Daime, pode-se contemplar a luz divina e alcançar a purificação do espírito e a cura interior."(JESUS, A Luz da Nova Era, pp.120/21).

Pode haver maior apostasia do que essa, de se ler um pastor afirmar que "contemplou a luz divina" e alcançou a "purificação do espírito e cura interior" depois que tomou o chá ??? A luz divina, como sabemos pela Bíblia, é Jesus Cristo: "Ali estava a luz verdadeira, que alumia a todo o homem que vem ao mundo" (Jo 1.9). Purificação do espírito se faz pelo sangue de Jesus e não por tomar-se um chá - "Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo." (Jo 1.29). E cura interior alcançamos quando atendemos ao convite de Jesus, em Mt 11.28,29: "Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas."


O NOME

DAIME - dizem - vem do verbo dar, no imperativo. "'Daime' paz, 'Daime' saúde, 'Daime' felicidade!" - é a aspiração dos membros da entidade. É um tipo de seita eclética, uma mistura de espiritismo, cultos afro-brasileiros e catolicismo romano, resultantes de três culturas (a branca, a negra e a indígena). O livro sagrado que adotam é o seu hinário. As letras dos hinos constituem a diretriz para os seguidores. Todos os ensinamentos são ministrados por hinos naquele estado alterado de consciência proporcionado pelo Daime, encontrando-se neles suas crenças básicas. A principal característica do Santo Daime é o canto. São conhecidos também como "Povo de Juramidam", expressão composta de Jura (pai) e Midam (filho). Tal é o nome que o iniciador da seita diz ter recebido das entidades divinas. Juramidam representa a segunda volta de Jesus à terra, sendo assim o povo de Juramidam o povo de Jesus Cristo. Impossível para um leitor da Bíblia ler sobre um tipo de culto envolvido com práticas mediúnicas, idolatria e feitiçaria, admitir que seja "povo de Jesus". O próprio Jesus declara ser a luz do mundo e que aquele que o segue não andará em trevas (Jo 8.12). Em nenhuma passagem bíblica se encontra qualquer ensino de Cristo que se assemelhe a um ensino que envolva espiritismo, feitiçaria e idolatria.


O FUNDADOR

O fundador, Raimundo Irineu Serra, nasceu em 1892, no Maranhão, e faleceu em 1971. Aos 20 anos de idade, integrou um movimento migratório de nordestinos para trabalhar na extração de látex. Na floresta amazônica Irineu e seus companheiros foram misturando a sua cultura com a dos índios e aprenderam a preparar a bebida, que lhe provocava "visões". Numa dessas "visões" apareceu-lhe uma mulher chamada Clara, que se dizia Nossa Senhora da Conceição, a Rainha da floresta. Ela falou-lhe: "Quem é que tu acha que eu sou? Ele olhou e disse: Para mim a senhora é uma Deusa Universal. Tu tem coragem de me chamar de Satanás, isso ou aquilo outro? Não, a senhora é uma Deusa Universal. Tu achas que o que tu está vendo agora, alguém já viu? O mestre Irineu refletiu e achou que alguém já podia ter visto, tantos que faziam a bebida que ele podia estar vendo o resto. A senhora então disse: O que você está vendo agora ninguém jamais viu, só tu. E eu vou te entregar esse mundo para tu governar. Agora tu vai se preparar, porque eu não vou te entregar agora. Vai ter uma preparação para ver se você tem merecer verdadeiramente: você vai passar oito dias comendo só macaxeira (mandioca) cozida, com água e mais nada."

Relatou Irineu que foi ela quem deu o nome de Santo Daime à bebida e ditou normas para a realização do ritual. Ele adquiriu poderes extra-sensoriais e aí passou a ter vidência e a comunicar-se com os mortos. Nas reuniões evocam Jesus Cristo e os santos católicos como Nossa Senhora da Conceição, São João Batista, São José. Paralelamente evocam entidades indígenas como Tuperci, Ripi Iaiá, Currupipipiraguá, Equior, Tucum, Barum, Marum Papai Paxá, B. G., Rei Titango, Rei Agarrube, Rei Tintuma, Princesa Soloína, Princesa Janaína e Marachimbé.


EFEITOS DO CHÁ

A bebida é preparada com o cozimento de dois vegetais da floresta amazônica: o cipó jagube (Banisteriopsis caspi) e a folha chacrona (Psychotria veridis). É conhecida como ayahuasca ou, abreviadamente, OASCA. É ingerida para proporcionar vidências, comunicação com espíritos, alívio físico e psíquico, curas, etc. É uma porta aberta para os estados alterados de consciência. Produz um desarranjo intestinal tão violento que a pessoa que o bebe sente necessidade de ter ao seu lado um vomitório móvel porque não há tempo de ir ao banheiro comum.


DOUTRINAS E CONTESTAÇAO

Dentro do ritual encontramos práticas religiosas ligadas à idolatria, à feitiçaria e às cerimônias católicas.

a) Idolatria:

O Estatuto da CEFLURIS declara, entre outros pormenores, os seguintes itens, esclarecendo que a entidade é "fundamentada no Ritual do Ecletismo Evolutivo, ou seja, de várias correntes religiosas que se interpenetram, tendo como ponto de partida o Cristianismo." (p. 41 da revista PERGUNTE E RESPONDEMOS, setembro/90).

Comentário: O Santo Daime é formado por várias correntes religiosas como catolicismo, cultos afro-brasileiros e indígenas. Ora, o ecletismo religioso é uma abominação aos olhos de Deus. Apontamos como exemplo o povo israelita no deserto, acampado junto ao Monte Sinai. Enquanto Moisés estava no Monte Sinai, o povo embaixo resolveu prestar um culto a Deus, criando um ídolo na forma de um bezerro de ouro. Depois de pronto instituíram uma festividade e a justificaram com os seguintes dizeres: "Estes são os teus deuses, ó Israel, que te tiraram da terra do Egito. E Arão, vendo isto, edificou um altar diante dele; e Arão apregoou, e disse: Amanhã será festa ao Senhor." (Êx 32.4,5). Como Deus encarou uma festividade eclética entre ele e o bezerro de ouro? Disse Deus a Moisés, lá no Monte Sinai: "Vai, desce; porque o teu povo, que fizeste subir do Egito, se tem corrompido. E depressa se tem desviado do caminho que eu lhes tinha ordenado; fizeram para si um bezerro de fundição, e perante ele se inclinaram, e sacrificaram-lhe, e disseram: Estes são os teus deuses, ó Israel, que te tiraram da terra do Egito." (v. 7,8). As práticas ligadas à idolatria foram mais tarde condenadas pelos profetas: "Eu sou o Senhor; este é o meu nome; a minha glória pois a outrem não darei, nem o meu louvor às ../imagens de escultura." (Is 42.8). "Eu anunciei, e eu salvei, e eu o fiz ouvir, e deus estranho não houve entre vós, pois vós sois as minhas testemunhas, diz o Senhor; eu sou Deus." (Is 43.12).

b) Feitiçaria:

Sabemos que os cultos afro-brasileiros tributam louvores a entidades também conhecidas como orixás, que pensam ser os intermediários entre o deus Olurum e os homens.

Ora, sabemos que tais entidades espirituais, embora sejam chamados "santos", na verdade são espíritos demoníacos que povoam os ares como afirma Paulo em Ef 6.12: "Porque não temos que lutar contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais." Afirmamos: o que consta do estatuto nada tem a ver com o cristianismo. Quando há genuína conversão a Deus, há o abandono dos ídolos e de todo o ecletismo. Jesus foi enfático dizendo: "Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro." (Mt 6.24).

c) Ritual da bebida:

O cipó é cortado em pedaços de 20 cm de comprimento. A partir das 2 horas da madrugada, realiza-se a "bateção": turmas de 12 homens revezam-se de duas em duas horas no trabalho de esmagar os pedaços de jagube sobre troncos de árvores fixos no solo, utilizando marretas de cumaru, pau tirco ou bálsamo, sendo que o ritmo é acompanhado por hinos adequados. A bateção significa purificação em si e serve para o sujeito se disciplinar. O cozimento do cipó macerado e das folhas, se dá na proporção de duas medidas de cipó para uma das folhas de chacrona e é uma das etapas mais delicadas do ritual. Não se deve conversar com a pessoa encarregada, pois ela controla o ponto de fervura da bebida, que é indicado por uma entidade do Santo Daime presente no plano astral, a qual se manifesta no momento em que se completa o cozimento para que a panela seja retirada da fornalha. Todos são avisados desse procedimento através de uma campainha acionada pelo encarregado.

Essa entidade, que desce e se manifesta no momento em que é completado o cozimento, é uma das manifestações malignas, embora possa ser chamada por nomes indígenas como Tuperci, Ripi Iaiá, Currupipipiraguá, Equior, Tucum, Bvarum, Marum Papai Paxá, B. G. , Rei Titango, rei Agarrube, Rei Tintuma, Princesa Soloína, Princesa Janaína e Marachimbé.

d) Cerimônias católicas:

Durante o ritual rezam missa em favor dos falecidos e cantam-se dez hinos sem instrumentos musicais, sem bailados. Reza-se um terço, ficando o Salve Rainha para o término da sessão. Essa prática é ligada à Igreja Católica.

Não se deve celebrar missas aos mortos, porque elas são inúteis. Jesus afirmou que se alguém morrer sem crer nele como único e suficiente Salvador nunca poderá ir para onde ele foi. Jesus foi para o céu de onde virá para buscar o seu povo (Jo 8.21,24; Jo 14.2,3). O ritual do Santo Daime é ritual pagão, impróprio e condenado pela Bíblia em Dt 18.9-12.



APARIÇÃO DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO

Relata o Mestre Irineu que recebeu uma visão de uma senhora divina que ele pensou ser uma deusa Universal, identificando-a até como se fosse Satanás. Entretanto, posteriormente, na própria "visão", foi esclarecido de que se tratava de Nossa Senhora da Conceição.

Para os que têm a Bíblia e a consideram como autoridade maior no campo religioso, devem ter presente as palavras de Paulo - em Gl 1.8,9 - que afirmam: "Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema. Assim como já vô-lo dissemos, agora de novo também vô-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema." Ora, se esse grupo religioso tem como "princípio básico e fundamental o Santo Evangelho de Nosso Senhor Jesus Cristo" como reza o item 2 do Estatuto, deveria saber que o evangelho que Jesus pregou incluía o arrependimento e fé na sua pessoa (Mc 1.15), pois sem arrependimento ninguém poderia salvar-se (Lc 13.3); e que afirmava a necessidade da sua morte, sepultamento e ressurreição como meio de salvação.(Mt 16.21-23; 20.28). Jesus nada ensinou sobre ecletismo, mas foi incisivo ao afirmar que existem "duas portas" e "dois caminhos" que levam a dois fins distintos. "Entrai pela porta estreita; porque larga é a porta, e espaçoso o caminho que conduz à perdição, e muitos são os que entram por ela; e porque estreita é a porta, e apertado o caminho que leva à vida, e poucos há que o encontram" (Mt 7.13,14).


UM CULTO ABSURDO

É tão absurdo esse culto do Santo Daime que se declara: "Há quem vomite e quem seja cometido de desarranjos intestinais, ou as duas coisas juntas. E com que objetivo? Ocorrendo a ânsia de vômitos e a diarréia depois que se toma o chá é que a pessoa está passando por uma espécie de 'limpeza espiritual'. Ou seja, de alguma maneira está se livrando de tudo aquilo que a impede de estar em comunhão com Deus" É esse um culto racional? Paulo recomenda que apresentemos os nossos corpos como um sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o nosso culto racional (Rm 12.2).


***
Bibliografia das obras consultadas:

1. MELO, Fernando dos Reis de. Religião & Religiões - Perguntas que muita gente faz. Editora Santuário.
2. BETTENCOURT, Estevão Tavares. Crenças, Religiões, Igrejas & Seitas: quem são?
3. MARIEN, Pr. Nehemias. Jesus à Luz da Nova Era. Editora Record.
4. Revista "Pergunte & Respondemos", nº 340, setembro de 1990, pp.38/48.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Google aponta Brasil como líder mundial no pedido de censura no Blogger, Orkut e YouTube

0 comentários
O Brasil lidera o ranking de solicitações para censura em produtos e serviços oferecidos pelo Google, de acordo com dados divulgados pela empresa nesta terça (20). O país emitiu, no período de julho a dezembro de 2009, 3.663 pedidos de envio de dados de usuários e outros 291 para remoção de conteúdo.
Segundo a empresa, os números retratados no mapa referem-se a informações que envolvem difamação, crimes de ódio [que abrangem críticas ao homossexualismo, ao islamismo e às religiões afro-brasileiras] e falsidade ideológica.
Cerca de 82% das solicitações brasileiras estavam de acordo total ou parcialmente com a política do Google para esses casos. O Google mostra ainda para quais serviços da empresa foram feitas as solicitações: o Orkut está na frente de todos eles, com 119 pedidos diretos e outros 99 a partir de ordens judiciais. Em seguida está o YouTube (1 pedido direto e 32 por ordens judiciais) e o Blogger, com 21 pedidos via ordens judiciais.
Censura crescente na web

Ao mesmo tempo, o Google faz um alerta sobre o crescimento da censura na web nos últimos tempos. No comunicado oficial, a empresa ressalta que mesmo diante da garantia de liberdade de expressão, existente no artigo 19 da Declaração Universal dos Direitos Humanos e que se aplica também à internet, “a censura na web por governos cresce rapidamente: do bloqueio imediato e filtragem de sites a ordens judiciais que limitam o acesso à informação, além da legislação que obriga as empresas a praticar auto-censura de conteúdo”.
Editado diretamente de notícia do UOL.
Divulgação: www.juliosevero.com

Globo sai em defesa da lei da Mordaça Gay

0 comentários
(Por Julio Severo) – Propaganda jornalística da Globo martela, de novo, lei anti-“homofobia” como proteção aos homossexuais

No dia 15 de abril, o Jornal Hoje tocou no assunto do PLC 122, na tentativa de dar uma mão (ou pata) para a ditatorial lei anti-“homofobia” passar.

O jornalismo da Globo, numa verdadeira atitude de preconceito, arrogância e discriminação contra os fatos, apresentou o PLC 122 apenas como uma lei que protege os homossexuais contra o preconceito, frisando o tempo inteiro o PLC 122 apenas como uma lei supostamente benigna que combate crimes contra os homossexuais.

Em nenhum momento, a Globo revelou o fato de que o PLC 122 é uma grave ameaça aos cidadãos brasileiros, instituindo pela primeira vez na História do Brasil o delito de opinião, tornando crime a expressão de toda e qualquer opinião moral, filosófica, científica ou religiosa contrária ao homossexualismo.

Para assistir ao vídeo inédito preparado pelo Blog Julio Severo expondo o jornalismo tendencioso da Globo, siga este link: http://www.youtube.com/watch?v=tO5-fSh0Mog

O que a Globo fez é perfeitamente natural. Para quem há anos defende o adultério, a prostituição (todo relacionamento sexual fora da aliança conjugal), o homossexualismo, a bruxaria e outras perversões em sua programação, seria de surpreender ver a Globo agora fazendo um “jornalismo imparcial” sobre o PLC 122?

A Globo já está fazendo sua parte para aprovar o PLC 122.

Faça agora a sua parte para enfraquecer a propaganda global que defende a ditadura gay mascarada de lei de “proteção aos homossexuais”.

Escreva agora mesmo aos senadores pedindo a rejeição do PLC 122/2006, o projeto da ditadura gay. Para ver a lista completa de emails dos senadores, siga este link: http://juliosevero.blogspot.com/2009/04/cientista-medica-escreve-aos-senadores.html

Ligue agora mesmo aos senadores pedindo a rejeição do PLC 122/2006, o projeto da ditadura gay, pelo telefone gratuito do Senado: 0800-612211

Divulgue esta mensagem para todos os seus amigos, especialmente aos pastores, padres e outros líderes.

E persista na rejeição da ditadura gay. Periodicamente, mande emails ao seu senador

Fonte: www.juliosevero.com / O Verbo

Pepsi acusada de financiar doutrinas religiosas gays

0 comentários
PLANO, TX, EUA — A organização Pais e Amigos de Ex-Gays (PAEG) está convocando todos os acionistas da empresa Pepsi a votar pela proposta de um acionista que pede que a Pepsi revele seus padrões para doar mais de $75 milhões em bens corporativos para grupos polêmicos.

PepsiCo, Inc. é a empresa que mais patrocina a entidade Pais, Famílias e Amigos de Lésbicas e Gays (PFALG). A mais recente publicação da PFALG, um guia religioso, rotula as conferências de ex-gays como conferências “contra os gays” e exorta os membros da PFALG a protestar contra as conferências religiosas que apresentam palestrantes ex-homossexuais.

O guia religioso instrui membros a realizar entrevistas coletivas à imprensa e divulgar comunicados à imprensa contra eventos religiosos de ex-homossexuais ‘para fazer as pessoas lembrarem que existe mais de uma mensagem religiosa’. (Veja PFLAG Faith Field Guide, págs. 9-11)

“Por que a PepsiCo financia organizações como a PFALG que distribui publicações exortando os leitores a sabotar outras religiões com o que a PFALG discorda?” pergunta Regina Griggs, diretora executiva de PAEG. “É essa a melhor utilização que a PepsiCo tem para seus financiamentos?”

“Em resposta a uma proposta semelhante no ano passado, a PepsiCo afirmou que seu ‘compromisso é com a diversidade e inclusão sem a imposição de opiniões pessoais’. Então por que a PepsiCo continua a financiar organizações que odeiam as pessoas que abandonaram o homossexualismo?”

“A Proposta de Acionista da PepsiCo Número 4 pede que a PepsiCo revele seus padrões para financiamento e faça prestação de contas de como as contribuições de caridade da empresa realmente são usadas, um pedido razoável”, disse Griggs. “As ações da PepsiCo afetam adversamente sua imagem pública, reputação e valor das ações”.

A empresa Pepsi tem um longo histórico de apoio às causas homossexuais. Em 2009 a Associação da Família Americana (AFA) revelou que de acordo com uma representante da PepsiCo, Philene Frazar, a empresa Pepsi é um dos fundadores de um grupo homossexual em Chicago chamado “Citywide Pride”.

Em janeiro de 2009 LifeSiteNews.com noticiou que a empresa doou $500.000 para PFALG, e outros $500.000 para a organização homossexual Human Rights Campaign.

Fontes: Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com / O Verbo

Pais da cantora Sandrinha morrem em acidente em MG

0 comentários
Três pessoas morreram na madrugada deste domingo, após um acidente entre um caminhão e um carro no quilômetro 570 da BR-381, em Itaguara, Minas Gerais.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, a colisão aconteceu por volta das 4h30, quando o caminhão tombou e o motorista do carro não conseguiu frear, atingindo o caminhão.

Os dois ocupantes do carro morreram na hora: Euclides Fernandes da Silva e Anazita Dias da Silva, ambos de 61 anos, os pais da cantora Sandrinha, da Graça Music. A notícia foi divulgada em diversos sites evangélicos.

O motorista do caminhão, Alexandre Matos Pimenta, de 27 anos, também faleceu no local. Os corpos foram encaminhados ao Instituto Médico Legal de Belo Horizonte. O trânsito foi liberado por volta das 6 horas e já está normalizado.

Fonte: Estadão / O Verbo

Nota da Redação: nossos sinceros sentimentos e orações à família nesse momento difícil.

Pr. Silas Malafaia muda nome da Assembleia de Deus da Penha

0 comentários
Segundo o site Ogalileo as igrejas Assembleia de Deus da Penha mudarão o nome. A partir do próximo mês, elas passarão a se chamar Assembleia de Deus Vitória em Cristo, o mesmo nome do Ministério do Pr. Silas Malafaia.

Conversamos com o Pr. Paulo Vieira, auxiliar da Assembleia de Deus da Penha, que nos explicou a mudança.

‘Hoje existem mais de 80 igrejas espalhadas pelo RJ em diferentes bairros, e fica estranho uma Assembleia de Deus da Penha, no bairro da Barra da Tijuca, por exemplo, ou em qualquer outra região do Estado ou até mesmo do país’, declarou o Pr. Paulo.

Por este motivo, seguindo o estatuto da Igreja, foi sugerida a alteração do nome na última terça (20) em Assembleia Geral presidida pelo Pr. Silas Malafaia, na sede da ADPenha, que contou com a presença dos membros da igreja, presbíteros, pastores e os dirigentes de todas as filiais que por unanimidade aceitaram a mudança.

A denominação permanece Assembleia de Deus, apenas o ministério será alterado de ‘Penha’ para ‘Vitória em Cristo’.

Na próxima semana haverá uma nova reunião para a finalização de alguns detalhes e o início da alteração física e jurídica. A previsão é que até o final do mês de maio todas as ADPenha já tenham seus ‘letreiros’ alterados para: Assembleia de Deus Vitória em Cristo.

Fonte: Ogalileo / GospelPrime

Famosas convertidas gravam programa cristão

0 comentários
Elas cansaram de ser sexy. Regininha Poltergeist, Roberta Foster e Marinara Costa agora vão falar sério e sobre temas religiosos. No projeto Boladas, atração que a pastora Priscilla Mastrorosa, da igreja Bola de Neve – que reúne vários famosos -, está produzindo para a TV, elas debatem assuntos cotidianos sob o ponto de vista bíblico. Como celebridades chamam a atenção em qualquer lugar, nos templos não é diferente e a presença delas é fundamental para o sucesso da ideia.

“Fazer esse programa com mulheres cristãs comuns não teria o mesmo impacto. Percebi que, quando artistas se convertiam, todos tinham curiosidade para ver seus testemunhos. Então, resolvi juntá-las para que pudessem passar suas histórias e contar sobre suas transformações”, justifica a pastora.

Depressão e sucesso profissional fazem parte das conversas e as convidadas variam de acordo com o assunto do dia. Roberta Foster conversou sobre drogas, sexo e até a tragédia do Haiti em um dos programas já gravados. A atriz, que recentemente fez uma participação em Cama de Gato como a prisioneira Geni, ficou muito conhecida como a Eva do Zorra Total.

“Enquanto fiz essa personagem, me afastei da igreja. E sofri em vários setores da minha vida. As pessoas acham que artista não tem problemas e é interessante elas verem nossa experiências para se identificarem. Há um ano, me firmei na fé e cheguei a receber convites de outros trabalhos também muito ligados à vaidade, mas estava preparada para dizer não. Tanto é que em Cama de Gato fiz algo totalmente diferente do que fazia. Agora tenho foco”, avisa Roberta.

Munida de um piloto e três programas, em fase de finalização, a pastora pretende ter um bom material em mãos para apresentar a uma emissora até o final de maio. Com 170 templos no Brasil e cerca de 1.200 fiéis frequentando os cultos no Rio só aos domingos, a Bola de Neve já tem um horário na madrugada da Rede TV!.

“Mas agora o perfil do programa é outro. Tem uma hora de duração e mostra a importância de uma pessoa se levantar depois de tantas quedas”, diz Priscilla, citando o exemplo de Regininha Poltergeist: “Quando ela chegou à igreja, estava para lançar seu quarto filme pornô, depressiva, triste. É legal ver como se levantou. É bom ver o crescimento espiritual e de vida de cada uma”, valoriza.

Fonte: Terra

sexta-feira, 16 de abril de 2010

TV Globo investe no espiritismo

0 comentários
A Rede Globo está investindo pesado no espiritismo neste ano de 2010. Além da novela “Escrito nas Estrelas”, a emissora terá, ainda, uma série sobre o espiritismo, que deverá ser estrelada por Selton Mello. O folhetim “Escrito nas Estrelas”, da Rede Globo, promete render polêmicas. Escrita por Elizabeth Jhin, a novela aborda o espiritismo e a tentativa de inseminação artificial com sêmen de um falecido. A apresentação do elenco e do clipe da trama à imprensa aconteceu nesta sexta-feira (19), em um dos estúdios do Projac, no Rio de Janeiro.

De acordo com as imagens, fica evidente que além de abordar o espiritismo, a novela vai trazer ação, com cenas de perseguições, e humor. A trama substituirá a novela “Cama de Gato”, a partir do dia 12 de abril. No elenco estão Nathalia Dil, Jayme Matarazzo, Humberto Martins, Débora Falabella, Carol Castro, Zezé Polessa, Antonio Calloni, Alexandre Nero e Giovanna Ewbank, entre outros.

Juca, o golden retriever de quatro anos, que também integra o elenco, foi um dos destaques da coletiva. Na trama, o cão vai se chamar Pepe e será o fiel amigo de Daniel, interpretado por Jayme Matarazzo, que morrerá logo no início da novela em um acidente de carro.

Porém, Daniel permanecerá na trama a partir do plano espiritual. Matarazzo conta que não é espírita e que não tem religião. “Tenho minha fé, acredito em Deus e na minha intuição”, diz o ator que quis entender mais sobre o espiritismo com o ator Carlos Vereza, que também está no elenco no papel do anjo Athael.

“Quis saber melhor como é essa passagem da vida para o plano espiritual. Aquela confusão de estar meio perdido, deixando pessoas queridas. O Vereza é um grande estudioso e me deu várias dicas”, diz Jayme.

Matarazzo destaca que sempre procura referências e informações para compor seus personagens.

O personagem Humberto Martins, o Dr. Ricardo, pai de Daniel tentará usar o sêmen congelado do filho para uma inseminação artificial na tentativa de revê-lo.

Humberto Martins diz que o espiritismo é um fato presente em sua vida. “Tenho um conhecimento abrangente de várias doutrinas: kardecismo, catolicismo e até aprendo sobre seitas menos conhecidas, como algumas que envolvem sacrifício. Acho que o ator tem que estudar a humanidade como um todo, já que representa vários tipos de pessoas. Acredito em fé, Deus e energia e acho que nossa mente tem poderes que a gente desconhece.”

Já a protagonista Nathalia Dill conta que também não tem uma religião específica. “A minha relação com Deus é muito pessoal. Cada dia eu tenho uma nova formulação e uma nova reflexão. É algo muito interno.”

Ela destaca que sua personagem Viviane é uma menina cheia de garra. “Gravamos durante uma semana no morro Dona Marta. Achei ótimo. É importante mostrar, olhar e discutir outras realidades. É escada a dar com pau”, diz a atriz. A novela dirigida por Rogério Gomes também contará com cenas bem-humoradas, entre elas, a do mulherengo, Jair Ferreira, interpretado por Andre Gonçalves, e das irmãs Madame Gilda, Jandira Martini, e Zenilda, Walderez de Barros.

Mais espiritismo na Globo

Além de uma novela espírita escrita por Elizabeth Jhin ("Escrito nas Estrelas"), a Globo terá, neste ano, uma série sobre o espiritismo, que deverá ser estrelada por Selton Mello.
O anúncio foi feito ontem em entrevista em São Paulo para o lançamento da nova programação da emissora.

"A Cura" será a primeira série escrita por João Emanuel Carneiro, autor de novelas como "A Favorita" (2008) e "Da Cor do Pecado" (2004).

Vai tratar da vida de um jovem médico de Diamantina, interior de Minas Gerais, acusado de matar um colega. Ele descobrirá que tem a capacidade de curar pessoas por meio de cirurgias espirituais. Viverá a dúvida de manter ou não essa atividade e a angústia de saber que a entidade que incorpora é a de um médico assassinado. A série será semanal. Cada episódio terá história própria, além de uma trama que prossegue ao longo dos capítulos. Carneiro terá a parceria de Marcos Bernstein, diretor de "O Outro Lado da Rua". A direção-geral é de Ricardo Waddington.

Fonte: UOL

Cantora gospel anuncia que é lésbica

0 comentários
Uma estrela ascendente no cenário da música cristã está retornando à atenção pública com uma nova identidade após uma ausência misteriosa de sete anos passada em sua maior parte do outro lado do mundo. Jennifer Knapp não apenas está lançando um novo álbum como está “saindo do armário”, um termo que a cantora e compositora indicada ao Grammy considera “muito bizarro” neste momento em que ela relança sua carreira musical, com certo nervosismo.

A cantora de 36 anos, natural do Kansas e que saía com homens em sua época de faculdade, está preparada para uma reação negativa por parte de fãs religiosos que, ao longo dos anos, sempre fizeram questão de desmentir rumores sobre sua sexualidade. Por outro lado, disse ela em entrevista recente à Reuters, “ando ganhando muito mais piscadelas de garotas (em seus concertos) do que no passado!”.

Caso inédito

Nenhuma outra cantora tão famosa quanto Knapp no gênero da música cristã é abertamente homossexual. No passado, a indústria musical cristã desaprovava os artistas que se desviavam do padrão. Rádios e lojas no varejo se apressaram a abandonar Sandi Patty e Michael English nos anos 1990, quando ambos admitiram terem tido casos extraconjugais (separados). Amy Grant também foi parar na lista negra quando se divorciou, mais tarde na mesma década. Todos foram perdoados desde então, em maior ou menor grau.

Jennifer Knapp está adotando postura preventiva. Ela gravou um álbum para o grande público e não está tentando promovê-lo especificamente junto a rádios e varejistas cristãos.

“Eu acharia uma falta de respeito dizer ‘ei, isto é algo que você vai querer colocar na sua loja ao lado da estatueta de Jesus’”, disse ela. “Seria falsa ingenuidade tentar convencer alguém de que precisa fazer isso.”

Renascida pela segunda vez?

Mas Knapp se considera “uma pessoa de fé” e rejeita a sugestão de que esteja dando as costas à igreja, acusação que prejudicou artistas como Sam Cooke e Aretha Franklin quando eles deixaram o gospel para trás para buscar o estrelato pop. Como artista para o grande público que quer promover-se no nicho de álbuns adultos alternativos – ao lado de gente como o U2 e a também lésbica Melissa Etheridge -, foi sugerido a Knapp que, depois de “renascer em Cristo”, ela tenha renascido mais uma vez.

“Talvez eu devesse ter dado esse título ao álbum”, disse ela. Em vez disso, porém, ela optou por “Letting Go”. O álbum será lançado em 11 de maio através da distribuidora independente RED, pertencente à Sony Music. Será seu quarto álbum, e o primeiro desde “The Way I Am”, de 2001, que recebeu uma indicação ao Grammy de melhor álbum de rock gospel.

Desde seu álbum de estreia, “Kansas”, de 1998, Knapp já vendeu cerca de 1 milhão de álbuns. Ela viajava constantemente em turnê e fez parte da turnê Lilith Fair 1999. Recebeu quatro Dove Awards, os prêmios mais importantes da música gospel.

Austrália

Mas, cada vez mais exausta e desanimada, Knapp foi viver a fantasia de muitas pessoas que trabalham demais: abandonou tudo e foi viajar pelo mundo. Ela terminou na Austrália, tornou-se cidadã desse país e agora pretende passar a maior parte de seu tempo pessoal ali. Durante o período que passou longe dos holofotes, Knapp passou por uma espécie de crise da meia-idade precoce que a levou a reavaliar sua fé, sua sexualidade e seu trabalho. Fazer música era a última de suas preocupações.

Antes de conhecer sua namorada, nos Estados Unidos, ela foi celibatária durante dez anos. Knapp disse que isso condiz com a expectativa geral em relação aos membros não casados da comunidade evangélica. Embora diga que ainda respeita as pessoas que se abstêm do sexo não conjugal, ela brincou: “Qualquer pessoa que tenha passado uma década celibatária tem ‘perdedor completo’ estampado em suas costas”.

Privacidade

Sua nova identidade sexual é evidentemente um assunto muito comentado, mas Knapp não se vê como ativista na comunidade gay. Ela protege com firmeza sua privacidade e a de sua namorada, “que não quer ser famosa de nenhuma maneira”. Embora seja inevitável que os fãs estudem as canções em busca de pistas sobre sua nova vida amorosa, Knapp disse que nunca compõe canções sobre pessoas específicas. Mesmo assim, ela fala com franqueza no primeiro verso da faixa “Inside”: “Sei que vão me enterrar antes de ouvirem a história inteira”.

“Espero que essa contestação seja vista como humildade”, ela explicou. “Se existe alguma frustração, é por tentar romper com cortesia o jugo de ter que ser algo que não consigo, dizendo com toda humildade: ‘Por favor sejam gentis comigo quando descobrirem a verdade’. É tudo o que você pode fazer.”

Fonte: O Verbo

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Pentecostalismo: A roupa invisível do rei

0 comentários


Eu estava conversando com uma pessoa, frequentadora de uma igreja avivada (aquelas que fazem bastante barulho, onde pessoas dançam pelos corredores, vêem bolas de fogo, etc) que se queixava de não sentir a presença de Deus no meio daquela gritaria. Ela se sentia mal por isso, pois as pessoas começaram a olhar torto para ela; e, por isso, muitas vezes ela imitava as pessoas, pulando e gritando, apenas para não parecer diferente ou “menos crente”.
Sim sim, eu vejo essa roupa! Que belos bordados!
É impossível não comparar esse relato com o conto infantil do vestido invisível do rei, em que o rei toma para si um traje que supostamente era visto apenas pelos inteligentes. Na verdade o traje era uma fraude, mas as pessoas ao redor do rei – e o próprio rei – fingiam enxergá-lo apenas para não parecerem burras. Se você não conhece esse conto.
Dentro das igrejas avivadas, virou regra – por quê não dizer imposição – você gritar e falar enrolado. Essa regra se tornou tão pesada que, quem não a segue, é visto como pecador. Se você não fala enrolado palavras que nem você entende, você é menos que quem o faz. Se você não tem visões mirabolantes de carruagens em chamas, você é menor que quem o faz e assim sucessivamente.
Assim como os súditos do rei fingiam ver sua suposta roupa mágica, vista apenas pelos inteligentes, muitos frequentadores das igrejas de hoje começam a pular e falar enrolado apenas para não parecerem menos que os outros. Se a pessoa do seu lado pula dizendo que está sentindo o “poder de Deus”, você pula junto, para dizer que também o sente. Se algum pseudo-profeta diz que tem um varão de branco te entregando um rolo, você praticamente sente o rolo na mão, para não parecer frio ou menos avivado.
Esse padrão se tornou tão absurdo em algumas igrejas, que existe um “avivômetro”; quanto mais você pula, dança e grita, mais santarrão você parece ser. Mesmo que você, ao chegar em casa, bata na mulher…
O rei está nu!
Porém convém a todos nós lembrarmos que esse avivamento, sob um olhar bíblico, é um dom pessoal (I Co 12:7). Paulo diz em Coríntios, cap 12, que uma pessoa pode falar em línguas (não é falar enrolado simplesmente), outras podem ter visões e outras podem não fazer nada disso; simplesmente ensinam melhor, ou são melhores médicos (!!!). E não é por isso que um é pior ou melhor que o outro. Cada um é útil da sua maneira.
Portanto, não é necessário continuar imitando o seu próximo. Você não é pior por não sentir vontade de falar enrolado ou pular. E você que pula e grita porque gosta, não condene quem não o faz; as vezes a pessoa que você está condenando desobstrui artérias coronárias como você jamais faria! Sejamos coerentes, paremos de tornar o avivamento uma obsessão. Até aqui ele não melhorou a igreja e não vai mudar a vida de ninguém se não for usado da maneira que Deus quiser. Muitos evangélicos que não são avivados têm tido maiores experiências com Deus simplesmente por estudarem mais a Bíblia. Pense nisso.
Teólogo infiel que condena o avivamento!
Também não estou generalizando. Não são todas as pessoas que pulam e gritam apenas para imitar o seu próximo ou para parecerem mais crentes. Mas, sinceramente, são a grande maioria.

Papo de Teólogo
0 comentários


Existe uma cena na Bíblia que pode passar despercebida por muitos, mas não para os mais atentos (ou os mais curiosos). Em I Reis 18, Elias, depois da incrível vitória sobre os profetas de Baal, estava no monte Carmelo orando. O rei Acabe viu que ia chover, pegou sua carruagem e foi para Jizreel encontrar sua amada gente boa Jezabel.
Elias, não contente de vencer 450 profetas de Baal e desbancar Acabe, foi atrás do rei A PÉ e o encontrou na entrada de Jizreel. Ou seja, Elias correndo e saindo depois chegou primeiro que o rei, que estava em sua carruagem real.
Agora vamos aos cálculos: a distância reta entre o monte Carmelo e Jizreel é de cerca de 37 km (medido no Google Earth). Uma maratona tem 42,195 km, ou seja, quase um maratonista. Levando em conta que o menor tempo feito em uma maratona, por um atleta devidamente preparado e no auge de sua forma atlética, é de 2:03:59, fica clara a peripécia de Elias! Nosso profeta atlético apertou seu cinto para segurar melhor a sua manta (cingiu os lombos) e saiu em disparada atrás do rei!
É por isso que Elias, nosso Usain Bolt tesbita
Gospelmais

domingo, 11 de abril de 2010

Igreja Metodista

0 comentários
A Igreja Metodista é a principal expoente do Metodismo, religião de fé cristã protestante, no Brasil.
O metodismo é de origem Anglo-Americana, organizado pelo reverendo inglês John Wesley que enfatizou o estudo metódico da Bíblia, e busca a relação pessoal entre o indivíduo e Deus. Iniciou-se com a adesão de egressos da Igreja Anglicana e Presbiteriana, bem como de dissidentes da Igreja Episcopal Americana.
História do metodismo no Brasil

[editar]Primeira missão
Em 1835 o Reverendo Foutain Elliot Pitts foi enviado pela Igreja Metodista Espiscopal, dos Estados Unidos, com a missão de avaliar as as posibilidades do estabelecimento de uma missão metodista nas terras brasileiras. Chegando ao país com uma carta de recomndação do então presidente americano Andrew Jackson, o Rev. Pitts desembarca no Rio de Janeiro. Mais tarde em 1836 e 1837, foram enviados o Rev. Justin Spaulding e Rev. Daniel Parish Kidder, com suas respectivas famílias, para compor a missão. Porém, essa missão é encerrada em 1841 por falta de recursos.

Missão da Igreja Metodista Episcopal do Sul
Com a divisão causada nos Estados Unidos durante a Guerra Civil, a Igreja Metodista Episcopal também se dividiu, no sul, foi criada a a Igreja Metodista Episcopal do Sul e no Norte, os metodistas continuaram com o mesmo nome de antes da guerra.
Junius Estaham Newman, foi o primeiro pastor a se fixar permanentemente no Brasil. "J. E. Newman, recomendado para a Junta de Missões para trabalhar na América Central ou Brasil": essa foi a nomeação que ele recebeu em 1866, na Conferência Anual. Após ter servido durante a Guerra Civil Americana, como capelão às tropas do Sul, observou que muitos metodistas do Sul emigraram para as Américas do Sul e Central e acompanhou-os.
A Guerra deixou endividada a Junta, sem possibilidade de enviar obreiros para qualquer local. Newman financiou sua própria vinda ao Brasil, com suas modestas economias. Chegou ao Rio de Janeiro, Niterói, em agosto de 1867, mas fixou residência em Saltinho, cidade próxima a Santa Bárbara d'Oeste, província de São Paulo. Desde 1869, pregou aos colonos, mas, dois anos mais tarde, no terceiro domingo de agosto, organizou o "Circuito de Santa Bárbara".
O primeiro salão de culto – antes era uma venda – foi uma pequena casa, coberta de sapé e de chão batido. Newman trabalhava com os colonos norte-americanos e pregava em inglês. Um dos motivos da demora de Newman em organizar uma paróquia metodista, é que ele pregava, principalmente para metodistas, batistas, presbiterianos e a todos que desejassem ouvir sua mensagem, pensando ser mais sábio unir os "ouvintes" em uma única igreja, sem placa denominacional. Mas depois, todas as denominações organizaram-se em igrejas, de acordo com sua origem eclesiástica nos EUA. Newman insistiu, através de suas cartas, para que os metodistas norte-americanos abrissem uma missão em nosso país.
Em 1876, a Junta de Missões da Igreja Metodista Episcopal Sul, despertada através da publicação das cartas nos jornais metodistas nos EUA, enviou seu primeiro obreiro oficial: Rev. John James Ranson. Dedicou-se ao aprendizado do português para proclamar as boas novas aos brasileiros, sendo o reposnsavel pela criação da primeira publicação metodista no Brasil, o Methodista Catholico.
J. E. Newman e sua família mudaram-se para Piracicaba, SP, onde permaneceram entre 1879 e 1880, quando as filhas de Newman, Annie e Mary, organizaram um internato e externato. O "Colégio Newman" é considerado precursor do Colégio Piracicabano, hoje Unimep (Universidade Metodista de Piracicaba).

A autonomia da Igreja Metodista no Brasil
O movimento pela autonomia começou por volta de 1910. Diversas manifestações surgiram entre a lideraça cleriga e leiga, que buscavam um episcopado mais proximo do país, anteriormente os Bispos eram americanos e residiam fora do Brasil, uma constituição própria, regularização dos salarios, anteriormente em dólares, e uma igreja mais nacional.
A Igreja Metodista tornou-se independente da Igreja Americana em 2 de setembro de 1930, em São Paulo, na Igreja Metodista Central de São Paulo, onde a Comissão Constituinte se encontrou em nove sessões, e onde a Constituição promulgada foi entrege às mãos de Guaracy Silveira. Elegeu-se o primeiro bispo da Igreja, chamado Willian Tarboux, que era americano. O primeiro bispo brasileiro metodista foi César Dacorso Filho, eleito em 1934.
http://pt.wikipedia.org/wiki/Igreja_Metodista

Nivea Soares promove auxílio às vítimas do Rio de Janeiro

0 comentários
A cantora gospel Nivea Soares está mobilizando pessoas através do seu blog e twitter oficiais para auxiliarem às vítimas das chuvas no Rio de Janeiro. Nivea divulgou pontos de doação de diversos itens que serão levados aos necessitados no Rio. Ela tem se empenhado para que as pessoas doem e auxiliem quem está sofrendo neste momento em que a calamidade pública está decretada no Rio.

Confira abaixo texto na íntegra do blog de Nivea Soares e saiba como engajar-se nesta campanha de socorro ao Rio:

Socorro ao Rio!

Tudo o que podemos numa hora tão difícil na vida dos que perderam tudo no Rio de Janeiro é chorar com eles e tentar amenizar um pouco seu sofrimento. Para esse fim isso disponibilizamos alguns centros de doação em igrejas e organizações governamentais. Contamos com sua ajuda nesta hora para sermos as mãos do Senhor e levar socorro aos que necessitam.

DOAÇÃOES DE ROUPAS E ALIMENTOS:

Em Belo Horizonte – Avenida Prudente de Morais, n.º 44 – Sala 503 ou na Rede Super – Avenida Olegário MacielOlegário Maciel, n.º 2181 – Lourdes, Belo Horizonte/MG.

Igreja Evangelica Cristã Aliança: Rua Desembargador Lima Castro, n.º 126 – Loja 106 – Fonseca – Niteroi/RJ – Essa igreja fez parceria com a Associação dos moradores para arrecadações. Quem preferir depositar a doação pode fazer na conta da igreja: Banco Itaú – Ag. 5649 – C/C: 00093-1.

Igreja Metodista em Icaraí: Rua Mariz e Barros, n.º 163, Niterói/RJ – CEP: 2612-1143.

Niterói: (21) 2620-6210 – Conselho Regional de Engenharia e
Arquitetura.

São Gonçalo: (21) 3262-3601 ou 3262-3603 – Secretaria de
Desenvolvimento Social.

A Guarda Municipal também iniciou uma campanha de arrecadação de donativos. A prioridade é arrecadar colchonetes, alimentos não-perecíveis, água e roupas:

* Centro: no Centro Administrativo São Sebastião (sede da Prefeitura – Rua Afonso Cavalcanti, 455, Cidade Nova)

* São Cristóvão: na sede da Guarda (Avenida Pedro II, nº 111)

* Botafogo: na base operacional da GM-Rio (Rua Bambina, nº 37)

* Barra da Tijuca: na 4ª Inspetoria (Avenida Ayrton Senna, nº 2001)

* Madureira: na 6a Inspetoria (Rua Armando Cruz, s/nº)

* Praça Seca: na 7ª Inspetoria (Praça Barão da Taquara, nº 9)

* Lagoa: 2ª Inspetoria (Rua Professor Abelardo Lobo s/nº – embaixo do viaduto Saint Hilaire, na saída do Túnel Rebouças)

* Bangu: na 5ª Inspetoria (Rua Biarritz, s/n)

* Tijuca: na 8ª Inspetoria (Rua Conde de Bonfim, nº 267).

* Campo Grande: na 13ª Inspetoria (Rua Minas de Prata, nº 200)

Ceasa de Irajá: No prédio da administração (Avenida Brasil 19.001, Irajá). Interessados em colaborar também podem entrar em contato pelos telefones (21) 2333-8274 ou 2333-8225 e pelo email: ceasapresidencia@ceasa.rj.gov.br

Praça da Cruz Vermelha 10, no Centro do Rio

Morro dos Macacos: Centro Comunitário Raiz e Vida (Avenida 28 de setembro 406/sala 2,Vila Isabel). Telefone para contato: Márcia Helena, 9633-4982 (fazer contato antes da entrega)

Morro do Borel: Ciep da Rua São Miguel (Borel) ou Posto de Saúde. Telefones para contato: Renata, 9154-4938. Maiores Necessidades: Materiais descartáveis (copo, prato, fraldas etc)

Andaraí: Associação de Moradores João Paulo II (Rua Sá Viana 269, Grajaú). Telefones para contato: Edson, 81859498. Maiores Necessidades: colchonetes, materiais de higiene pessoal, alimentos

Cerro-Corá e Guararapes: Padaria do Geneci (Rua João Delerri 68, Cosme Velho). Telefones para contato: 9189-1904 e 9154-0975 (falar com Fátima). Maiores Necessidades: alimentos (principalmente para bebês: papinhas e leite), roupas, água e calçados para crianças e bebês

Morro do Turano: Colégio Estadual Herbert de Souza (Rua Barão de Itapagipe, próximo ao número 311, Rio Comprido). Telefones para contato: 7896-8200 (Gisele). Maiores necessidades: fralda, absorvente, mamadeira e leite em pó.

Vila Olímpica da Maré – Rua Tancredo Neves, s/n – Maré
Vila Olímpica Carlos Castilho – Estrada do Itararé, 460 – Complexo do Alemão
Centro Esportivo Miécimo da Silva – Rua Olinda Ellis, 470 – Campo Grande;
Vila Olímpica Clara Nunes – Pedro Jório, s/nº – Fazenda Botafogo – Acari;

Acesse o blog da cantora Nívea Soares, clique AQUI.

Fonte: Gospel+/Blog Nívea Soares

Igreja Mundial é acusada de curanderismo e de fazer propaganda política em meio a cultos

0 comentários
O Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) entregou uma representação ao procurador eleitoral Thiago Lemos de Andrade, do Ministério Público Federal, denunciando que o Canal 8 (antiga TV Bandeirantes/Brasil Oeste), arrendada pela Igreja Mundial do Poder de Deus, oferece cura aos fiéis e, nos intervalos, pede voto a candidatos a deputado e a governador. A representação foi entregue ao MPF na semana passada.

“O Canal 8 – TV Brasil Oeste, que funciona em Cuiabá e tem toda a programação ‘vendida’ para uma seita evangélica (Igreja Mundial do Poder de Deus) possui débitos trabalhistas e fiscais, e está sendo usado por pastores que são candidatos a deputado e por pretenso candidato a governador”, afirmou o MCCE em um trecho da representação.

O documento também relata que a Igreja oferece cura milagrosa. “(…) pratica curandeirismo em tempo integral, oferecendo todo tipo de cura milagrosa, bastando que o paciente (fiel) pague o montante devido aos pastores”.

Igreja Mundial do Poder de Deus
O assessor de imprensa e obreiro da Igreja Mundial do Poder de Deus, Milton Rodrigues, disse que é direito constitucional a opção religiosa de cada cidadão. “Gostaríamos que o MCCE e o Ministério Público pudessem averiguar os fatos in loco e observar se existe mesmo charlatanismo ou aquilo que chamamos de fé”, disse Rodrigues.

Sobre utilizar o canal de televisão para divulgação de possíveis candidatos, Milton Rodrigues disse que os pastores trabalham pregando o evangelho e que eles têm se preocupado em seguir as leis eleitorais. A respeito de dívidas trabalhistas, Rodrigues revelou que que a Igreja paga o trabalho dos prestadores de serviço e que tem um projeto para contratação de funcionários com carteira assinada.

“Se tivermos pastor pré-candidato a sociedade irá saber. Outras denominações religiosas apoiam um candidato e tem seu representante, ou na Assembleia Legislativa, no Senado ou Câmara Federal. Nós também temos direito de ter nosso representante”, disse o assessor de imprensa.

Fonte: Mídia News / Gospel+
Via: O Verbo

Pastores e líderes da Assembléia de Deus criticam e reprovam o Clube de R$1000 de Silas Malafaia

0 comentários
O Pastor da Assembléia de Deus, Silas Malafaia no último dia 03 de Abril em parceria com o Pastor da Teologia da Prosperidade, o norte americano Mike Murdock lançou em seu programa um novo desafio chamado Clube de 1 milhão de Almas, com o objetivo de evangelizar, mantendo os programas de televisão e realizando cruzadas e congressos.

Para fazer parte do clube, é preciso plantar uma ‘semente’ voluntária de R$ 1.000,00 e como agradecimento quem ceifar receberá o livro 1001 Chaves de Sabedoria, de Mike Murdock e também um certificado do clube como descrito no hot site da campanha, que inclusive possui um contador de almas conquistadas.

Mas este projeto não está sendo visto com bons olhos pela maioria dos líderes da Assembléia de Deus.

O Pr. Carlos Roberto Silva, vice-presidente executivo da Convenção dos Ministros da Assembléia de Deus do Estado de São Paulo e membro do Conselho de Doutrina da CGADB – Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil, condena a ‘Campanha da Semente de R$ 1.000,00’ do Pr. Silas Malafaia e do Pr. norte americano Mike Murdock lançada em seu programa de TV.

‘Isso é no mínimo lamentável, vergonhoso e desonroso para a nossa denominação. O Pr. Silas Malafaia é hoje um ícone, talvez o único dessa estirpe em mídia nacional, pertencente à nossa querida Assembléia de Deus. A função por ele exercida no mais alto fórum da denominação assembleiana, bem como sua projeção midiática, faz com que ele seja copiado e seguido por muitos em suas peripécias doutrinárias. A carroça está descendo ladeira abaixo, em alta velocidade, sem freio e o pior de tudo: na banguela! Que Deus tenha misericórdia de nós!’ disse o Pr. Carlos Roberto.

Já o Pr. Guedes, auxiliar da Igreja Evangélica Assembléia de Deus e Professor de Teologia da FAESP – Faculdade Evangélica de São Paulo, relata as implicações que a igreja sofre com campanhas como esta.

‘Primeiro, as pessoas passam a acreditar que com a “semente” lançada, estarão isentas de pregarem o evangelho, porque já fizeram a sua parte. Ou seja, repassaram essa responsabilidade ao evangelista da tv; Segundo, caem na mais nova falácia: semente e não oferta (ou semente como oferta). Ora, todos sabemos que a oferta é voluntária e não se espera retorno por doá-la, mas a semente tem em si a linguagem da colheita do fruto, logo, quem oferta não espera receber de Deus e nem O cobra, mas quem lança sementes terá, segundo essa teologia, o direito de cobrar de Deus os desdobramentos de seu plantio; Terceiro, muitos cristãos incautos que nunca contribuíram com suas igrejas locais, vêem-se “constrangidos”, “movidos” a contribuírem com o ministério do “homem de Deus”, visto que ele é o homem que Deus levantou para essa tarefa’, e completou: ‘esse tipo de teologia envenena nossa sã doutrina, causando danos em nossos posicionamentos doutrinários e teológicos. É elitista, discriminatória e põe Deus em uma tremenda “saia justa”, pois somente quem tem R$ 1.000,00 é que pode ser abençoado’.

Fonte: O Galileo / Gospel+

Cinco por cento dos cristãos do planeta sofrem perseguição

0 comentários
Dos 2 bilhões de cristãos no mundo, pelo menos 100 milhões sofrem algum tipo de opressão ou perseguição, de modo especial em países islâmicos. O dado é da ONG Missão Portas Abertas.
“As coisas parecem estar piorando”, disse Ângela Wu, diretora internacional do Departamento Legal do Fundo Becket para a Liberdade Religiosa, com sede em Washington.


Os fatos justificam a observação de Wu. Na quarta-feira da semana passada, dez atiradores invadiram escritório da Visão Mundial em Mansehra, distrito ao norte de Islamabad, capital do Paquistão, matando seis funcionários e ferindo outros sete. O governo do Marrocos expulsou, no início do mês, 26 cristãos, a maioria evangélicos, acusados de proselitismo. Em fevereiro, pelo menos oito cristãos foram assassinados na região de Mosul, no Iraque. No Egito, oito cristãos coptas foram mortos a tiros quando saíam de missa, num domingo, em janeiro.


“Embora tenha surgido no Oriente Próximo, o cristianismo é visto como influência estrangeira ocidental em muitos lugares do mundo”, explicou Wu.

De acordo com levantamento da Missão Portas Abertas, que abrange o período de novembro de 2008 a outubro de 2009, a Coréia do Norte desponta na classificação de países por perseguição. Comentam, inclusive, que cristãos foram usados como cobaias para testes de armas químicas e biológicas realizadas no país. Em segundo lugar aparece o Irã, onde templos foram fechados no ano passado e estima-se que 85 cristãos estejam presos. O islã é a religião oficial no Irã, e todas as leis devem ser compatíveis com a interpretação oficial da sharia (lei islâmica). Seguem-se na lista dos dez países onde a liberdade religiosa é letra morta: Arábia Saudita, Somália, Maldivas, Afeganistão, Iêmen, Mauritânia, Laos e o Uzbequistão.

Em pesquisa realizada entre metade de 2006 e metade de 2008, em 198 países, o Pew Fórum on Religion & Public Life, de Washington, concluiu que 70% dos 6,8 bilhões de habitantes do planeta vivem em nações com alguns ou elevados limites à liberdade religiosa. Apenas 15% da população vivem em países onde a manifestação religiosa é livre.


Essa pesquisa arrola também a China e a Índia entre os países com restrições religiosas. O Pew Fórum faz uma distinção entre países nos quais os governos impõem restrições e países onde a população discrimina quem não se alinha à religião hegemônica.
Na China e no Vietnã, são governos que restringem a liberdade religiosa. Na China, as restrições atingem budistas do Tibete, muçulmanos do Uighur, e cristãos, que sequer são registrados.

Se os governos da Nigéria e de Bangladesh se mostram moderados, é a sociedade civil que explode contra seguidores de uma ou outra religião. O mesmo ocorre na Índia, onde as hostilidades são perpetradas mais por grupos sociais do que pelo governo. Na lista do Pew Fórum a Arábia Saudita aparece em primeiro lugar porque no país tanto autoridades quanto população são hostis às religiões “inimigas”. Governos do Sri Lanka, Myanmar e Camboja defendem uma só religião, o budismo, reprimindo as outras. No país mais islâmico do mundo, a Indonésia, os muçulmanos Ahmadi são os oprimidos, enquanto na Turquia são os muçulmanos Alevi.


Mapa desenhado pelo Pew Fórum mostra que os países que apresentam maior liberdade religiosa são aqueles onde o cristianismo é majoritário: Europa, Américas, Austrália e África subsaariana. Na Grécia, porém, só os cristãos ortodoxos, os judeus e os muçulmanos podem se organizar como religião e deter propriedades. Estatística da Missão Portas Abertas indica que de cada 100 pessoas no mundo 19 são muçulmanas, 18 não têm religião, 17 são católicas, 17 são ortodoxas, anglicanas, protestantes, evangélicas e pentecostais, 14 são hindus e seis são budistas.

Fonte: ALC

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Pr. Jabes de Alencar entrega direção da AD Bom Retiro ao filho e a mentoria de Silas Malafaia

0 comentários
Foi decidido nesta terça-feira à noite o rumo da Assembléia de Deus Bom Retiro. Em Assembléia Geral decidiu-se por unanimidade que o pastor Jabes de Alencar deixará a presidência da igreja para se tratar nos Estados Unidos. Dayan Alencar, filho de Jabes, assume interinamente sendo mentoriado pelo pastor e amigo, Silas Malafaia.

A decisão de se afastar da diretoria executiva partiu após problemas de saúde de Jabes. Recentemente o pastor da Assembléia de Deus passou mal durante um evento em Foz do Iguaçu (PR). Em 2008 o pastor e conferencista passou mal e desmaiou em um hotel que estava pregando com princípio de AVC. Devido ao problema colocou um catéter no hospital Albert Einstein em São Paulo.

O estresse acarretou problemas cardíacos e diverticulite. Os outros problemas de saúde não foram divulgados oficialmente. O que se sabe é que Jabes de Alencar está embarcando para os Estados Unidos. Deverá passar um período na casa da filha em Dallas. O afastamento, que segundo o próprio conferencista durará até três meses, é por tempo indeterminado, indicam algumas pessoas.

Na assembléia ficou decidido que Dayan Alencar assumirá interinamente a presidência com desafio de manter o pique durante o afastamento. Ele também responderá juridicamente pelo ministério. Silas Malafaia ministrará durante as quartas feiras e Santa Ceia, dando mentoria.

Fonte: Creio / Gospel Prime

A Crucificação de Cristo, a partir de um ponto de vista médico

0 comentários
Lendo o livro de Jim Bishop “O Dia Que Cristo Morreu”, eu percebi que durante vários anos eu tinha tornado a crucificação de Jesus mais ou menos sem valor, que havia crescido calos em meu coração sobre este horror, por tratar seus detalhes de forma tão familiar - e pela amizade distante que eu tinha com nosso Senhor. Eu finalmente havia percebido que, mesmo como médico, eu não entendia a verdadeira causa da morte de Jesus. Os escritores do evangelho não nos ajudam muito com este ponto, porque a crucificação era tão comum naquele tempo que, aparentemente, acharam que uma descrição detalhada seria desnecessária. Por isso só temos as palavras concisas dos evangelistas “Então, Pilatos, após mandar açoitar a Jesus, entregou-o para ser crucificado.”

Eu não tenho nenhuma competência para discutir o infinito sofrimento psíquico e espiritual do Deus Encarnado que paga pelos pecados do homem caído. Mas parecia a mim que como um médico eu poderia procurar de forma mais detalhada os aspectos fisiológicos e anatômicos da paixão de nosso Senhor. O que foi que o corpo de Jesus de Nazaré de fato suportou durante essas horas de tortura?

Dados históricos

Isto me levou primeiro a um estudo da prática de crucificação, quer dizer, tortura e execução por fixação numa cruz. Eu estou endividado a muitos que estudaram este assunto no passado, e especialmente para um colega contemporâneo, Dr. Pierre Barbet, um cirurgião francês que fez uma pesquisa histórica e experimental exaustiva e escreveu extensivamente no assunto.

Aparentemente, a primeira prática conhecida de crucificação foi realizado pelos persas. Alexandre e seus generais trouxeram esta prática para o mundo mediterrâneo--para o Egito e para Cartago. Os romanos aparentemente aprenderam a prática dos cartagineses e (como quase tudo que os romanos fizeram) rapidamente desenvolveram nesta prática um grau muito alto de eficiência e habilidade. Vários autores romanos (Lívio, Cícero, Tácito) comentam a crucificação, e são descritas várias inovações, modificações, e variações na literatura antiga.

Por exemplo, a porção vertical da cruz (ou “stipes”) poderia ter o braço que cruzava (ou “patibulum”) fixado cerca de um metro debaixo de seu topo como nós geralmente pensamos na cruz latina. A forma mais comum usada no dia de nosso Senhor, porém, era a cruz “Tau”, formado como nossa letra “T”. Nesta cruz o patibulum era fixado ao topo do stipes. Há evidência arqueológica que foi neste tipo de cruz que Jesus foi crucificado. Sem qualquer prova histórica ou bíblica, pintores Medievais e da Renascença nos deram o retrato de Cristo levando a cruz inteira. Mas o poste vertical, ou stipes, geralmente era fixado permanentemente no chão no local de execução. O homem condenado foi forçado a levar o patibulum, pesando aproximadamente 50 quilos, da prisão para o lugar de execução.

Muitos dos pintores e a maioria dos escultores de crucificação, também mostram os cravos passados pelas palmas. Contos romanos históricos e trabalho experimental estabeleceram que os cravos foram colocados entre os ossos pequenos dos pulsos (radial e ulna) e não pelas palmas. Cravos colocados pelas palmas sairiam por entre os dedos se o corpo fosse forçado a se apoiar neles. O equívoco pode ter ocorrido por uma interpretação errada das palavras de Jesus para Tomé, “vê as minhas mãos”. Anatomistas, modernos e antigos, sempre consideraram o pulso como parte da mão.

Um titulus, ou pequena placa, declarando o crime da vítima normalmente era colocado num mastro, levado à frente da procissão da prisão, e depois pregado à cruz de forma que estendia sobre a cabeça. Este sinal com seu mastro pregado ao topo teria dado à cruz um pouco da forma característica da cruz latina.

O suor como gotas de sangue

O sofrimento físico de Jesus começou no Getsêmani. Em Lucas diz: "E, estando em agonia, orava mais intensamente. E aconteceu que o seu suor se tornou como gotas de sangue caindo sobre a terra." (Lc 22:44) Todos os truques têm sido usados por escolas modernas para explicarem esta fase, aparentemente seguindo a impressão que isto não podia acontecer. No entanto, consegue-se muito consultando a literatura médica. Apesar de muito raro, o fenômeno de suor de sangue é bem documentado. Sujeito a um stress emocional, finos capilares nas glândulas sudoríparas podem se romper, misturando assim o sangue com o suor. Este processo poderia causar fraqueza e choque. Atenção médica é necessária para prevenir hipotermia.

Após a prisão no meio da noite, Jesus foi levado ao Sinédrio e Caifás o sumo sacerdote, onde sofreu o primeiro traumatismo físico. Jesus foi esbofeteado na face por um soldado, por manter-se em silêncio ao ser interrogado por Caifás. Os soldados do palácio tamparam seus olhos e zombaram dele, pedindo para que identificasse quem o estava batendo, e esbofeteavam a Sua face.

A condenação

De manhã cedo, Jesus, surrado e com hematomas, desidratado, e exausto por não dormir, é levado ao Pretório da Fortaleza Antônia, o centro de governo do Procurador da Judéia, Pôncio Pilatos. Você deve já conhecer a tentativa de Pilatos de passar a responsabilidade para Herodes Antipas, tetrarca da Judéia. Aparentemente, Jesus não sofreu maus tratos nas mãos de Herodes e foi devolvido a Pilatos. Foi em resposta aos gritos da multidão que Pilatos ordenou que Bar-Abbas fosse solto e condenou Jesus ao açoite e à crucificação.

Há muita diferença de opinião entre autoridades sobre o fato incomum de Jesus ser açoitado como um prelúdio à crucificação. A maioria dos escritores romanos deste período não associam os dois. Muitos peritos acreditam que Pilatos originalmente mandou que Jesus fosse açoitado como o castigo completo dele. A pena de morte através de crucificação só viria em resposta à acusação da multidão de que o Procurador não estava defendendo César corretamente contra este pretendente que supostamente reivindicou ser o Rei dos judeus.

Os preparativos para as chicotadas foram realizados quando o prisioneiro era despido de suas roupas, e suas mãos amarradas a um poste, acima de sua cabeça. É duvidoso se os Romanos teriam seguido as leis judaicas quanto às chicotadas. Os judeus tinham uma lei antiga que proibia mais de 40 (quarenta) chicotadas.

O açoite

O soldado romano dá um passo a frente com o flagrum (açoite) em sua mão. Este é um chicote com várias tiras pesadas de couro com duas pequenas bolas de chumbo amarradas nas pontas de cada tira. O pesado chicote é batido com toda força contra os ombros, costas e pernas de Jesus. Primeiramente as pesadas tiras de couro cortam apenas a pele. Então, conforme as chicotadas continuam, elas cortam os tecidos debaixo da pele, rompendo os capilares e veias da pele, causando marcas de sangue, e finalmente, hemorragia arterial de vasos da musculatura.

As pequenas bolas de chumbo primeiramente produzem grandes, profundos hematomas, que se rompem com as subseqüentes chicotadas. Finalmente, a pele das costas está pendurada em tiras e toda a área está uma irreconhecível massa de tecido ensangüentado. Quando é determinado, pelo centurião responsável, que o prisioneiro está a beira da morte, então o espancamento é encerrado.

Então, Jesus, quase desmaiando é desamarrado, e lhe é permitido cair no pavimento de pedra, molhado com Seu próprio sangue. Os soldados romanos vêm uma grande piada neste Judeu, que se dizia ser o Rei. Eles atiram um manto sobre os seus ombros e colocam um pau em suas mãos, como um cetro. Eles ainda precisam de uma coroa para completar a cena. Um pequeno galho flexível, coberto de longos espinhos é enrolado em forma de uma coroa e pressionado sobre Sua cabeça. Novamente, há uma intensa hemorragia (o couro do crânio é uma das regiões mais irrigadas do nosso corpo).

Após zombarem dele, e baterem em sua face, tiram o pau de suas mãos e batem em sua cabeça, fazendo com que os espinhos se aprofundem em sua cabeça. Finalmente, cansado de seu sádico esporte, o manto é retirado de suas costas. O manto, por sua vez, já havia aderido ao sangue e grudado nas feridas. Como em uma descuidada remoção de uma atadura cirúrgica, sua retirada causa dor toturante. As feridas começam a sangrar como se ele estivesse apanhando outra vez.
A cruz

Em respeito ao costume dos judeus, os romanos devolvem a roupa de Jesus. A pesada barra horizontal da cruz á amarrada sobre seus ombros, e a procissão do Cristo condenado, dois ladrões e o destacamento dos soldados romanos para a execução, encabeçado por um centurião, começa a vagarosa jornada até o Gólgota. Apesar do esforço de andar ereto, o peso da madeira somado ao choque produzido pela grande perda de sangue, é demais para ele. Ele tropeça e cai. As lascas da madeira áspera rasgam a pele dilacerada e os músculos de seus ombros. Ele tenta se levantar, mas os músculos humanos já chegaram ao seu limite.

O centurião, ansioso para realizar a crucificação, escolhe um observador norte-africano, Simão, um Cirineu, para carregar a cruz. Jesus segue ainda sangrando, com o suor frio de choque. A jornada de mais de 800 metros da fortaleza Antônia até Gólgota é então completada. O prisioneiro é despido - exceto por um pedaço de pano que era permitido aos judeus.

A crucificação

A crucificação começa: Jesus é oferecido vinho com mirra, um leve analgésico. Jesus se recusa a beber. Simão é ordenado a colocar a barra no chão e Jesus é rapidamente jogado de costas, com seus ombros contra a madeira. O legionário procura a depressão entre os osso de seu pulso. Ele bate um pesado cravo de ferro quadrado que traspassa o pulso de Jesus, entrando na madeira. Rapidamente ele se move para o outro lado e repete a mesma ação, tomando o cuidado de não esticar os ombros demais, para possibilitar alguma flexão e movimento. A barra da cruz é então levantada e colocado em cima do poste, e sobre o topo é pregada a inscrição onde se lê: "Jesus de Nazaré, Rei dos Judeus".

O pé esquerdo agora é empurrado para trás contra o pé direito, e com ambos os pés estendidos, dedos dos pés para baixo, um cravo é batido atraves deles, deixando os joelhos dobrados moderadamente. A vítima agora é crucificada. Enquanto ele cai para baixo aos poucos, com mais peso nos cravos nos pulsos a dor insuportável corre pelos dedos e para cima dos braços para explodir no cérebro – os cravos nos pulsos estão pondo pressão nos nervos medianos. Quando ele se empurra para cima para evitar este tormento de alongamento, ele coloca seu peso inteiro no cravo que passa pelos pés. Novamente há a agonia queimando do cravo que rasga pelos nervos entre os ossos dos pés.

Neste ponto, outro fenômeno ocorre. Enquanto os braços se cansam, grandes ondas de cãibras percorrem seus músculos, causando intensa dor. Com estas cãibras, vem a dificuldade de empurrar-se para cima. Pendurado por seus braços, os músculos peitorais ficam paralisados, e o músculos intercostais incapazes de agir. O ar pode ser aspirado pelos pulmões, mas não pode ser expirado. Jesus luta para se levantar a fim de fazer uma respiração. Finalmente, dióxido de carbono é acumulado nos pulmões e no sangue, e as cãibras diminuem. Esporadicamente, ele é capaz de se levantar e expirar e inspirar o oxigênio vital. Sem dúvida, foi durante este período que Jesus consegui falar as sete frases registradas:

Jesus olhando para os soldados romanos, lançando sorte sobre suas vestes disse: "Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem. " (Lucas 23:34)

Ao ladrão arrependido, Jesus disse: "Em verdade te digo que hoje estarás comigo no paraíso." (Lucas 23:43)

Olhando para baixo para Maria, sua mãe, Jesus disse: “Mulher, eis aí teu filho.” E ao atemorizado e quebrantado adolescente João, “Eis aí tua mãe.” (João 19:26-27)

O próximo clamor veio do início do Salmo 22, “Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?”

Ele passa horas de dor sem limite, ciclos de contorção, câimbras nas juntas, asfixia intermitente e parcial, intensa dor por causa das lascas enfiadas nos tecidos de suas costas dilaceradas, conforme ele se levanta contra o poste da cruz. Então outra dor agonizante começa. Uma profunda dor no peito, enquanto seu pericárdio se enche de um líquido que comprime o coração.

Lembramos o Salmo 22 versículo 14 “Derramei-me como água, e todos os meus ossos se desconjuntaram; meu coração fez-se como cera, derreteu-se dentro de mim.”

Agora está quase acabado - a perda de líquidos dos tecidos atinge um nível crítico - o coração comprimido se esforça para bombear o sangue grosso e pesado aos tecidos - os pulmões torturados tentam tomar pequenos golpes de ar. Os tecidos, marcados pela desidratação, mandam seus estímulos para o cérebro.

Jesus clama “Tenho sede!” (João 19:28)

Lembramos outro versículo do profético Salmo 22 “Secou-se o meu vigor, como um caco de barro, e a língua se me apega ao céu da boca; assim, me deitas no pó da morte.”

Uma esponja molhada em “posca”, o vinho azedo que era a bebida dos soldados romanos, é levantada aos seus lábios. Ele, aparentemente, não toma este líquido. O corpo de Jesus chega ao extremo, e ele pode sentir o calafrio da morte passando sobre seu corpo. Este acontecimento traz as suas próximas palavras - provavelmente, um pouco mais que um torturado suspiro “Está consumado!”. (João 19:30)

Sua missão de sacrifício está concluída. Finalmente, ele pode permitir o seu corpo morrer.

Com um último esforço, ele mais uma vez pressiona o seu peso sobre os pés contra o cravo, estica as suas pernas, respira fundo e grita seu último clamor: “Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito!” (Lucas 23:46).

O resto você sabe. Para não profanar a Páscoa, os judeus pediam para que o réus fossem despachados e removidos das cruzes. O método comum de terminar uma crucificação era por crucificatura, quebrando os ossos das pernas. Isto impedia que a vítima se levantasse, e assim eles não podiam aliviar a tensão dos músculos do peito e logo sufocaram. As pernas dos dois ladrões foram quebradas, mas, quando os soldados chegaram a Jesus viram que não era necessário.

Conclusão

Aparentemente, para ter certeza da morte, um soldado traspassou sua lança entre o quinto espaço das costelas, enfiado para cima em direção ao pericárdio, até o coração. O verso 34 do capítulo 19 do evangelho de João diz: "E imediatamente verteu sangue e água." Isto era saída de fluido do saco que recobre o coração, e o sangue do interior do coração. Nós, portanto, concluímos que nosso Senhor morreu, não de asfixia, mas de um enfarte de coração, causado por choque e constrição do coração por fluidos no pericárdio.

Assim nós tivemos nosso olhar rápido – inclusive a evidência médica – daquele epítome de maldade que o homem exibiu para com o Homem e para com Deus. Foi uma visão terrível, e mais que suficiente para nos deixar desesperados e deprimidos. Como podemos ser gratos que nós temos o grande capítulo subseqüente da clemência infinita de Deus para com o homem – o milagre da expiação e a expectativa da manhã triunfante da Páscoa.

© Copyright C. Truman Davis

C. Truman Davis é um Oftalmologista nacionalmente respeitado, vice-presidente da Associação Americana de Oftalmologia, e uma figura ativa no movimento de escolas Cristãs. Ele é o fundador e presidente do excelente Trinity Christian School em Mesa, Arizona, e um docente do Grove City College.

[Esta tradução foi realizada para o site www.hermeneutica.com baseada em várias versões deste relato em inglês e traduções em português. Não há restrição quanto à reprodução desta versão do relato médico. No entanto, pedimos que os interessados tenham a consideração de preservar as referencias à autoria original e uma referencia ao site da www.hermeneutica.com]

Ódio muçulmano expulsa judeus de uma das maiores cidades da Suécia

0 comentários
Marcus Eilenberg reside em Malmo, uma das maiores cidades da Suécia. Ele é um judeu sueco cujas raízes de família em Malmo são profundas. Seus avós por parte de pai eram sobreviventes do Holocausto e foram acolhidos em Malmo em 1945, quando havia ainda influência evangélica luterana entre os suecos. Os pais de sua esposa fugiram da Polônia comunista na década de 1960 e foram morar na Suécia.
Agora, Marcus, que tem 32 anos e é sócio de um escritório de advocacia, sente que o acolhimento aos judeus está chegando ao fim. Ele, sua esposa e dois filhos estarão mudando para Israel em maio. Outros 15 judeus estão partindo pela mesma razão.
A razão, diz ele, é o aumento de crimes de ódio contra os judeus em Malmo, e uma sensação de que as autoridades locais estão com pouca vontade de lidar com um problema que está mostrando ser uma mancha na imagem de uma Suécia tolerante que acolhe grupos étnicos oprimidos.
Conforme o rabino Shneur Kesselman, 99 por cento das ameaças contra os judeus estão vindo dos muçulmanos.
Há aproximadamente 60.000 muçulmanos em Malmo. O número de judeus é 700 e diminuindo. Duas décadas atrás, era o dobro disso.
Os judeus de Malmo dizem que sentem pouco apoio do prefeito Ilmar Reepalu, um esquerdista que disse para um jornal sueco em janeiro que na opinião dele a onda antissemita estava vindo de grupos da extrema-direita. Ele também culpou os judeus que apoiaram Israel em suas medidas contra o terrorismo islâmico.
Além de culpar os próprios judeus, o prefeito diz que é preciso levar em consideração a discriminação contra os muçulmanos que vestem roupas islâmicas. Ele diz: “Eles são expostos a todos os tipos de preconceito”.
O líder de mesquita Becirov usou linguagem semelhante, dizendo que os “muçulmanos também são expostos à islamofobia”.
Ele fez uma lista de incidentes contra sua mesquita depois dos ataques terroristas islâmicos contra os EUA em 11 de setembro de 2001.
Traduzido, adaptado e editado por Julio Severo a partir de matéria do jornal americano Washington Times.
Fonte: www.juliosevero.com

sábado, 3 de abril de 2010

Cristo morreu numa quarta-feira

0 comentários
(não na "sexta-feira santa", dos católicos)

"Regra de Ouro" da interpretação é:

"Quando a interpretação direta-imediata e literal das Escrituras faz sentido, não procure nenhuma outra interpretação. Portanto, interprete cada palavra no seu sentido literal, usual, costumeiro e mais comumente usado, a não ser que os fatos do contexto imediato indiquem claramente o contrário, quando estudados à luz de passagens correlatas e de verdades fundamentais e axiomáticas." (Dr. David L. Cooper).
A Interpretação segundo esta regra é chamada de Interpretação Literal-Gramatical, e: é a única interpretação que honra e é consistente com a soma de tudo que Deus diz sobre a Sua própria Palavra Escrita; é a única interpretação aceitável pelos verdadeiros crentes; é a única interpretação usada antes de Orígenes ter contaminado a cristandade com a mortal peçonha do alegorismo).

À luz desta regra de ouro da interpretação, examinemos Mateus 12:40:

"...assim estará o Filho do homemtrês dias e três noites no seio da terra" (Mateus 12:40).

Ora, este verso clara e irresistivelmente demole a teoria de que Cristo morreu numa sexta-feira. Se tivesse sido assim, Ele teria ficado no seio da terra somente 2 noites (da sexta para o sétimo dia e do sétimo dia para o domingo)!

Portanto, Cristo teria errado ou mentido ao proferir a profecia acima, e não poderia ser Deus, uma vez que é impossível que Deus minta ou erre!

Ah, você pergunta: "Mas isto não se choca com Marcos 15:42, com Lucas 23:54, 56, e com João 19:31??? Que ensinam que o dia subseqüente ao da crucificação foi um sétimo dia??? Se o dia seguinte foi um sétimo dia, então não tem o dia da crucificação de ter sido uma sexta-feira???..."

"Ao cair da tarde, como era o dia da preparação, isto é, a véspera do sábado". (Marcos 15:42).

"E era o dia da preparação, e amanhecia o sábado". (Lucas 23:54).

"Então voltaram e prepararam especiarias e ungüentos. E no sábado repousaram, conforme o mandamento". (Lucas 23:56).

"Ora, os judeus, como era a preparação, e para que no sábado não ficassem os corpos na cruz, pois era grande aquele dia de sábado, rogaram a Pilatos que se lhes quebrassem as pernas, e fossem tirados dali.". (João 19:31).

Não e não. A palavra "sábado", usada em Marcos 15:42, Lucas 23:54,56 e João 19:31 (acima), somente tinha um sentido literal-gramatical OBRIGATÓRIO, que é o de "cessação, repouso dos trabalhos". Portanto, a palavra "sábado" podia ser e era usualmente aplicada em dois sentidos:

tanto (1) ao sétimo dia da semana...

"Lembra-te do dia do sábado, para o santificar. Seis dias trabalharás, e farás todo o teu trabalho; mas o sétimo dia é o sábado do Senhor teu Deus. Nesse dia não farás trabalho algum, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o estrangeiro que está dentro das tuas portas. Porque em seis dias fez o Senhor o céu e a terra, o mar e tudo o que neles há, e ao sétimo dia descansou; por isso o Senhor abençoou o dia do sábado, e o santificou". (Êxodo 20:8-11).

quanto (2) a um outro dia qualquer, desde que Deus também tivesse ordenado que fosse de cessação dos trabalhos (no caso em pauta, que é o dia da preparação ou primeiro dia da Festa dos Asmos, Deus determinara cessação dos trabalhos nele, "E aos quinze dias do mesmo mês haverá festa; por sete dias se comerão pães ázimos. No primeiro dia haverá santa convocação; nenhum trabalho servil fareis". (Números 28:17-18).

Ora, uma vez que Mateus 12:40 só tem um sentido literal-gramatical possível (três dias literais mais 3 noites literais), FICA DEFINITIVAMENTE DEMOLIDA A TEORIA DA CRUCIFICAÇÃO NA SEXTA-FEIRA.

Portanto, sob a luz de Mateus 12:40, já podemos concluir, com toda segurança, que a crucificação só pode ter sido numa quarta-feira ou numa quinta-feira. Analisemos mais estas duas únicas outras possibilidades:

a) Crucificação na quinta-feira (se o dia de repouso, correspondente ao 1° dia dos Asmos, caiu numa sexta-feira):

Neste caso, as três noites seriam:

1 - a da quinta-feira para a sexta-feira,
2 - a da sexta-feira para o sétimo dia, e
3 - a do sétimo dia para o domingo,

e os três dias (períodos de luz do sol) não seriam completos, mas seriam aproximadamente assim:

1 - finzinho da tarde da sexta-feira (o embalsamamento do corpo do Senhor e o lacramento da 2 pedra (porta do túmulo) teriam que ter sido feitos antes do anoitecer);
2 - todo o dia (período de luz de sol) do sétimo dia; e
3 - comecinho do dia (período de luz do sol) do domingo.

Isto acarreta dois problemas incontornáveis. O primeiro problema é que Cristo teria ficado sob o seio da terra desde algo depois das 3:00 h da tarde da quinta feira, até pouco depois do raiar do sol do domingo, no máximo 62 a 64 horas. O segundo problema, de gravidade irresistível, é que João, o apóstolo, diz que Cristo já ressuscitara quando ainda era escuro! "E no primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao sepulcro de madrugada, sendo ainda escuro, e viu a pedra tirada do sepulcro". (João 20:1). Assim, não houve sequer o "3 - comecinho do dia (período de luz do sol) do domingo"! Então FICA DEFINITIVAMENTE DEMOLIDA A TEORIA DA CRUCIFICAÇÃO NA QUINTA-FEIRA.

b) Crucificação na quarta-feira (se o dia de repouso, correspondente ao 1° dia dos Asmos, caiu numa quinta-feira):

Analise a cronologia a seguir, e veja como ela se enquadra natural e perfeitamente com toda a Bíblia:

- Cristo morreu na quarta-feira;
- A tumba, após o longo embalsamamento do corpo de Cristo, foi fechada e lacrada, provavelmente próximo ao raiar o sol da quinta-feira (é exatamente no instante do fechamento da tumba que começaram os 3 dias e 3 noites profetizados em Mateus 12:40). Explicação: estar no seio da terra pode significar estar totalmente envolto por ela, profundamente sob ela, fechado por ela, a porta fechada; assim, os 3 períodos de 24 horas somente são contados entre o fechamento da porta e a saída de Jesus ressuscitado); e

- Cristo ressuscitou 72 horas depois do lacramento da porta, provavelmente próximo ao raiar o sol do domingo; logo após, retirou-se atravessando a pedra do monte ou da porta; só depois a pedra-porta do túmulo foi removida (não para dar passagem ao corpo glorificado de Cristo, que podia atravessar matéria, mas sim para os soldados verem o milagre; e para as mulheres, Pedro e João verem o túmulo vazio e até entrarem nele, para testificarem).

Para maior clareza, vamos repetir:

As 3 noites, totalizando 36 horas, podem ter sido:
- a da quinta-feira para a sexta-feira (18:00 às 6:00 horas = 12 horas);
- a da sexta-feira para o sétimo dia (18:00 às 6:00 horas = 12 horas); e
- a do sétimo dia para o domingo (18:00 às 6:00 horas = 12 horas).


E os 3 dias (períodos de sol), totalizando 36 horas, podem ter sido:
- o da quinta-feira (6:00 às 18:00 horas = 12 horas);
- o da sexta-feira (6:00 às 18:00 horas = 12 horas); e
- o do sétimo dia (6:00 às 18:00 horas = 12 horas).

Tudo isto casa com o fato de que, segundo complexos relacionamentos das mudanças de calendário e cuidadosos cálculos astronômicos (a páscoa dependia do ciclo lunar) os mais cuidadosos estudiosos determinaram que o dia 15 do mês de Nissan do ano 32 (começo da festa dos Asmos) foi uma quinta-feira, mas foi também um sábado (dia santificado para cessação de trabalhos e repouso, por ser o 1o. dia da festa dos pães asmos), de modo que o dia da quarta-feira, sua véspera, podia ser legitimamente chamado de "véspera do sábado".

FICA DEFINITIVAMENTE PROVADO QUE A CRUCIFICAÇÃO DE CRISTO FOI NUMA "QUARTA-FEIRA"

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Anna Carolina Jatobá, madrasta da Isabella Nardoni, diz ter se convertido e pedido para ser batizada

0 comentários
Nesta segunda-feira (22/03) teve início o julgamento de Anna Carolina Jatobá e Alexandre Nardoni, conhecidos como o “casal Nardoni”, acusados de matar Isabela Nardoni, filha de Alexandre. De acordo com o Ministério Público, Jatobá esganou Isabella e Alexandre a jogou pela janela do sexto andar do apartamento onde o casal morava, em Santana, na Zona Norte da capital. O crime ocorreu em 29 de março de 2008. A Promotoria diz que houve uma discussão antes da morte da criança. O casal Nardoni alegou inocência sustentando a idéia de que um ladrão matou a menina. Essa terceira pessoa nunca foi encontrada pela polícia.

Presos na cadeia de Tremembé (SP) desde o ocorrido, o casal segue uma rotina de serviços diários prestados na própria penitenciária. Porém, os hábitos de Anna Carolina Jatobá são diferentes dos de Alexandre. Suas atividades diárias incluem oração e freqüência em cultos evangélicos.

Desde que foi presa, Jatobá já haveria pedido ao pastor da penitenciária para ser batizada, mas o pastor alegou que ainda não era o momento porque ela não estava preparada.

Jatobá divide a cela de 12m2 com mais quatro evangélicas e é vista com freqüência fazendo orações. Funcionários do presídio alegaram que Jatobá não fala muito e que, por isso, ganhou confiança, sendo chamada de “Aninha”.

Segundo uma reportagem da revista Veja em 2008, o fato de Ana Carolina ter virado evangélica seria para ter proteção, já que o tipo de crime de que foi acusada não é “aceito” por outros detentos. A “lei” dos detentos rege que pessoas convertidas à religião evangélica têm imunidade desde que não entrem pela disputa do poder dentro da cadeia.

A reportagem ainda afirma que antes de ser presa, Ana Carolina afirmava ser católica, porém lia sobre espiritismo. Depois que foi presa e virou evangélica ela freqüenta cultos, ora e faz parte do coral.

Anna Carolina Jatobá evangélica e ciumenta
A mãe de Isabela e ex-mulher de Alexandre Nardoni, Ana Carolina Oliveira afirmou que acredita na condenação do casal. Em entrevista concedida ao portal de notícias G1, da Rede Globo, Ana Carolina Oliveira afirmou que o ciúmes de Jatobá matou sua filha.

“Eu sei tudo sobre a minha filha e a criança meiga, alegre e carinhosa que ela era. Convivi bastante tempo também com o Alexandre e sua família, conheço seu comportamento; sofri com os ciúmes da Anna Jatobá e posso dizer que, infelizmente, foi esse ciúme que levou a minha filha…”, disse Oliveira.

Um dos depoimentos da mãe de Isabella dados ao juiz Maurício Fossen, ainda na fase de instrução, em 2009, já mostrava a preocupação de Ana Carolina Oliveira com os ciúmes de Jatobá. De acordo com seu relato, a madrasta tinha ciúmes de Alexandre por causa do relacionamento que ele teve com Ana Carolina Oliveira. No entender da mãe de Isabella, sua filha pagou por isso com a vida. Foi a avó de Isabella, Rosa Oliveira, quem afirmou à Justiça no ano passado que Jatobá tinha raiva da menina.

De acordo com o depoimento de Rosa, para evitar que Alexandre conversasse por telefone com Ana Carolina Oliveira sobre questões relacionadas a Isabella, Jatobá passou a cuidar desses assuntos. Há relatos de que Jatobá falava com Oliveira, por exemplo, sobre quando pegar Isabella na escola. A pensão para a menina era discutida com o avó paterno, Antonio Nardoni.

Caso Anna Carolina Jatobá seja considerada culpada cumprirá pena de 12 a 30 anos por Homicídio Doloso (quando há a intenção de matar) triplamente qualificado por meio cruel (asfixia).

Fonte: Gospel+
Loading...
 

Copyright 2008 All Rights Reserved Revolution Two Church theme by Brian Gardner Converted into Blogger Template by Bloganol dot com