domingo, 28 de fevereiro de 2010

Como gravar um CD? Apresentação: banda Unlife

0 comentários
Prestes a lançar seu primeiro album, a Unlife esteve com seu status definido como "Ausente" nos últimos meses exatamente por estar enfurnada em um estúdio tentando fazer seu barulho soar "agradável"! Com a ajuda de Marcello Pompeu e Heros Trench (vocalista e guitarrista da banda de thrash metal Korzus) a banda está produzindo seu primeiro trabalho "full-lenght" intitulado Christian Democracy. Apesar da dúvida "produtores de thrash metal soam agradáveis?" pairar no ar, por trás das caras de mal os caras carregam 2 grammys pelo último cd do Oficina G3, "Depois da Guerra", ou seja: cara feia, às vezes, é fome mesmo!

Berros, vocais limpos, solos de guitarra e bateria marcante, é dificil enquadrar a Unlife em um genero (só), mas o trabalho dos caras com a direção certa está realmente muito diferente do que ouviamos a um ano atrás. Começando pelas letras, agora em português, e depois pela presença cada vez mais marcante da japonesinha, Marina Kawahara, que de pequena só tem a estátura já que o talento é enorme.

Todo o processo de gravação em estúdio foi filmado e editado em uma espécie de "diário de gravação" que pode ser conferido nos links abaixo:

Studio Update #1 - http://www.youtube.com/watch?v=L2vulM4mn-8
Studio Update #2 - http://www.youtube.com/watch?v=WHbuHcm9_do&feature=related
Studio Update #2.5 - http://www.youtube.com/watch?v=RkdugFsQKcI
Studio Update #3 - http://www.youtube.com/watch?v=ZXn5eDFZ6gU

Atualmente a banda está terminando as gravações dos vocais e iniciando o processo de mixagem e masterização. Nenhuma data foi confirmada ainda, mas segundo o guitarrista Junior, a lista de faixas e capa serão revelados nas próximas semanas junto com as datas de lançamento e agenda de shows para 2010.
Conheça o som da Unlife: www.myspace.com/unlife
Mais informações de Unlife, Oficina G3

Banda Narnia chega ao fim

0 comentários
Ainda não há nada oficial, mas em uma conversa com Karin Serri, guitarrista da banda Seven Angels, German, novo vocalista do Narnia, afirmou que a banda irá encerrar as atividades.
Isso se deve ao fato de que Carljohan Grimmark estaria cansado de "carregar" a banda nas costas, já que os outros membros estão ocupados com outros projetos e não podem mais se dedicar a banda.
German também revelou que, dos membros do Narnia, apenas ele e Grimmark estão tocando na atual turnê.

Fonte: Metalland
Mais informações de Narnia

Manuscrito bíblico de 1.300 anos é achado 'sem querer'

0 comentários
JERUSALÉM - Uma descoberta acidental possibilitou a junção de dois fragmentos de um manuscrito bíblico de 1.300 anos, que pode revelar novas pistas sobre um período obscuro da história da Bíblia hebraica. Pesquisadores não sabiam da existência das partes isoladas até que a fotografia de uma delas, publicada em sua primeira exibição pública em Israel, chamou a atenção dos especialistas, que se encarregaram de juntá-los.
Os fragmentos compõem o Segundo Cântico do Mar, cantado pelos israelitas após a fuga do Egito, enquanto assistiam à destruição dos exércitos do faraó no Mar Vermelho. Uma mostra no Museu Nacional de Israel, dedicada ao Cântico do Mar, agora pôde reunir as duas peças.
Uma página do cântico, conhecida como o Manuscrito Ashkar, estava abrigada numa biblioteca de livros raros na Universidade Duke, nos EUA, e foi exibida pela primeira vez em Israel em 2007. Foi nessa oportunidade que a fotografia do manuscrito apareceu em um jornal e chamou a atenção de dois paleógrafos israelenses, Mordechay Mishor e Edna Engel, que notaram a semelhança com uma outra página em hebraico, o Manuscrito de Londres, que é parte de uma coleção particular.
"A uniformidade das letras, a estrutura do texto e as técnicas usadas pelo escriba deixaram muito claro para mim", disse Engel. A relação não seria óbvia para o observador leigo. O Ashkar está escurecido pela exposição aos elementos e o texto está praticamente invisível, enquanto o Londres é legível e se encontra muito mais bem preservado.
Após estudos com raios ultravioleta, os especialistas confirmaram que os textos não só foram escritos pela mesma mão, mas eram parte de um mesmo rolo de pergaminho. Estudiosos acreditam que o pergaminho foi escrito por volta do século sétimo, em alguma parte do Oriente Médio, possivelmente no Egito. Não se sabe como essas partes foram separadas, ou o que aconteceu com o restante do material escrito.
A reunificação dos fragmentos é um elo importante na corrente, mostrando como a escrita da Bíblia hebraica evoluiu ao longo do chamado período "silencioso" - entre os séculos terceiro e décimo - do qual não resta praticamente nenhum texto bíblico. O Cântico nos Manuscritos do Mar Morto está escrito como prosa, por exemplo, e no manuscrito reunido, em versos.

AE-AP/Notícias Cristãs

Livro “60 motivos para sorrir” é baseado em versículos bíblicos que motivam e fortalecem a fé

0 comentários
Após uma palavra liberada pelo Apóstolo Estevam Hernandes, Karen Grace teve a ideia de lançar o livro “60 motivos para sorrir”. A obra fala sobre as promessas de Deus, sua fidelidade e seu amor. Baseada em versículos bíblicos, traz mensagens de conforto, de cura e de salvação, que servem tanto para edificação pessoal, como também para evangelização. Para a autora, o título é uma forma de aproximar as pessoas de Deus e trazer mais esperança e fé para todos os leitores.

“Sempre tive vontade de escrever um livro, mas nunca soube ao certo sobre qual tema. Tomei posse de uma revelação de Deus dada ao Apóstolo de que patrocínios para novos projetos seriam liberados e também de que o Senhor daria sonhos que estavam esquecidos. E foi durante uma conversa com uma amiga, que a ideia de lançar o livro acabou renascendo”, conta Karen.

A obra se encaixa na categoria livro-presente, por ter um formato diferenciado. Em espiral metálico, capa dura, 15x15 cm, sendo um pouco maior que um CD, o título vem com uma fita de cetim, que permite amarrá-lo e deixá-lo sobre um móvel como se fosse um calendário, para que, diariamente, todos possam ser alimentados com palavras de vida.

O público-alvo é bem variado, mas certamente mais feminino. São mães que compram para abençoar os filhos e noras ou colocar no quarto de seus netos, profissionais que deixam sobre a mesa do escritório e muitos que presenteam amigas e namoradas. Karen conta que soube de pessoas que adquiriram para colocar em seus estabelecimentos comerciais, próximo ao caixa, onde o cliente precisa esperar e acaba lendo uma mensagem que fala sobre Jesus. “O livro é um excelente opção para quem busca um presente diferenciado, com qualidade e conteúdo”, avalia a autora.

A obra, produzida em apenas quatro meses, vem conquistando grande aceitação do público e parceiros importantes. Para Karen o preconceito com relação à palavra de Deus surge, muitas vezes, pela falta de conhecimento da palavra. A Bíblia é um livro completo, que fala sobre os mais diversos assuntos e temas. Mas se ao ler, não analisarmos o contexto e a época em que aquele texto foi escrito, isso pode gerar alguma dificuldade de interpretação, principalmente quando falamos dos livros do velho testamento.

“Acredito que o sucesso de “60 motivos para sorrir” deve-se aos textos curtos, com linguagem fácil e direta. Conseguimos inserir o evangelho no dia a dia das pessoas, que aprendem mais sobre a palavra de Deus”, analisa a autora.

O livro é o primeiro título publicado pela autora – formada em hotelaria e desenho industrial, e há mais de 10 anos trabalhando como designer gráfico. Ela, que sempre gostou de escrever e quando era mais nova fez curso de redação e adorava escrever poesias e inventar histórias, mostrou a que veio em sua primeira empreitada pelo mundo da literatura. Agora é esperar pelas próximas novidades dessa autora, que já mostrou ter um futuro bastante promissor.

Para adquirir a obra, acesse o site www.palavraaomundo.com.br. O contato pode ser feito pelo e-mail comercial@palavraaomundo.com ou telefone (11) 3569-1989. Há preços e condições especiais para livrarias e revendedores.

noticiasrenascer

Os templos Mórmons são cristãos?

0 comentários
A igreja mórmon, oficialmente conhecida como A Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, opera com numerosos templos sagrados em todo o mundo. Ela afirma que estes impressionantes edifícios e os rituais incomuns neles realizados (tais como o batismo pelos mortos e o casamento eterno) são uma extensão do templo de Jerusalém descrito na Bíblia. Também afirma que a igreja primitiva estabelecida por Jesus Cristo e Seu apóstolos praticava esses rituais.

Como você está visitando este templo mórmon, considere, por favor, estas perguntas:

· Há base bíblica e histórica para afirmar que os templos e seus rituais fossem parte do cristianismo original?

· É fundamentada a afirmação de que a igreja mórmon é a única igreja cristã, verdadeira e “restaurada”?

Este folheto responde a estas questões. Nele, analisa-se o que a Bíblia ensina sobre a origem e o propósito do templo do Antigo Testamento. Analisaremos o que a Bíblia ensina sobre a origem e o propósito do templo do Antigo Testamento, bem como a predição de Jesus sobre a iminente substituição daquele pela adoração cristã no Novo Testamento. Com base nessas evidências, cremos que torna-se claro que os templos mórmons e os rituais neles realizados não têm qualquer fundamento no verdadeiro evangelho de Jesus Cristo.

Nenhum propósito em comum

Uma comparação entre as atividades do templo bíblico e dos templos mórmons mostra claramente que entre ambos não há nada em comum. Considere, inicialmente, o propósito do templo bíblico. Sua única função era ensinar a necessidade da expiação dos pecados como uma precondição para a autêntica adoração do Deus verdadeiro e único. A localização do altar do holocausto imediatamente em frente à única entrada do templo de Jerusalém (veja figura 1), ilustra esse propósito. O altar enfatizava o fato que o amor e a aceitação de Deus estende-se unicamente ao pecador cujas transgressões foram expiadas por Seu cordeiro sacrificial. Salomão expressou este propósito singular em 2 Crônicas 2.6: “E quem sou eu para lhe edificar a casa, senão para queimar incenso perante ele?”1.

Os templos mórmons, pelo contrário, servem como lugares para a realização de rituais incomuns, que incluem o batismo pelos mortos e o casamento eterno. Por meio desses rituais, os homens podem vir a se tornarem deuses, segundo a igreja mórmon e suas escrituras (Doutrina e Convênios 132:19, 20).2 A igreja mórmon declara que esses ritos eram parte do cristianismo do primeiro século, mas que foram sabotados por apóstatas. Os mórmons declaram ainda que todas as outras igrejas são falsas e apóstatas;3 que o mormonismo é a única forma verdadeira de cristianismo no mundo. Entretanto, esses rituais do templo mórmon não têm nenhuma base, seja na Bíblia, na literatura judaica antiga ou na história cristã.

No interior de cada templo mórmon existe uma impressionante fonte batismal, montada nas costas de doze bois esculpidos em tamanho natural (veja figura 2). Essa fonte é modelada segundo uma descrição da Bíblia de um grande reservatório de água, um lavatório (também chamado “bacia” ou “mar”), que era localizado do lado de fora da porta do templo de Salomão (2 Crônicas 4.2, 15, veja figura 1). Entretanto, o lavatório do templo bíblico não era usado para batismos, como a igreja mórmon ensina (pelo fato do batismo cristão ser uma ordenança do Novo Testamento). Pelo contrário, as Escrituras afirmam claramente que o reservatório era utilizado pelos sacerdotes para se lavarem depois do oferecimento dos sacrifícios de animais, em preparação para a ministração no santuário (Êxodo 30.18–20; 2 Crônicas 4.2–6). Em outro artigo deste folheto (“Estabeleceu Jesus o Batismo pelos Mortos?”) demonstra-se que não existe qualquer evidência na Bíblia nem na história cristã dos primeiros séculos para apoiar a ordenança do templo mórmon do batismo pelos mortos.

Da mesma maneira, o rito do casamento eterno, que ocorre no templo mórmon, jamais foi praticado no templo bíblico. E mais: não existe uma única menção de tal rito na Bíblia, na literatura judaica antiga ou na história da igreja primitiva. Pelo contrário, em Romanos 7.2, o apóstolo Paulo ensina claramente que o casamento é somente para a vida mortal: “Ora, a mulher está ligada pela lei ao marido, enquanto ele vive; mas, se o mesmo morrer, desobrigada ficará da lei conjugal.” Da mesma forma, Jesus nos ensinou que “na ressurreição, nem casam, nem se dão em casamento; são, porém, como anjos no céu” (Mateus 22.30). O rito mórmon do casamento eterno no templo não é uma prática cristã ou bíblica.

Regras bíblicas violadas

Um segundo ponto para considerar é que muitas regras que Deus revelou a respeito do templo bíblico são violadas dentro dos templos mórmons. Aqui são citados quatro exemplos:

1. Deus designou somente um templo (Deuteronômio 12.5, 13–14; 16.5, 6). Em contrapartida, a igreja mórmon funciona com centenas de templos, em franca violação a este mandato divino.

2. No templo bíblico, somente os sacerdotes tinham permissão para entrar. O santuário do templo de Jerusalém consistia em dois aposentos. Havia um compartimento externo, chamado de “o lugar santo”, e, separado deste por uma cortina ou véu espesso, um cômodo interno chamado “o santo dos santos” (veja figura 1). Os adoradores, incluindo o rei de Israel, não podiam ir além do altar do holocausto no átrio. Considerando que na igreja mórmon se permite entrar e participar de atividades do templo aos que não são sacerdotes, encontramos aí outro ponto no qual os ritos nos templos mórmons contradizem a revelação bíblica.

3. Todas as atividades no templo bíblico eram de conhecimento do público. Mesmo que a entrada no templo fosse permitida somente aos sacerdotes, todas as atividades ali realizadas foram explicadas com detalhes nas Escrituras (por exemplo, Êxodo 30.7-10; Levítico 4.5–7; 16.1–34; 24.1–9).5 A Bíblia alerta o cristão contra a participação em atividades secretas (Mateus 10.26, 27; Efésios 5.11, 12). E o próprio Jesus afirmou não ter nenhum ensinamento secreto, quando disse: “Eu tenho falado francamente ao mundo; ensinei continuamente tanto nas sinagogas como no templo, (...) e nada disse em oculto”(João 18.20). Em total oposição a Jesus, a igreja mórmon insiste em manter em segredo os rituais do templo.6

4. A Bíblia estabelece requisitos estritos de linhagem para o sacerdócio aarônico. Somente os homens da tribo de Levi e da linhagem da família de Aarão eram qualificados para servir como sacerdotes no santuário do templo (Números 3.10; 18.1–7; Êxodo 29.9).7 A igreja mórmon alega possuir um sacerdócio aarônico restaurado, mas ignora completamente este claro requisito de linhagem pura das Escrituras.8

O Templo torna-se obsoleto

Ao final de Seu ministério terreno, Jesus Cristo predisse que o templo de Jerusalém estava a ponto de ser destruído (Mateus 24.1, 2). Ele disse a Seus discípulos: “Em verdade vos digo que não ficará aqui pedra sobre pedra que não seja derrubada”. Esta profecia se cumpriu no ano 70 d.C. quando Tito, um general romano, demoliu o templo. Desde então o templo nunca mais foi reconstruído.

Em outra oportunidade, Jesus dissera que a adoração no templo seria substituída por uma nova forma de adoração, sem a necessidade de um edifício: “(...) podes crer-me que a hora vem, quando nem neste monte, nem em Jerusalém adorareis o Pai. (...) Mas vem a hora e já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade; porque são estes que o Pai procura para seus adoradores” (João 4.21, 23).

Um evento dramático na hora da morte de Cristo na cruz sinalizou o final da adoração no templo. No mesmo momento em que Jesus expirou, “o véu do santuário ser rasgou em suas partes, de alto a baixo” (Mateus 27.51; também Marcos 15.38 e Lucas 23.45). A morte expiatória de Jesus na cruz tornou obsoletos os rituais que eram praticados no templo (e, por conseguinte, desfaz a validade dos templos mórmons).

O espesso véu do templo (veja figura 1) era uma barreira que evitava que os sacerdotes olhassem para o interior do compartimento mais recôndito do templo, o Santo dos Santos. Este santuário interior era o lugar onde se manifestava a presença santa e gloriosa de Deus. Somente ao sumo sacerdote era permitido entrar no Santo dos Santos — uma única vez por ano — no dia da Expiação (Yom Kipur). O véu significava que o acesso à presença de Deus não foi verdadeiramente proporcionado pela Antiga Aliança. Nas palavras do livro de Hebreus 9.8 este conceito é claramente expresso: “querendo dar com isto a entender o Espírito Santo que ainda o caminho do Santo Lugar não se manifestou, enquanto o primeiro tabernáculo continua erguido”. Segundo antigos relatos judaicos, o espesso véu era tão forte que dois grupos de bois puxando o véu em direções opostas não poderiam rasgá-lo.9 Seguramente, o rompimento do véu de cima a baixo no momento da morte de Cristo foi um ato sobrenatural de Deus. Foi a resposta do Céu ao contemplar que Jesus havia completado Seu sacrifício expiatório na cruz — de uma vez para sempre. Através da fé em Cristo, todos os crentes têm agora livre acesso à presença de Deus. Nas palavras do livro de Hebreus: “Tendo, pois, a Jesus, o Filho de Deus, como grande sacerdote que penetrou nos céus (...). Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna”(Hebreus 4.14–16; veja também 6.19; 10.19–22).

O véu rasgado significou o fim do sistema de culto dos hebreus num templo. Esse sistema está obsoleto, e não temos necessidade de um sacerdote humano nem de um templo físico para nos aproximarmos de Deus. Sob a Nova Aliança estabelecida por Jesus Cristo, Ele se fez sumo sacerdote no santuário do céu para cada crente. Assim é que um tal “templo cristão”, como propõe a igreja mórmon é uma contradição.— Luke P. Wilson

Notas:

1 As citações bíblicas são as versão João Ferreira de Almeida, revista e atualizada, 2ª edição, 1993.

2 Veja também Princípios do Evangelho, p. 231; Como Conseguir um Casamento Celestial, p. 124.

3 A escritura mórmon inclui o relato da primeira visão de Joseph Smith, o fundador do mormonismo. Segundo ele, o Pai Celestial “disse que todos os seus credos [de todas as igrejas] eram uma abominação à sua vista, e que todos aqueles mestres eram corruptos….” (Pérola de Grande Valor, Joseph Smith — História, 1:18, 19).

4 A exclusão de todos do santuário, menos os sacerdotes — descendentes de Aarão — é dramaticamente ilustrada através de um incidente na vida do rei Uzias. Ele, presunçosamente, entrou no Lugar Santo e queimou incenso. Os sacerdotes enfrentaram-no e o mandaram sair do templo: “A ti, Uzias, não compete queimar incenso perante o Senhor, mas aos sacerdotes, filhos de Aarão, que são consagrados para este mister; sai do santuário porque transgrediste; nem será isso para honra tua da parte do Senhor Deus” (2 Crônicas 26.18).

5 O conhecimento e interesse do povo no ministério dos sacerdotes no santuário é ilustrado em Lucas 1.10. Um dos deveres diários dos sacerdotes no Lugar Santo era queimar incenso — o símbolo da oração (Salmo 141.2; Apocalipse 5.8; 8.4) — no altar de incenso que ficava imediatamente em frente ao véu (veja figura 1). A Bíblia narra que, enquanto o sacerdote Zacarias realizava essa tarefa, “toda a multidão do povo permanecia da parte de fora, orando” (Lucas 1.10). Sua oração era, sem dúvida, para que o serviço que Zacarias fazia pelo povo fosse aceito diante do Senhor.

6 A igreja mórmon refere-se a esses rituais como “sagrados, e não secretos”. Entretanto, esta é uma distinção ilusória, já que, na verdade, é dada aos seus membros a instrução de “não conversarmos sobre as ordenanças do templo fora de suas paredes” (Boyd K. Packer, O Templo Sagrado, 1982, p.2).

7 Levitas provenientes de linhagens de outra famílias que não a de Aarão cumpriam deveres de menor hierarquia no templo, supervisionados pelos sacerdotes (Números 3.5–9). Um estudo científico, recentemente publicado na prestigiosa revista britânica Nature, mostra haver sido encontrado um elo genético entre os homens judeus contemporâneos que afirmavam ser da linhagem do sacerdócio aarônico. Isso dá apoio à afirmação de ser possível traçar uma linha de ascendência comum, de mais de 3 mil anos, até chegar a Aarão, a personagem bíblica. O estudo, dirigido pelo professor Karl Skorecki, do Centro Médico Rambam, Instituto Technion-Israel em Haifa, Israel, encontrou “claras diferenças na freqüência de haplótipos do cromossomo Y entre sacerdotes judeus e suas contrapartes leiga”. Esta concordância genética foi encontrada nos que reivindicavam ascendência sacerdotal nas comunidades sefardita e asquenazita. O cromossomo Y é encontrado somente em homens e é transmitido através do pai. Veja Y Chromossomes in Jewish Priests (Cromossomos Y em Sacerdotes Judeus), Nature, vol. 285, 2 de janeiro de 1997, p. 32. que ele descreve (chamado nefita — hebreus imigrantes pré-colombianos das Américas) possuía templos e observava “todas as coisas, de acordo com a lei de Moisés” (2 Néfi 5:10; 25:34). Também são eles descritos como descendentes de José (1 Néfi 5:16; ou Manassés, uma das tribos associadas a José, Alma 10:3) e não descendentes da tribo de Levi. Por este motivo, as pessoas descritas no Livro de Mórmon não poderiam ser validamente reconhecidas como sacerdotes.

Ainda que o nome Aarão apareça 48 no Livro de Mórmon , ele nunca é usado para se referir à personagem bíblica Aarão ou ao sacerdócio aarônico. Segue-se, aqui, uma lista de outros termos relacionados com o tabernáculo e/ou o templo usados no Antigo testamento (com o número de vezes se sua freqüência entre parênteses) e que não são mencionados uma única vez no Livro de Mórmon: “bacia”(13); “incenso”(121); “arca da aliança” (48); “filhos de Aarão (97); “propiciatório”(23); “dia da expiação” (21); “festa dos tabernáculos” (17); “Páscoa”(59); “casa do Senhor” (627).

Pr. João Flávio & Presb. Paulo Cristiano
por Institute for Religious Research, Grand Rapids, Michigan USA
www.jesussite.com.br

Saiba como enviar Bíblias para o mundo muçulmano

0 comentários
Há governos no mundo muçulmano que impedem a importação e distribuição de material cristão - deixando os cristãos sem seu alimento espiritual e suscetíveis a falsos ensinamentos.

A fim de suprir essa necessidade, equipes especiais da Portas Abertas fazem uma entrega secreta de Bíblias aos irmãos que vivem no mundo muçulmano.

Para isso, realizamos durante o mês de fevereiro uma campanha de distribuição de Bíblias para o mundo muçulmano.

Muitos cristãos brasileiros já decidiram marcar um lugar na história da Igreja Perseguida: até agora, recebemos o valor correspondente a mais de 10.800 exemplares de Bíblias.

Ainda dá tempo de fazer sua doação. A campanha termina no dia 28 de fevereiro. Não deixe essa oportunidade passar.

Cada Bíblia custa, em média, R$ 12,00, incluindo a produção e entrega do material. Faça parte dessa história. Deixe sua contribuição para os cristãos perseguidos.

Fonte: Missão Portas Abertas

MISSÕES: Apesar de toda a dificuldade, a Igreja está crescendo no Afeganistão

0 comentários
AFEGANISTÃO (6º) - A Classificação de países por perseguição é uma lista na qual os países são classificados segundo o grau de intolerância para com o cristianismo. Seu objetivo é informar a reação dos países ao evangelho e acompanhar aqueles em que a perseguição está se tornando mais intensa.

O Afeganistão ocupa a 6ª posição na Classificação. Ser cristão nesse país ainda é difícil, em particular porque a Constituição é baseada em princípios Islâmicos. Além disso, o islamismo é a religião estatal e as leis não podem contradizer essas crenças religiosas.

O ano de 2009 foi duro para a Igreja, uma vez que o islamismo aumentou sua influência com a expansão do Talebã em muitas províncias. O Talebã ameaçou imigrantes, agentes sociais cristãos e a igreja local.

A pressão da família e da sociedade é ainda imensa. Quem não esconde sua conversão ao cristianismo é ameaçado até de morte pelos parentes. As ameaças têm o objetivo de trazer angústia, medo e de forçá-los a renunciar a nova fé. Em alguns casos, os novos recém-convertidos são hostilizados e há casos de sequestro. Além disso, eles enfrentam discriminação na escola, no trabalho e nos serviços públicos. Consequentemente, muitos preferem não expressar publicamente sua fé em Cristo, nem se sentem seguros para se reunir com outros irmãos.

As informações que recolhemos não indicaram assassinatos religiosos. Apesar de toda a dificuldade, a Igreja está crescendo no Afeganistão.

Pedidos de oração

1. Ore pelo povo afegão, em especial pelas crianças. Que elas cresçam em um ambiente pacífico, e tenham oportunidades de estudar.

3. Agradeça pela tradução da Bíblia em dari. Que muitos afegãos tenham condições de adquirir um exemplar das Escrituras para si.

4. Ore pelas eleições governamentais do país e pelo futuro líder. Que ele seja um instrumento de Deus para trazer paz ao seu povo.
portasabertas

Zé Bruno em entrevista revela porque e como saiu da Igreja Renascer e como será seu futuro

0 comentários
Nesta sexta-feira, dia 26, bispo Zé Bruno anunciou sua saída da Igreja Renascer em Cristo e assim desligamento do corpo pastoral da denominação. Em meio a boatos sobre brigas e desavenças, dando a entender que aconteceu atrito entre o deputado e demais membros do ministério Renascer, Zé Bruno, que também é deputado estadual, conversou com exclusividade com o Creio. “Realmente eu deixei o ministério, mas sem atrito nenhum com a bispa Sônia ou com o apóstolo Estevam Hernandes. Foi Deus que me guiou e tocou em meu coração que era a hora de deixá-los, mas vou estar na marcha e nos eventos da Renascer. Quero abrir uma célula com minha família”.

Zé Bruno falou do sentimento de deixar a Renascer. “Eu saí, mas nós vamos sempre estar juntos, vivendo no corpo de Cristo. Jesus não dividiu o pão, Ele partiu para multiplicar e é isso que está acontecendo comigo. É claro que da saudades, você cria um vínculo com as pessoas, mas é como se nós mudassemos de casa, de bairro, você chora e tudo, mas ninguém morreu”, brinca Zé Bruno.

Também destacou a banda da qual faz parte e sobre a vida na política. “A banda Resgate tem 21 anos, então enquanto nós tivermos saúde, gente pra nos ouvir nós vamos continuar tocando e levando a palavra, porque não é só a questão musical, nós fazemos oração, pregamos a palavra, tem gente que se converte, é claro que tem essa ideia de gravar CD, mas eu tenho a vocação para ser pastor. Eu não sou cantor que me transformei em pastor ou vice-versa. Com relação a política, eu não sinto em continuar depois que meu mandato terminar nesse ano, só se Deus tocar no meu coração”, concluiu Zé Bruno.

Fonte: Creio / Gospel+

Pastores morrem cantando hino da harpa e emocionam bombeiros que os socorriam após acidente

0 comentários
Dois pastores evangélicos e um motociclista morreram num acidente envolvendo sete veículos, na manhã de ontem, na Rodovia do Contorno, trecho da BR 101 que liga Serra a Cariacica no Espírito Santo.

Os religiosos pertenciam à Igreja Assembleia de Deus e haviam saído de Alegre, município da Região Sul do Estado, rumo a uma convenção estadual da igreja em Nova Carapina II, na Serra.

Os veículos – cinco caminhões, uma moto e um automóvel Del Rey – bateram um atrás do outro. O engavetamento aconteceu às 8h15, no quilômetro 277, na Serra. Os pastores estavam no carro.

Tudo começou quando um caminhão freou por causa do intenso fluxo de carros no sentido Cariacica – Serra. Os veículos que vinham atrás dele frearam também, mas o último caminhão – de uma empresa de cerveja – não conseguiu parar a tempo. Com isso, os veículos que estavam à frente foram imprensados uns contra os outros.

Os pastores José Valadão de Souza e Nelson Palmeira dos Santos e o motociclista Jonas Pereira da Silva, 52 anos, morreram no local. Dois outros pastores, que também estavam no Del Rey, sobreviveram, e o motorista de um dos caminhões sofreu arranhões nas pernas. Nenhum dos outros caminhoneiros ficou ferido.

O proprietário e condutor do Del Rey é o pastor Dimas Cypriano, 61 anos, do município de Alegre. Ele saiu ileso do acidente e teve ajuda do motorista José Carlos Roberto, carona de um dos caminhões, para sair do veículo.

Seu amigo de infância, o pastor Benedito Bispo, 72, ficou preso às ferragens. Socorristas do Serviço Médico de Atendimento de Urgência (Samu) e bombeiros fizeram o resgate dele. O pastor teve politraumatismo e foi levado para o Hospital Dório Silva, na Serra.

A mulher de Benedito chegou a ver o marido sendo socorrido e teve que ser amparada por um familiar. Ela também seguia para a convenção num outro veículo. A rodovia ficou interditada durante vários momentos da manhã de ontem nos dois sentidos. O trecho só foi totalmente liberado no início da tarde.

O pastor Dimas Cypriano, que sobreviveu ileso ao acidente na manhã de ontem, no Contorno, contou que usava cinto de segurança e que ficou preso ao tentar sair. Ele dirigia o Del Rey e disse que precisou de ajuda para sair do carro. Mas depois continuou no local, acompanhando os trabalhos de resgate do colega, Benedito Bispo. Nas mãos, levava uma Bíblia que ficou suja de sangue. Mas isso não impediu que o pastor orasse durante o socorro.

O mais comovente do triste episódio, foi o relato dado por 2 pastores sobrevivente, e pelos bombeiros que tentavam tirar os pastores ainda com vida, que estavam presos nas ferragens.

As testemunha citadas acima, contam que os pastores Nelson Palmeiras e João Valadão, ainda com vida e presos nas ferragens, em meio a um mar de sangue que os envolvia, começaram a cantar o Hino 187 da harpa cristã:

Mais perto
Quero estar meu Deus de ti!
Ainda que seja a dor
Que me una a ti,
Sempre hei de suplicar
Mais perto
Quero estar meu Deus de ti!

Andando triste
Aqui na solidão
Paz e descanso
A mim teus braços dão
Nas trevas vou sonhar
Mais perto
Quero estar meu Deus de ti!

Minh’alma cantará a ti Senhor!
E em Betel alçará padrão de
Amor,
Eu sempre hei de rogar
Mais perto
Quero estar meu Deus de ti!

E quando Cristo,
Enfim, me vier chamar,
Nos céus, com serafins irei
Morar
Então me alegrarei
Perto de ti, meu Rei, meu Rei,
Meu Deus de ti!

Aos poucos suas vozes foram silenciando-se para sempre.

As lagrimas tomaram conta dos bombeiros, acostumados a resgatar pessoas em acidentes graves, porem jamais viram alguem morrer cantando um hino; como foi o caso dos pastores Nelson Palmeiras e João Valadão .

Fonte: Genizah Virtual

Claudia Leitte afirma: “Eu quero ser é porta-voz de Deus”

0 comentários
Sempre cercada por pequenas multidões, Claudia Leitte vivencia um momento de intensas mudanças profissionais que devem definir sua posição dentro do disputado universo da música popular brasileira.

Claudia Leitte está de joelhos no camarim, louvando a Jesus Cristo em voz alta. Seu rosto estampa uma expressão de êxtase, daquelas geralmente vistas durante cultos religiosos. Ela está cercada por poucos integrantes de seu grande entourage, uniformizados com camisetas pretas, e todos sorriem – mas de forma mais contida. Apesar do conteúdo sagrado, a cena está mais para um desabafo aliviado: a cantora havia superado o primeiro passo de um dos momentos mais importantes e decisivos de sua carreira.

Minutos antes, Claudia se apresentou para cerca de 60 mil pessoas no Festival de Verão de Salvador, talvez o mais importante evento pré-Carnaval da Bahia. E não foi só isso, a cabeça dela anda cheia de mudanças que poderiam ser preocupantes: Salvador viu a estreia oficial do show Sette, com repertório, figurino e cenário novos. O próximo disco – o primeiro da carreira solo dela a ser gravado em estúdio, só com canções inéditas – está em pré-produção, dentro de uma nova gravadora (a Sony Music). E, não menos importante, no dia seguinte ela receberia 300 convidados para o aniversário de 1 ano do filho, Davi, fruto do casamento com o administrador de empresas Márcio Pedreira (a união do casal completa três anos no mês que vem).

Partes de uma entrevista de Claudia Leitte para a Revista Rolling Stones:

Você diz não seguir religião alguma, mas é bastante religiosa. Depois de ficar famosa nenhuma religião se aproximou de você pensando que você poderia divulgá-la?
Sim, com certeza.

E isso te afasta mais da idéia de uma religião organizada?
Sim, porque eu não quero levar ninguém comigo pra religião nenhuma, de jeito nenhum. Eu quero cantar e ser feliz cantando, e dividir a felicidade com as pessoas. Eu acho que Deus não impõe. A moça que trabalhava lá em casa falava pra mim, “ah, meu pastor diz que eu não posso usar brinco”. Como uma pessoa pode dizer isso? Que coisa mais ditatorial! Não pode usar brinco por quê? Deus vai olhar para o seu coração, não pro seu corpo. Deus vai estar lá se importando com as roupas que você usa? Quantas pessoas usam uma saia até o pé e são super, hiper promíscuas? Ou então um assassino, que mata uma pessoa e depois diz “oh, meu Deus, meu Senhor” e vai pra igreja orar com a Bíblia? Isso é muito louco: o brinco, a roupa, a religiosidade… Elas não definem o caráter de ninguém.

É difícil imaginar uma porta-voz melhor do que você para uma religião: jovem e casada, tem filho, é famosa, tem sucesso.
Eu quero ser é porta-voz de Deus, o que Deus fala através de mim, o tempo todo. Que eu seja mais Deus do que eu. É isso o que eu quero. O tempo todo eu acho que a gente precisa parar de brigar com a gente mesmo pra gente ser melhor.

Fonte: Rolling Stones / Gospel+
Via: Gospel Prime

Livro de ficção relaciona Caim e pai de criador do Superman

0 comentários
he Book of Lies, último romance do escritor e quadrinista Brad Meltzer, acaba de sair no Brasil. Aqui, ficou com o título O Livro das Mentiras. O lançamento é da editora Planeta.

Mais uma história de mistério de Meltzer, o livro parte de dois pontos: a história bíblica de Caim e Abel e o assassinato real de Mitchell Siegel – pai de Jerry Siegel, um dos criadores de Superman. A origem do super-herói, no universo do livro, estaria vinculada a essa história.

“No capítulo 4 do Gênesis, Cain mata Abel. É possivelmente o assassinato mais famoso do mundo, mas a Bíblia silencia quanto a um detalhe chave: a arma que Cain usou para matar seu irmão. E esta arma está perdida até hoje. Em 1932, um homem chamado Mitchell Siegel leva um tiro no peito e morre. Enquanto lamenta a morte do pai, seu jovem filho tem a idéia de um homem à prova de balas que apelida de Superman. A arma do crime nunca foi encontrada, até hoje. A pergunta é: como estes dois assassinatos, separados por milhares de anos, estão relacionados?”, disse Meltzer em entrevista ao site Newsarama, na época do lançamento nos EUA.

Além de ter ganho um trailer com a participação de Brian K. Vaughan, Joss Whedon, Damon Lindelof e outros roteiristas, o livro levou Meltzer a uma pesquisa aprofundada sobre as origens do Superman – que desembocou em uma campanha para salvar a casa onde Jerry Siegel e Joe Shuster conceberam o personagem. A campanha arrecadou US$ 100 mil.

Meltzer atualmente está escrevendo algumas edições da HQ de Buffy nos EUA. Este ano também sai lá fora Heroes for My Son, seu primeiro livro de não-ficção, com histórias de homens que inspiraram o autor.

Fonte: Omelete

sábado, 27 de fevereiro de 2010

0 comentários

O que o Cristão de hoje precisa saber sobre o Novo Testamento em Grego

0 comentários
Nos últimos anos tem havido muita confusão a respeito das modernas traduções e edições do Novo Testamento em grego. Algumas pessoas fazem reivindicações sobre o Novo Testamento em grego, sem terem informações suficientes que as apoiem. Muitos têm a pretensão de que suas traduções são exatas porque tais versões se baseiam nos melhores textos gregos disponíveis. Alguns supõem que suas traduções são melhores que a Versão Autorizada porque esta e seu subjacente Textus Receptus grego acrescentam variantes e leituras extras ao texto. Outros, entretanto, reivindicam que o texto grego do Novo Testamento não é importante porque sua tradução favorita é melhor que qualquer texto grego. Há, ainda, outros que afirmam que o texto grego não é importante porque a maioria das pessoas não pode ler o grego da época do Novo Testamento. Entretanto, o texto grego sobre o qual uma tradução se baseia terá um impacto tanto sobre a leitura devocional das Escrituras pelo cristão como sobre a proclamação da Palavra de Deus no testemunho da graça salvadora de Jesus Cristo. É necessário que o cristão da atualidade entenda a importância do texto grego tradicional na vida cristã. [acima]

O Texto Tradicional
Antes de tudo, é necessário entender que se quer dizer com o termo “texto tradicional”. Durante o primeiro século após a ressurreição de Cristo, Deus moveu homens que escrevessem Sua Palavra (2 Pedro 1.21). O resultado foi um conjunto de cartas e livros, escritos em grego koine (chamados de “autógrafos originais”). Essas cartas e esses livros foram copiados e recopiados através dos séculos e distribuídos por todo o mundo. Essas cópias consistem os manuscritos do Novo Testamento. Mais de 5.000 desses manuscritos gregos sobreviveram até os dias atuais. O grande número desses manuscritos apóia a chamada tradição textual bizantina (bizantina porque veio do mundo falante do grego da época). Esses manuscritos bizantinos formaram o que chamamos de texto tradicional do Novo Testamento. A representação mais bem impressa desse texto-tipo bizantino é o Textus Receptus (ou texto recebido). Em acréscimo aos manuscritos, também temos à disposição muitas obras nas quais numerosos Pais da Igreja fizeram citações dos manuscritos. A obra de John Burgon estabeleceu que o texto básico usado por muitos Pais da Igreja é o mesmo texto que hoje conhecemos como texto bizantino.

O Textus Receptus foi compilado a partir de uma quantidade de manuscritos bizantinos por vários editores do início do século XVI. Houve edições de editores tais como Erasmo, Stephens, Beza, dos Elzevires, Mill e Scrivener. Essas edições diferem sutilmente umas das outras, mas ainda assim referem-se ao mesmo texto básico. Alguns editores foram populares em diferentes países e geraram as bases para as traduções do Novo Testamento. O Textus Receptus (como mais tarde ficou conhecido) foi o texto usado por Tyndale e por outros tradutores da Versão Autorizada inglesa (King James), de 1611 e outras traduções reformadas. [acima]
O texto crítico
Durante os séculos XIX e XX, entretanto, uma outra forma do Novo Testamento grego surgiu e foi usada pelas traduções mais modernas do Novo Testamento. Esse Texto Crítico, como é chamado, difere largamente do texto tradicional, pois omite muitas palavras, versículos e passagens que são encontrados no Texto Recebido e nas tradições que se baseiam nele.

As versões modernas baseiam-se, principalmente, sobre um Novo Testamento grego que é derivado de um pequeno punhado de manuscritos gregos do quarto século em diante. Dois desses manuscritos, que muitos dos eruditos modernos dizem ser superiores ao bizantino, são o manuscrito do Sinai e o manuscrito do Vaticano (c. século IV). Estes, por sua vez, originam-se de um tipo de texto conhecido como texto alexandrino (por causa de sua origem egípcia), referido pelos críticos textuais Westcott e Hort como “texto neutro”. Esses dois manuscritos formam a base do Novo Testamento grego, conhecido como Texto Crítico, cujo uso tem sido muito difundido desde o final do século XIX. Nos últimos anos tem havido uma tentativa de se aperfeiçoar esse texto, chamando-o de texto “eclético” (querendo dizer que muitos outros manuscritos foram consultados em suas edições e evolução), mas ainda é o texto que tem sua base central naqueles dois manuscritos. [acima]
Problemas com o Texto Crítico
Há muitos problemas de omissão que caracterizam esse Novo Testamento grego. Versículos e passagens, que são encontrado nos escritos dos Pais da Igreja dos anos 200 e 300 a.D., estão faltando nos manuscritos do texto alexandrino (que data de cerca de 300 a 400 a.D.). Além disso, essas traduções antigas são encontradas em manuscritos que datam de 500 a.D. em diante. Um exemplo disso é Marcos 16.9-20: essa passagem é encontrada nos escritos de Irineu e de Hipólito, no segundo século, e em quase todos os manuscritos do Evangelho de Marcos de 500 a.D. em diante. Essa passagem está omitida nos manuscritos alexandrinos, o do Sinai e o do Vaticano.

Este é somente um dos muitos exemplos desse problema. Há muitas palavras, muitos versículos e muitas passagens omitidos nas versões modernas que são encontrados no texto tradicional ou bizantino do Novo Testamento e, portanto, no Textus Receptus. O Texto Crítico diverge do Textus Receptus 5.337 vezes, de acordo com alguns cálculos. O manuscrito do Vaticano omite 2.877 palavras nos Evangelhos; o manuscrito do Sinai, 3.455 palavras nesses mesmos livros. Esses problemas entre o Textus Receptus e o Texto Crítico são muito importantes para as corretas tradução e interpretação do Novo Testamento. Contrariamente à argumentação dos que apoiam o Texto Crítico, essas omissões afetam a vida cristã quanto à doutrina e à fé.

Seguem-se muitos exemplos de problemas doutrinários causados pelas omissões do Texto Crítico. Esta não é, de modo algum, uma lista exaustiva. O moderno Texto Crítico reconstruído:

Omite referência ao nascimento virginal, em Lucas 2.33;
Omite referência à deidade de Cristo, em 1 Timóteo 3.16;
Omite referência à deidade de Cristo, em Romanos 14.10 e 12;
Omite referência ao sangue de Cristo, em Colossenses 1.14
Adicionalmente, cria-se um erro bíblico em Marcos 1.2: nesta passagem, no Texto Crítico, Isaías torna-se autor do livro de Malaquias. Em numerosas referências no Novo Testamento o nome de Jesus é omitido, no Texto Crítico: “Jesus” é omitido setenta vezes e “Cristo”, vinte e nove vezes.1

Outra problema com o Texto Crítico moderno é que os dois manuscritos mais importantes sobre os quais o texto é construído, o do Sinai e o do Vaticano, discordam entre si mais de 3.000 vezes, somente nos Evangelhos. Assim, o texto alexandrino apresenta-se como um texto-tipo que se caracteriza, em muitos lugares, por leituras que não são comuns aos manuscritos de sua própria tradição. O Texto Crítico é caracterizado por um fraseado que, na língua original, é difícil, confuso ou mesmo impossível. Parece que não importa quão singular ou anômala seja a leitura variante, deve estar nos autógrafos originais porque (como algumas se defende) um escriba jamais faria uma mudança que estivesse em desacordo com os outros manuscritos; ao invés disso, ele faria uma alteração que daria à passagem uma leitura mais fácil.

Muito foi dito sobre o fato de os manuscritos alexandrinos serem muito antigos. Isso é verdade, mas a ênfase no estudo da crítica textual não deveria recair sobre quão antigo é o manuscrito, mas sim, sobre quantas cópias foram feitas a partir dele. Um manuscrito datado como sido copiado durante o século X poderia ser o quinto numa linhagem de cópias feitas a partir do autógrafo original, enquanto um manuscrito datado como tendo sido copiado durante o terceiro século, poderia ter sido o centésimo numa outra linhagem de cópias. Uma vez que é difícil contar a genealogia, a família de qualquer dado manuscrito, é importante observar que a idade é relativa no sentido de que se pode ter um manuscrito originário do terceiro século, corrompido; ou um outro, do século dez, confiável.

Eis aqui uma boa ilustração: suponha que, no ano 3000, uma cópia da Bíblia em português é achada, datada da década de 1970. Admite-se que tal Bíblia é a mais antiga existente à disposição, e que tal Bíblia difere em centenas de lugares da Bíblia então em uso pelos cristãos do ano 3000. Pode-se imaginar os críticos científicos, com sua metodologia, enaltecendo as virtudes da idade avançada de tal Bíblia, a diagramação de qualidade, o cuidado no layout e no papel desse volume em particular, a encadenação e assim por diante. Porém, seus argumentos cairão por terra quando, depois de começar a traduzir a Bíblia para as línguas modernas, com base nos livros antigos, os cristãos descobrirem que essa versão das Escrituras era a tradução Novo Mundo dos Testemunhas de Jeová (cuja tradução difere muito do texto tradicional, ex.: João 1:1). [acima]

Preservação Providencial
O Texto Tradicional do Novo Testamento é visto pelos cristãos conservadores que crêem na Bíblia como tendo sido providencialmente preservado por Deus. Deus prometeu em Sua Palavra que Ele não só preservá-la-ia para as gerações vindouras mas, também, que Sua Palavra seria eterna e completamente livre de corrupção.

Mateus 5.18 afirma: “Porque em verdade vos digo que, até que o céu e a terra passem, nem um jota ou um til se omitirá da lei, sem que tudo seja cumprido”.
Isaías 59.21 diz: “Quanto a mim, esta é a minha aliança com eles, diz o SENHOR: o meu espírito, que está sobre ti, e as minhas palavras, que pus na tua boca, não se desviarão da tua boca nem da boca da tua descendência, nem da boca da descendência da tua descendência, diz o SENHOR, desde agora e para todo o sempre”.
João 10.35 nos fala: “a Escritura não pode ser anulada”.
Esses versículos demonstram que Deus não deixou Sua Igreja, por séculos, sem uma cópia autorizada de Sua Palavra, mas que o povo de Deus através dos séculos copiou e recopiou fielmente manuscritos a partir dos autógrafos originais. A Igreja por todo o mundo tem usado o Texto Tradicional em todas as suas variadas formas, e Deus tem considerado apropriado multiplicar uma infinidade de cópias e, assim, levar a salvação a muitas gerações, através de Seu processo de preservação. Esta doutrina da preservação proveidencial é declarada sucintamente na Confissão de fé de Westminster, capítulo 1, parágrafo VIII:

“O Velho Testamento em Hebraico (língua vulgar do antigo povo de Deus) e o Novo Testamento em Grego (a língua mais geralmente conhecida entre as nações no tempo em que ele foi escrito), sendo inspirados imediatamente por Deus e pelo seu singular cuidado e providênciaconservados puros em todos os séculos, são por isso autênticos e assim em todas as controvérsias religiosas a Igreja deve apelar para eles...”

Esta preciosa doutrina da preservação providencial tem sido totalmente esquecida pelos estudiosos de texto modernos. Muitos deles tratam a Palavra de Deus como um outro livro qualquer, que pode ser submetido aos caprichos e às normas de alteração dos métodos científicos modernos. Muitas das formas destrutivas da alta crítica do século XIX advêm de uma falha na crença de que a Bíblia é um livro sobrenatural. A Bíblia tem as marcas de inspiração que podem ser claramente vistas pelos olhos dos que crêem, mas que, também, podem ser esmagadas sob os pés dos homens que marcham apressadamente para a destruição. Porém, apesar disso tudo, Deus tem levantado Seu povo, que ama e cuida de Sua Palavra e reconhece as marcas de inspiração que os primeiros crentes reconheceram, e que essas cópias, manuseadas através dos anos representam bem o que Deus queria que fosse conhecido. Isso não significa que qualquer edição impressa do Novo Testamento em grego, em particular, seja perfeita, mas, sim, que o Novo Testamento que temos hoje é essencialmente o mesmo que os que já passaram, através dos anos, através dos vários grupos de crentes que amaram e guardaram a Sua Palavra.

A força dessa preservação no Antigo Testamento é vista na qualidade do escriba que copiou o Antigo Testamento hebraico. No Novo Testamento, isso é percebido na abundância de manuscritos que possuímos hoje em dia. Este tem sido o método de Deus para manter Sua Palavra pura. Essa preservação estabelece que nenhum texto local, como o de Alexandria, Egito, poderia se tornar o texto dominante. O liberalismo e a descrença desafiaram esse processo de preservação. Nunca ficou provado que esses poucos manuscritos alexandrinos tenham jamais existido fora de Alexandria, no Egito. Muitos dos filhos de Deus, ao redor do mundo, rejeitaram o Texto Crítico em todas as suas formas. A aplicação prática da preservação providencial é que o crente contemporâneo deve escolher um texto moderno reconstruído, baseado essencialmente sobre dois manuscritos do século IV, que omite a deidade de Cristo em muitos lugares e que, estima-se, deixa de lado aproximadamente 200 versículos (o equivalente a 1 e 2 Pedro); ou escolher um texto que Deus tem usado através dos séculos. Vamos usar o texto que Deus abençoou e que melhor honra e glorifica o Senhor Jesus, ou não?

As edições impressas do Novo Testamento grego que foram publicadas entre 1500 e 1600 foram produzidas por homens que entendiam o que significava a glória de Deus e a importância de se ter cópias exatas da Bíblia. Da obra conhecida como Poliglota Complutensiana até as várias edições de Erasmo, as quatro edições de Robert Stephens (dentre as quais, a mais conhecida é a de 1550, que é a base do que chamamos de Berry Interlinear ou “the Englishman’s Greek New Testament”), a obra do grande crítico Teodoro de Beza (em suas cinco edições), as edições dos Elzevires (em 1624 e em 1633) e, por último, o trabalho de F. H. A. Scrivener (nas décadas de 1870 e 1880), temos conhecimento da crítica textual e a mais fiel e cuidadosa atitude com relação aos manuscritos que se pode imaginar. O Texto Tradicional do Novo Testamento foi o texto do período da Reforma, tanto que, seja no trabalho de Erasmo ou no de Stephen, na própria tradução de Lutero ou naquela dos herdeiros da Reforma, tais como os clérigos de Westminster e os tradutores da Versão Autorizada em inglês, este texto tem sido largamente usado e tremendamente abençoado por Deus. [acima]

A responsabilidade dos crentes hoje
O crítico textual J. Harold Greenlee diz: “A crítica textual do Novo Testamento é, portanto, o estudo bíblico básico, um pré-requisito para todo o outro trabalho bíblico e teológico”. 2 Isso não é dar importância exagerada a este assunto. Como crentes, temos a responsabilidade em nossos dias e era de proclamar o Evangelho, o Evangelho puro, o Evangelho não diluído. Também temos o direito e o privilégio de sermos os próximos na linha sucessória da proteção e da proclamação da Palavra de Deus. Cada cristão, individualmente, decidirá a respeito desse assunto, sobre qual texto é o correto. Evidentemente, esta decisão será feita, consciente ou inconscientemente, por todo crente, individualmente. Esta decisão é tomada quando o crente decide qual edição da Bíblia usará para ler e estudar; e, caso escolha uma tradução baseada em manuscritos corruptos, que refletem pontos de vista que omitem a deidade de Cristo, a expiação por Seu sangue, Seu nascimento virginal, então a decisão é de estender esse erro à próxima geração. Se, entretanto, o cristão de hoje escolhe uma tradução da Palavra de Deus que é feita a partir do texto tradicional do Novo Testamento, a decisão é no sentido de ver Deus trabalhando através de Sua providência para o fornecimento de Sua Palavra em sua forma completa, não só para esta geração, mas também para as que virão. [acima]
Uma bibliografia de suporte ao texto tradicional do Novo Testamento
“The Ancient Manuscripts of the New Testament” – Quaterly Record (Londres, Inglaterra: The Trinitarian Bible Society – nº 510, janeiro-março de 1990).

ANDERSON, G. W. e ANDERSON, D. E. – A Textual Key to the New Testament (Londres, Inglaterra: The Trinitarian Bible Society, 1992).

“The Authenticity of the Last Twelve Verses of the Gospel according to Mark demonstrated by the evidence of the ancient manuscripts” – Artigo nº 16 (Londres, Inglaterra: The Trinitarian Bible Society – s/data).

“The Authorised Version: What today’s Christian needs to know about the AV” – Artigo nº 75 (Londres, Inglaterra: The Trinitarian Bible Society – s/data).

BURGON, John William – The Causes of Corruption of the Traditional Text of the Holy Gospels (Londres, Inglaterra: George Bell & Sons, 1896).

____________________. – The Last Twelve Verses of the Gospel According to S. Mark (Oxford, Inglaterra: J. Parker Co., 1871).

____________________. – The Revision Revised (Fort Worth, TX, USA: A. G. Hobbs Publications, 1983).

____________________. – The Traditionsl Text of the Holy Gospels (Londres, Inglaterra: George Bell & Sons, 1896).

CLARK, Gordon H. – Logical Cristicisms of Textual Criticism (Jefferson, MD, USA: The Trinity Foundation, 1986).

DABNEY, Robert L. – “The Doctrinal Various Readings of the New Testament Greek”, in Discussions of Robert Lewis Dabney – volume 1 (Carlisle, PA, USA: The Banner of Truth Trust, 1967).

____________________. – The Revised Version of the New Testament”, in Discussions of Robert Lewis Dabney – volume 1 (Carlisle, PA, USA: The Banner of Truth Trust, 1967).

“The English Bible: Its Origin, Preservation and Blessing” – Artigo nº 101 (Londres, Inglaterra: The Trinitarian Bible Society, s/data).

FULLER, David Otis – Counterfeit or Genuine (Grand Rapids, MI, USA: Grand Rapids International Publications, 1978).

____________________. – True or False (Grand Rapids, MI, USA: Grand Rapids International Publitacions, 1983).

____________________. – Which Bible? (Grand Rapids, MI, USA: Grand Rapids International Publications, 1970).

“God was Manifested in the Flesh” – Artigo nº 103 (Londres, Inglaterra: The Trinitarian Bible Society, s/data).

HILLS, Edward Freer – The King James Version Defended (DesMoines, IO, USA: The Christian Research Press, 1984).

“The New International Version: What today’s Christian needs to know about the NIV” – Artigo nº 74 (Londres, Inglaterra: The Trinitarian Bible Society, s/data).

“The New Testament, the Greek Text Underlying the English Authorised Version of 1611 (Textus Receptus) (Londres, Inglaterra: The Trinitarian Bible Society, s/data).

PICKERING, Wilbur N. – The Identity of the New Testament Text (Nashville, TN, USA: Thomas Nelson Publishers, 1977).

SCRIVENER, F. H. A. – The Authorised Edition of the English Bible (1611): Its Subsequent Reprints and Modern Respresentatives (Cambridge, Inglaterra: The University Press, 1884).

____________________. – A Plain Introduction to the Criticism of the New Testament for the Use of Biblical Students – terceira edição (Cambridge, Inglaterra: Deighton, Bell & Co., 1883).

STURZ, Harry A. – The Byzantine Text-Type and New Testament Textual Criticism (Nashville, TN, USA: Thomas Nelson Publishers, 1984).

van BRUGGEN, Jakob – The Andicent Text of the New Testament (Winnipeg, Ontário, Canadá: Premier, 1976).

____________________. – The Future of the Bible (Nashville, TN,USA: Thomas Nelson Publishers, 1978).

“What is Wrong With the Modern Versions of the Holy Scriptures?” – Artigo nº 41 (Londres, Inglaterra: The Trinitarian Bible Society, s/data).

“Why John 5 vs. 7-8 is in the Bible” – Artigo nº 102 (Londres, Inglaterra: The Trinitarian Bible Society, s/data).

WISSE, Frederik – The Profile Method for Classifying and Evaluating Manuscript Evidence (Grand Rapids, MI, USA: William B. Eeerdmans Publishing Co., 1982).

“The Word of God Among All Nations: An Introduction to the Society’s Principles” (Londres, Inglaterra: The Trinitarian Bible Society, s/da. [acima]

Notas de fim
1 Ver “The Great Omission” – The Quarterly Record (Londres, Inglaterra: The Trinitarian Bible Society – nº 524 – julho-setembro de 1993).

2 GREENLEE, J. Harold – Introduction to New Testament Textual Criticism (Grand Rapids, MI, USA: William B. Eerdmans Publishing Co., 1964), p. 17.

http://www.biblias.com.br

ensinosdoeterno.blogspot.com

0 comentários
Enganação do Anticristo: Magia Branca Sendo Praticada na Igreja Cristã

A estratégia final de Satanás de trazer o engano total sobre a humanidade não seria possível sem a invasão bem sucedida das igrejas evangélicas, especialmente das pentecostais e carismáticas, com a feitiçaria de Magia Branca, muito bem disfarçada, é claro, para se parecer com o cristianismo. Essas igrejas parecem ser cristãs, mas não têm a teologia cristã.

O mundo está prestes a presenciar a mentira final de Satanás e de suas coortes, que trabalham para trazer a enganação a todo o mundo. Uma trindade profana, em que o Diabo posa como Deus, com seu falso Cristo e uma falsa unção espiritual, produzirá uma mentira tão cativante e impressionante que os próprios eleitos se chocarão com assombro. Essa mentira final deverá ser o plano mais grandioso que Satanás já criou; será sua obra-prima de todos os tempos.

O apóstolo Paulo falou sobre essa mentira e nos alertou sobre o mistério da iniqüidade que há de vir. Juntamente com a descrição da excessiva iniqüidade dos últimos tempos, ele também menciona a "remoção daquele que o detém" para que essa mentira possa ser materializada e atingir as alturas. Leia as palavras do apóstolo Paulo atentamente.

"E agora vós sabeis o que o detém, para que a seu próprio tempo seja manifestado. Porque já o mistério da injustiça opera; somente há um que agora resiste até que do meio seja tirado; e então será revelado o iníquo, a quem o Senhor desfará pelo assopro da sua boca, e aniquilará pelo esplendor da sua vinda; a esse cuja vinda é segundo a eficácia de Satanás, com todo o poder, e sinais e prodígios de mentira, e com todo o engano da injustiça para os que perecem, porque não receberam o amor da verdade para se salvarem. E por isso Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiam a mentira; para que sejam julgados todos os que não creram a verdade, antes tiveram prazer na iniqüidade." [2 Tessalonicenses 2:6-11].

O Mestre Dessa Mentira

É muito importante que entendamos quem é o mestre dessa mentira. O Anticristo é chamado de mistério da iniqüidade, mas o texto declara claramente que a vinda dele será "segundo a eficácia de Satanás"; ele é um projeto de Satanás no sentido similar que o Messias, o Cristo, era o Filho amado de Deus. Em outras palavras, Satanás está prestes a produzir o "falso Cristo" (Mateus 24:24) usando sua "falsa unção", resultando, assim, na maior mentira da história da humanidade. Satanás é um imitador e essa será sua imitação final. Um deus impostor e um Cristo impostor acompanhado por um Falso Profeta disfarçado, deixarão o mundo mesmerizado.

O disfarce de Satanás em sua mentira final será acompanhado por milagres incríveis. O apóstolo Paulo disse que a vinda do Anticristo será "com todo o poder, e sinais e prodígios de mentira". Satanás é uma criatura tão poderosa que é capaz de produzir acontecimentos paranormais que convencerão completamente os incautos. Observe que Paulo definiu as atividades do Maligno como "prodígios de mentira". Isso descreve claramente todos os assim chamados milagres de Satanás; eles não são sobrenaturais, mas paranormais. Somente Deus é sobrenatural (que ultrapassa o natural; que não é atribuído à natureza — Novo Dicionário Aurélio), mas Satanás pode apenas fabricar o paranormal (Definição do Novo Dicionário Aurélio: Diz-se de pessoa a quem se atribuem grau de experiência e ações incomuns, fora do ordinário da capacidade humana de sentir e fazer; que está fora dos limites da experiência normal ou dos fenômenos explicáveis cientificamente). As atividades de Satanás não são nada além de truques brilhantes e mentiras disfarçadas que enganam. Elas parecem ser sobrenaturais, mas sob cuidadosa investigação, não são nada além de mentiras enganosas. Sim, esses truques terão de parecer sobrenaturais, mas na verdade são distorções da realidade.

A Mentira

"E por isso Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiam a mentira." [2 Tessalonicenses 2:11].

Essa será a mentira que enganará a todo o mundo. Enquanto Satanás é o "Pai da Mentira" e todo engano origina nele, essa mentira, entretanto, vai mais além. Satanás está arquitetando uma mentira inigualável que continuará a crescer e predominar continuamente até o ponto de substituir o Deus da Bíblia. Ela também substituirá toda a dependência na absoluta verdade bíblica como nós atualmente a conhecemos por uma nova teologia ocultista. Jesus Cristo será pregado e apresentado como o mesmo Jesus histórico, mas com um "novo paradigma" de compreensão. A ação do Espírito Santo sofrerá uma reinterpretação tão radical que haverá apenas uma vaga similaridade com a real.

Magia Branca na Igreja

Acredito que a falsa unção espiritual que agora está sendo manifestada em todo o mundo é o primeiro passo para produzir essa mentira final. Quando você olha atentamente para essa falsa unção espiritual que está permeando as igrejas carismáticas, renovadas ou pentecostais, torna-se bem claro que não é nada mais do que Magia Branca vestida em um traje "cristão". Nas Escrituras, vemos Satanás usando Magia Branca, isto é, usando seu poder para "beneficiar" a humanidade. Esse tem sido um truque inteligente e uma tática enganosa do inimigo da justiça. Satanás esconde-se atrás da diferença entre a Magia Negra e a Magia Branca. Ao produzir duas expressões de sua natureza maligna, grande parte do mundo nunca vê a presença satânica nas várias expressões e manifestações da Magia Branca. Como se diz freqüentemente, "A Magia Branca é o lado bonito do mal." Um feiticeiro irá argumentar com você até o fim dizendo que a Magia Branca praticada por ele não tem nada que ver com Satanás — ele insistirá que serve a Lúcifer. A verdade é que a Magia Branca é bonita apenas para aqueles que são enganados; infelizmente, muitas dessas pessoas nunca se conscientizarão antes do Julgamento do Trono Branco, que estavam servindo a Satanás o tempo todo.

Veja o esforço de Satanás para tentar enganar Jesus Cristo durante os quarenta dias de jejum no deserto:

"Então o diabo o transportou à cidade santa, e colocou-o sobre o pináculo do templo, e disse-lhe: Se tu és o Filho de Deus, lança-te de aqui abaixo; porque está escrito: Que aos seus anjos dará ordens a teu respeito, E tomar-te-ão nas mãos, para que nunca tropeces em alguma pedra. Disse-lhe Jesus: Também está escrito: Não tentarás o Senhor teu Deus. Novamente o transportou o diabo a um monte muito alto; e mostrou-lhe todos os reinos do mundo, e a glória deles. E disse-lhe: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares. Então disse-lhe Jesus: Vai-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás. Então o diabo o deixou; e, eis que chegaram os anjos, e o serviam." [Mateus 4:5-11].

As Escrituras dizem que Jesus esteve no deserto por quarenta dias [Marcos 1:12-13], e que o Diabo o deixou no deserto depois de tentá-lo [Mateus 4:11], e que Jesus retornou do deserto pelo poder do Espírito Santo [Lucas 4:14]. Sim, Satanás tentou Jesus do pináculo do templo e de uma montanha extremamente alta durante os mesmos quarenta dias. Aí não deve haver muita dúvida que o Diabo usou seus poderes paranormais (Magia Branca) para procurar, em um esforço malsucedido, enganar o Filho de Deus. De que outra maneira poderia Satanás mostrar e oferecer a Jesus Cristo os reinos do mundo se este se prostrasse e o adorasse?

Filipe, o evangelista, se deparou com a Magia Branca em Atos 8. Simão, o Mágico, estava aparentemente experimentando um reavivamento da religião na cidade de Samaria. Lucas, o autor do livro, nos conta tudo a respeito de Simão:

"E estava ali um certo homem, chamado Simão, que anteriormente exercera naquela cidade a arte mágica, e tinha iludido o povo de Samaria, dizendo que era uma grande personagem; ao qual todos atendiam, desde o menor até ao maior, dizendo: Este é a grande virtude de Deus. E atendiam-no, porque já desde muito tempo os havia iludido com artes mágicas." [Atos 8:9-11].

A reputação de Simão na cidade era, "Este homem é a grande virtude de Deus." Por acaso isto não soa incrivelmente familiar à atual legião de novos carismáticos?

Magia Branca no Antigo Testamento

O Antigo Testamento possui muitos exemplos de diferentes expressões da magia branca. Moisés enfrentou esses poderes face a face quando tratou com o Faraó do Egito. Os magos da corte de Faraó eram capazes de fazer aparecer serpentes com seus encantamentos.

"E Faraó também chamou os sábios e encantadores; e os magos do Egito fizeram também o mesmo com os seus encantamentos. Porque cada um lançou sua vara, e tornaram-se em serpentes; mas a vara de Arão tragou as varas deles." [Êxodo 7:11-12].

Em cada caso, a verdade do poder sobrenatural de Deus foi rápida para julgar e consumir o substituto do Diabo. Tudo o que Deus precisava era Seu homem estar cheio do poder do Seu Onipotente Espírito Santo para realizar o ato de julgamento sobre o praticante de magia branca.

Os dois filhos de Arão tentaram suas habilidades em usar a Magia Branca no tabernáculo de Israel logo após Deus instituir o sacerdócio levítico:

E os filhos de Arão, Nadabe e Abiú, tomaram cada um o seu incensário e puseram neles fogo, e colocaram incenso sobre ele, e ofereceram fogo estranho perante o SENHOR, o que não lhes ordenara. Então saiu fogo de diante do SENHOR e os consumiu; e morreram perante o SENHOR. E disse Moisés a Arão: Isto é o que o SENHOR falou, dizendo: Serei santificado naqueles que se chegarem a mim, e serei glorificado diante de todo o povo. Porém Arão calou-se. E Moisés chamou a Misael e a Elzafã, filhos de Uziel, tio de Arão, e disse-lhes: Chegai, levai a vossos irmãos de diante do santuário, para fora do arraial. Então chegaram, e os levaram nas suas túnicas para fora do arraial, como Moisés lhes dissera. E Moisés disse a Arão, e a seus filhos Eleazar e Itamar: Não descobrireis as vossas cabeças, nem rasgareis vossas vestes, para que não morrais, nem venha grande indignação sobre toda a congregação; mas vossos irmãos, toda a casa de Israel, lamentem este incêndio que o SENHOR acendeu. Nem saireis da porta da tenda da congregação, para que não morrais; porque está sobre vós o azeite da unção do SENHOR. E fizeram conforme à palavra de Moisés." [Levítico 10:1-7].

A idéia dos filhos de Arão — dois sacerdotes ungidos de Deus — de usar o substituto de Satanás diante do altar de Deus Jeová foi uma blasfêmia gravíssima e recebeu imediatamente o julgamento de morte da parte de Deus. Fogo do Senhor os devorou. Moisés não permitiu que o pai deles, Arão, e seus irmãos pranteassem os mortos. Eles não puderam nem mesmo deixar o Tabernáculo de Deus para assistir ao enterro. Meus amigos, é algo muito sério chamar a magia branca de obra do Espírito Santo! Quando você vir Kenneth Hagin, Kenneth Copeland e Benny Hinn atuando com o poder oculto e ensinando doutrinas ocultistas, com aparência de cristianismo, pode ver o perigo crucial em que estão colocando suas próprias almas!

A Magia Branca Transforma os Ministros de Satanás

É terrivelmente desalentador reconhecer que Satanás pode transformar a si mesmo e seus ministros em pessoas poderosas de notável carisma. Não estamos lidando com uma salinha de fundo cheia de fumaça, com uma bruxa e seu caldeirão, ou algum truque de mágico. A Magia Negra sempre se apresentou como a parte feia que Satanás usa para pintar uma imagem da maneira como quer ser visto. Assim, ele se disfarça com seu lado "bonito" para poder iludir e, então, condenar as multidões. A Magia Branca tem muitas formas, mas as falsas religiões são sua principal expressão. De Caim, o filho de Adão e Eva, a Nimrode, o neto de Noé, você pode traçar uma linha da Magia Branca direto até a Nova Era do mundo moderno.

Devemos entender que o paganismo tornou-se a corrente dominante na sociedade ocidental. A mentira final de Satanás deve tomar o "lado bonito do mal", combiná-lo com toda a profundidade dos poderes mágicos e, então, transformá-los na teologia das igrejas evangélicas apóstatas. O catolicismo fez exatamente isso no início do terceiro e quarto século. Eles ainda estão ensinando essas doutrinas sincretizadas. É por isso que proclamam "milagres" aos milhares, aparições de "santos" mortos, água benta que supostamente espanta os espíritos malignos, hóstia que "sangra" com o próprio sangue de Jesus, imagens que choram, etc. Esse mesmo espírito pagão está invadindo o mundo evangélico e pentecostal apóstata.

O apóstolo Paulo nos alertou sobre essa invasão da magia:

"Porque tais falsos apóstolos são obreiros fraudulentos, transfigurando-se em apóstolos de Cristo. E não é maravilha, porque o próprio Satanás se transfigura em anjo de luz. Não é muito, pois, que os seus ministros se transfigurem em ministros da justiça; o fim dos quais será conforme as suas obras." [2 Coríntios 11:13-15].

Atividades Paranormais Atribuídas a Deus

Muitos eventos de Magia Branca praticados nas igrejas carismáticas, pentecostais e renovadas são agora falsamente chamados de "sinais e maravilhas" do Pai Celeste. Estamos documentando alguns comportamentos insanos que estão sendo chamados de derramamentos e manifestações do Espírito Santo. Milhões de pessoas estão aceitando essas atividades. Nós, batistas, simplesmente não podemos acreditar que uma pessoa obviamente debaixo do controle de hordas demoníacas seja aplaudida pelos pastores carismáticos, suas mulheres, e outros membros da igreja, e cada pessoa presente creia que está testemunhando uma manifestação do Espírito Santo. Que blasfêmia! Que inacreditável enganação espiritual! Todavia, esse é exatamente o mesmo engano inerente do Anticristo; esse tipo de espírito enganoso é a razão pela qual as pessoas do mundo admirarão o Anticristo [Apocalipse 13:3].

Tememos que esses carismáticos iludidos serão aqueles a quem será dado a "grande ilusão" ao ponto que não poderão mais crer na verdade bíblica. Veja:

"A esse cuja vinda é segundo a eficácia de Satanás, com todo o poder, e sinais e prodígios de mentira, e com todo o engano da injustiça para os que perecem, porque não receberam o amor da verdade para se salvarem. E por isso Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiam a mentira; para que sejam julgados todos os que não creram a verdade, antes tiveram prazer na iniqüidade." [2 Tessalonicenses 2:9-12].

Veja novamente o alerta pertinente: "E por isso Deus lhes enviará a operação do erro, para que creiam a mentira; para que sejam julgados todos os que não creram a verdade, antes tiveram prazer na iniqüidade."

Da mesma forma, essas pobres e iludidas pessoas mostradas nos vários vídeos "Signs and Wonders" (Sinais e Maravilhas) sentem prazer em participar da impiedade inerente da Magia Branca que estão praticando. Se continuarem em tais práticas, Deus enviará sobre elas a "operação do erro" para crerem na mentira do Anticristo tão completamente que nunca mais verão a verdade para serem salvas!

"Antes, exortai-vos uns aos outros todos os dias, durante o tempo que se chama Hoje, para que nenhum de vós se endureça pelo engano do pecado... Enquanto se diz: Hoje, se ouvirdes a sua voz, não endureçais os vossos corações, como na provocação." [Hebreus 3:13-15].

Não fique bravo conosco simplesmente por dizermos a verdade; ao invés disso, abra seus olhos espirituais para essa verdade, para que possa se afastar do erro e ser salvo eternamente.

Essa grande enganação verdadeiramente é o firme sinal de que estamos no fim dos tempos.

A infalível Palavra de Deus, não estragada pelas falsas interpretações humanas — obedecida e amada — é a âncora da fé. Tome cuidado para que sua âncora esteja firme e segura na rocha, que é Jesus Cristo.

Fonte: A Espada do Espírito: http://www.espada.eti.br/

A BIBLIA FALA DE UM GRANDE TERREMOTO MUNDIAL, SERÁ QUE ESTAMOS NOS APROXIMANDO DELE?

0 comentários
Desde 1999, nota-se um aumento significativo na frequência de terremotos acima de 6 graus.
Este aumento brutal faz eco nos antigos registros religiosos quando referiam que "terremotos irão ocorrer em vários lugares" á medida que a Humanidade se aproxima do ciclo final. São as transformações em curso.

Terremotos e as profecias bíblicas

"Haverá grandes terremotos por várias partes, fomes e pestes" (Lc 21,11)

"e haverá terremotos em diversos lugares, e fome. Isto será o princípio das dores." (Mc 13,8)

"Depois disso, o anjo tomou o turíbulo, encheu-o de brasas do altar e lançou-o por terra; e houve trovões, vozes, relâmpagos e terremotos." (Ap 8,5)

"Houve, então, relâmpagos, vozes e trovões, assim como um terremoto tão grande como jamais houve desde que há homens na terra." (Ap 16,18)

"Haverá sinais no sol, na lua e nas estrelas. Na terra a aflição e a angústia apoderar-se-ão das nações pelo bramido do mar e das ondas. Os homens definharão de medo, na expectativa dos males que devem sobrevir a toda a terra." (Lc 21,25-26)
A idéia propagada por muito tempo de um Brasil essencialmente estável, livre da ocorrência de terremotos é errônea. A sismicidade brasileira é modesta se comparada a da região andina, mas é significativa porque aqui já ocorreram vários tremores com magnitude acima de 5,0 indicando que o risco sísmico em nosso país não pode ser simplesmente ignorado.
Dezenas de relatos históricos sobre abalos de terra sentidos em diferentes pontos do país e eventos como o do Ceará (1980/mb=5.2) e a atividade de João Câmara,RN (1986/mb=5.1) mostram que os sismos podem trazer danos materiais, ocasionar transtornos à população e chegar, em alguns casos, a levar pânico incontrolável às pessoas.

Afortunadamente, tremores maiores como o de Mato Grosso (1955/mb=6.6), litoral do Espirito Santo (1955/mb=6.3) e Amazonas (1983/mb=5.5) ocorreram em áreas desabitadas.

Mas os terremotos podem surgir a qualquer momento e em qualquer lugar. Assim, não é impossível que algum dia um sismo de conseqüências graves acabe por atingir uma cidade brasileira. A sismologia ainda não consegue predizer com sucesso os terremotos, eles podem acontecer a qualquer hora e lugar.

ensinosdoeterno.blogspot.com

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Secretário de Saúde de Porto Alegre é assassinado a tiros

0 comentários
Eliseu Santos foi baleado ao deixar um culto religioso.
Ele foi morto na frente da mulher e da filha de 6 anos.
O secretário da Saúde de Porto Alegre, Eliseu Santos, de 63 anos, foi morto na noite desta sexta-feira (26), no Bairro Floresta, na Zona Norte da capital gaúcha. Segundo a polícia, ele foi baleado várias vezes ao deixar um culto religioso, pouco depois das 21h.

De acordo com o tenente Luís, do Centro Integrado Ostensivo de Segurança Pública (Ciosp), o secretário foi morto dentro de seu carro após quatro homens terem se aproximado do veículo e, ao menos um deles, disparar algumas vezes. Segundo a polícia, Eliseu teria sido atingido três vezes no peito.

A assessoria da Secretaria Estadual de Saúde informou que Eliseu Santos foi morto na frente da mulher e da filha de 6 anos. Embora estivessem no mesmo carro, elas não foram atingidas pelos disparos.

Na versão da assessoria, porém, Eliseu Santos foi baleado quatro vezes: na perna direita, cabeça e duas vezes no peito.
Reação
A assessoria informou ainda que Eliseu Santos estava armado com uma pistola 380 e reagiu, disparando contra os agressores. A polícia confirmou que o secretário também atirou, mas não soube informar quantos tiros ele disparou tampouco qual tipo de arma ele usou.

Testemunhas disseram à Polícia Civil que entre seis e dez tiros foram disparados. A equipe de peritos não se manifestou.

Segundo a assessoria da secretaria estadual de Saúde, Eliseu Santos andava armado porque vinha sendo ameaçado de morte.

A polícia ainda investiga as circunstâncias do crime, pois não há registro de que os agressores tenham levado algo de valor do secretário e de sua família. O grupo teria usado um Vectra para fugir do local.
Eliseu Felippe dos Santos é médico, formado na Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), em 1973. Foi vice-prefeito de Porto Alegre na primeira gestão de José Fogaça, entre 2005 e 2008. Em 2007, assumiu a Secretaria de Saúde de Porto Alegre.

Abatido, o prefeito José Fogaça disse que "é importante a investigação saber exatamente o que aconteceu".
G1

Desafio da Música Gospel: palco para novos talentos

0 comentários
Maior programa de incentivo a musica, estreia dia 06 de março na RedeTV!. Primeira gravação será neste sábado (27) e terá dueto inédito de Soraya Moraes e Chris Duran, jurados do programa.

O ‘Desafio da Música Gospel’ tem como objetivo principal incentivar e apresentar ao país a riqueza deste estilo, que leva milhares de pessoas a shows em todo o mundo. A estréia na TV será no dia 06 de março, mas a gravação do primeiro programa acontece neste sábado, dia 27 de fevereiro, às 15h30.

Um verdadeiro show gospel marcará a estreia com apresentações de Soraya Moraes, ganhadora quatro vezes do Grammy Latino, que fará um dueto inédito com Chris Duran, artista internacional que ficou estourou em 1998, e de lá pra cá já gravou sete discos. Os dois serão jurados do programa, ao lado do Genésio de Souza. Regis Danese, que já vendeu mais de um milhão de cópias de seu CD, e a banda Renascer Praise, com mais de 15 anos de estrada e 14 discos lançados também farão parte do espetáculo musical. Além disso, Conrado, o apresentador do reality, e Andréa Faria, repórter especial, estarão disponíveis para entrevistas.

Ao todo, serão 22 programas – sempre aos sábados às 13h30 – com uma hora de duração, em cinco meses de exibição. O grande vencedor ganhará um contrato com a Sony Music. A expectativa é de mais de 100 mil inscritos e o programa distribuirá R$ 5 milhões em prêmios. As inscrições podem ser feitas no site www.desafiodamusicagospel.com.br.

Fonte: MNiemeyer Assessoria de Comunicação

Arquidiocese do Rio de Janeiro processa estúdio por destruir o Cristo Redentor

0 comentários
Cena de “2012″ havia sido vetada, diz instituição.

A Columbia Pictures está sendo processada pela Arquidiocese do Rio de Janeiro por ter destruído o Cristo Redentor.

Segundo a Folha de S. Paulo, as imagens do monumento atingido pela hecatombe planetária no filme 2012 (presentes no filme e nos cartazes) foram, no entender da arquidiocese, usadas indevidamente. Embora seja um monumento público, a instituição tem poder de veto sobre o uso das imagens do Cristo.

Antes das filmagens, a Columbia consultou a arquidiocese, que vetou o uso das imagens. A reportagem diz que o processo começou em dezembro, depois que o filme foi lançado no Brasil, e prevê uma retratação pública por parte do estúdio.

Rodrigo Saturnino Braga, diretor-geral da Columbia no Brasil, confirmou que houve uma notificação e diz que advogados estão cuidando do caso em Los Angeles.

Fonte: Omelete / O Verbo

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Seqüestrando o cérebro — como funciona a pornografia

0 comentários
(Comentário de Albert Mohler) - Estamos rapidamente nos tornando a sociedade pornográfica. Durante o curso da última década, imagens explicitamente sexuais se infiltraram lentamente nos anúncios comerciais, no marketing e praticamente em todo vão da vida americana. Essa pornografia de ambiente está agora em quase todos os lugares, desde o shopping mall local ao horário nobre da televisão.

Pelos cálculos de alguns, a produção e venda de pornografia explícita agora representam a sétima maior indústria dos Estados Unidos. Novos vídeos e páginas de internet são produzidos a cada semana, com a revolução digital trazendo um grande número de novos sistemas de distribuição. Toda nova plataforma digital se torna uma oportunidade de marketing para a indústria pornográfica.

O que não é surpresa para ninguém é que a vasta maioria daqueles consumidores de pornografia são homens. Não é nenhum segredo de comércio que as imagens visuais, quer fotos ou vídeos, estimulam muito os homens. Isso não é nenhum avanço novo, conforme atestam antigas formas de pornografia. O que é novo é o acesso em toda parte. Os homens e meninos de hoje não estão olhando para quadros desenhados em paredes de cavernas. Eles têm acesso quase que instantâneo a inumeráveis formas de pornografia numa grande quantidade de formas.

Mas, enquanto a tecnologia tem trazido novos meios para a transmissão da pornografia, o conhecimento moderno também traz uma nova compreensão de como funciona a pornografia no cérebro masculino. Embora essa pesquisa não faça nada para reduzir a culpabilidade moral dos homens que são consumidores de pornografia, ajuda a explicar como o hábito acaba viciando tanto.

Como explica William M. Struthers da Faculdade Wheaton, “Os homens parecem ter sido feitos de tal maneira que a pornografia seqüestra o funcionamento adequado de seus cérebros e tem efeito de longo prazo em seus pensamentos e vidas”.

Struthers é um psicólogo com formação em neurociência e especialidade de ensino nas bases biológicas da conduta humana. No livro “Wired for Intimacy: How Pornography Hijacks the Male Brain” (Programado para a Intimidade: Como a Pornografia Seqüestra o Cérebro Masculino), Struthers apresenta percepções fundamentais da neurociência que fazem uma longa explicação do motivo por que a pornografia é uma tentação grande para a mente masculina.

“A explicação mais simples da razão por que os homens vêem pornografia (ou procuram prostitutas) é que eles são levados a procurar intimidade”, explica ele. O impulso para obter intimidade sexual foi dado por Deus e é essencial para os homens, reconhece ele, mas é facilmente mal direcionado. Os homens são tentados a buscar “um atalho para o prazer sexual por meio da pornografia” e agora acham que dá para se acessar esse atalho com facilidade.
Num mundo caído, a pornografia se torna mais do que uma distração e uma distorção da intenção de Deus para a sexualidade humana. Torna-se um veneno viciador.

Struthers explica:

Ver pornografia não é uma experiência emocional ou fisiologicamente neutra. É fundamentalmente diferente de olhar para fotos em preto e branco do Memorial Lincoln ou olhar um mapa colorido das províncias do Canadá. Os homens são reflexivamente atraídos para o conteúdo de material pornográfico. Como tal, a pornografia tem efeitos de grande repercussão para estimular um homem à intimidade. Não é um estímulo natural. Atrai-nos para dentro. A pornografia é indireta e voyeurística em sua essência, mas é também algo mais. A pornografia é uma promessa sussurrada. Promete mais sexo, melhor sexo, infinito sexo, sexo conforme os desejos, orgasmos mais intensos, experiências de transcendência.

A pornografia “atua como uma combinação de múltiplas drogas”, explica Struthers. Conforme afirma o Dr. Patrick Carnes, a pornografia é “um relacionamento patológico com experiência de alteração do humor”. O tédio e a curiosidade levam muitos meninos e homens a experiências que se tornam mais como vício de drogas do que muitas vezes se admite.

Por que os homens em vez das mulheres? Como explica Struthers, o cérebro da mulher e do homem são feitos de forma diferente. “O cérebro de um homem é um mosaico sexual influenciado por níveis de hormônio no útero e na puberdade e moldado por sua experiência psicológica”. Com o tempo, a exposição à pornografia leva um homem ou menino mais profundamente “numa super-estrada neurológica de mão única onde a vida mental de um homem é fica restrita a uma sexualização excessiva. Essa super-estrada tem inúmeros acessos de entrada, mas muito poucas saídas”.

A pornografia é “visualmente magnética” para o cérebro masculino. Struthers apresenta um exame fascinante da neurologia envolvida, com hormônios de prazer sendo conectados a e liberados pela experiência de um homem vendo imagens pornográficas. Essas experiências com pornografia e hormônios de prazer criam novos padrões na programação do cérebro, e experiências repetidas formalizam a programação.

E então, nunca acaba. “Se eu tomo a mesma dose de uma droga repetidas vezes e meu corpo começa a tolerá-la, precisarei tomar uma dose mais elevada da droga a fim de que tenha o mesmo efeito que tinha com uma dose mais baixa na primeira vez”, recorda-nos Struthers. Por isso, a experiência de ver pornografia e praticá-la cria uma necessidade no cérebro de mais e mais, só para alcançar o mesmo nível de prazer no cérebro.

Enquanto os homens são estimulados pelas imagens sexuais do ambiente ao redor deles, a pornografia explícita aumenta o efeito. Struthers compara isso à diferença entre a televisão tradicional e as novas tecnologias de alta definição. Tudo é mais claro, mais explícito e mais estimulante.

Struthers explica isso com força e persuasão:

Algo sobre a pornografia influencia e arrasta a alma masculina. A influência é fácil de identificar. A forma da mulher nua pode ser hipnotizante. A disposição de uma mulher de participar de um ato sexual e expor sua nudez é sedutora para os homens. A consciência da própria sexualidade, o desejo de saber, experimentar algo como bom brota do profundo lá de dentro. Uma imagem começa a ficar maior em importância quanto mais a olhamos, ganhando força máxima e podendo chegar a um ponto em que nos sentimos como se estivéssemos num caminhão sem freios descendo uma montanha.

“Wired for Intimacy” é um livro oportuno e importante. Struthers oferece perspectivas profundas e estratégicas da neurobiologia e psicologia. Mas o que torna este livro realmente útil é o fato de que Struthers não deixa seu argumento para a neurociência, nem usa a categoria de vício para suavizar a pecaminosidade de ver pornografia.

Os pecadores naturalmente procuram um jeito de esconder seu pecado, e a causa biológica é muitas vezes citada como meio de evitar responsabilidade moral. Struthers não permite isso, e sua perspectiva da pornografia tem base bíblica e teológica. Ele responsabiliza o pecado de ver pornografia naqueles que voluntariamente se tornam consumidores de imagens explícitas. Ele conhece sua audiência — afinal, suas aulas são cheias de estudantes universitários do sexo masculino. O viciado é responsável por seu vício.

Ao mesmo tempo, qualquer compreensão de como o pecado opera seu mal enganador é uma ajuda para nós, e entender como a pornografia atua na mente masculina é um conhecimento poderoso. A pornografia é um pecado que rouba Deus de sua glória no presente do sexo e sexualidade. Há muito sabemos que o pecado faz reféns. Conhecemos agora outra dimensão de como esse pecado seqüestra o cérebro masculino. Conhecimento, como dizem, é poder.

Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com

Incidente de cruz no espaço satânico da Academia da Força Aérea

0 comentários
COLORADO SPRINGS, Colorado, EUA, 4 de fevereiro de 2010 (Notícias Pró-Família) — A Academia da Força Aérea dos Estados Unidos em Colorado Springs estabeleceu um círculo pagão nas matas de seu campus com planos de dedicá-lo oficialmente em março. Contudo, o local gerou nova polêmica, pois os membros da Força Aérea revelaram que uma grande cruz de madeira foi encontrada no local, e alguns estão chamando a colocação da cruz como “crime de ódio”.
A população de pretensos pagãos é uma percentagem minúscula dos 4.000 cadetes da Academia. O sargento Brandon Longcrier disse para a Associated Press que ele tem de oito a dez cadetes que regularmente freqüentam as reuniões de segunda-feira, dos quais seis ou sete ele descreve como pagãos devotos. Um número adicional de 15 a 20 ele descreveu como interessados.
Embora os neo-pagãos afirmem ter uma conexão com as antigas religiões pagãs que outrora dominavam a Europa antes do surgimento do Cristianismo, seu reavivamento só começou no século XX, principalmente na época depois da 2ª Guerra Mundial. A Wicca — a religião da bruxaria moderna — decolou na Inglaterra na década de 1950 depois da revogação das leis contra a feitiçaria, antes de se propagar para outras partes do mundo de língua inglesa. Organizações neo-druidas também começaram a aparecer ao mesmo tempo em que as convulsões culturais da revolução sexual estavam ocorrendo no mundo ocidental
A Academia da Força Aérea defendeu sua política de abrir espaço para a bruxaria em seu campus como expressão de seu compromisso para com a liberdade de religião dos cadetes. No entanto, os críticos respondem que a medida representa mais uma rejeição da herança judaico-cristã dos Estados Unidos, e faz pouco sentido, considerando que os números dos reais neo-pagãos na Academia são minúsculos comparados com outros seguidores de religiões não cristãs, tais como o islamismo.
Mas o fato de que uma grande cruz de madeira foi colocada anonimamente no círculo neo-pagão varias semanas atrás provocou tumulto na Academia. O local pagão exibe dois círculos concêntricos de grandes pedras que foram instaladas num monte arborizado dentro do campus. O círculo está com data marcada de inauguração para 10 de março.
As autoridades da Academia da Força Aérea — que ainda não sabem quem colocou o símbolo cristão no local pagão — condenaram o ato, e estão investigando a questão como “crime de ódio”.
“Considero isso igual ao caso de alguém que fez pichações na Capela dos Cadetes”, disse em declaração preparada o superintendente da Academia, o tenente general Mike Gould.
Mikey Weinstein, fundador da Fundação de Liberdade Religiosa Militar e formado na Academia em 1977, foi o primeiro a divulgar o caso, dizendo que um de seus clientes havia encontrado a cruz feita de travessas de ferrovia no local. Ele comparou a presença da cruz no círculo pagão como o equivalente de uma suástica num centro judaico.
Mas Bill Donahue, presidente da Liga Católica, denunciou a reação das autoridades da Academia como “estereotipada” e declarou que eles estão indo longe demais ao tratar o incidente como “discurso de ódio”. Donahue declarou que se ele achasse outro símbolo religioso colocado num lugar católico, ele se queixaria. Entretanto, a comparação de Gould de que uma “cruz num lugar pagão equivale à pichação de uma igreja” lhe pareceu ofensiva, pois o superintendente da Academia “não viu diferença entre neutralizar um símbolo religioso e destruir propriedade religiosa”.
“Isso é mais do que destrutivo — é um brutal insulto para católicos e evangélicos”, disse o líder católico de direitos civis. Em vez de seguidores da Wicca e outros neo-pagãos sofrendo perseguição na Academia, Donahue disse que um relatório da Academia em 2005 revelou que os católicos e evangélicos é que estão se queixando oficialmente de sofrer intolerância religiosa.
“Esses comentários aumentam a atmosfera assustadora que católicos e evangélicos são obrigados a agüentar”, disse Donahue. Ele acrescentou que vai levar a questão aos membros da comissão das forças armadas da Câmara dos Deputados e do Senado, tal qual fez em 2005.
“Precisamos saber o motivo por que a hipersensibilidade aos não cristãos se transformou em insensibilidade para com os cristãos”.

Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com

Fonte: http://noticiasprofamilia.blogspot.com

Veja também este artigo original em inglês:

http://www.lifesitenews.com/ldn/2010/feb/10020411.html

Copyright © LifeSiteNews.com. Este texto está sob a licença de Creative Commons Attribution-No Derivatives. Você pode republicar este artigo ou partes dele sem solicitar permissão, contanto que o conteúdo não seja alterado e seja claramente atribuído a “Notícias Pró-Família”. Qualquer site que publique textos completos ou grandes partes de artigos de Notícias Pró-Família ou LifeSiteNews.com em português tem a obrigação adicional de incluir um link ativo para “NoticiasProFamilia.blogspot.com”. O link não é exigido para citações. A republicação de artigos de Notícias Pró-Família o LifeSiteNews.com que são originários de outras fontes está sujeita às condições dessas fontes.

Preocupação para o Brasil: Kaká está abatido

0 comentários
Na semana passada o Época de Copa mostrou que Kaká foi alvo de duras críticas da imprensa espanhola depois da derrota do Real Madrid para o Lyon, pela Liga dos Campeões da Europa. Neste domingo, o Real goleou o Villarreal por 6 a 2, pelo Campeonato Espanhol, Kaká marcou duas vezes, mas seu desânimo ficou claro.

Tanto em seu primeiro gol (o segundo do Real), marcado de pênalti no começo do jogo, quanto no segundo, após passe de Cristiano Ronaldo, Kaká celebrou de maneira discreta. Como de costume, ergueu os braços para agradecer a Deus, mas sua tristeza foi marcante.

É razoável concluir que as críticas da imprensa espanhola são a principal causa do abatimento do jogador. Kaká tem o apoio do treinador Manuel Pellegrini e o elenco do Real parece unido. Cristiano Ronaldo, que na teoria concorreria com o brasileiro pelo status de principal jogador do time, foi o primeiro a abraçá-lo nos dois gols. Além das comemorações, outro indício do desânimo de Kaká também pode ser percebido no Twitter. Figura carimbada entre os famosos no microblog, Kaká não atualiza seu perfil desde os dias que antecederam o tal jogo contra o Lyon.

Para Kaká, críticas duras são coisa rara. A última vez que ele foi atacado desta forma ocorreu quando ele ainda atuava no São Paulo. Criticado até pela torcida, o meia-atacante foi para o Milan, onde sempre foi adorado por torcedores e jornalistas. Na seleção brasileira, Kaká também não passou por coisa parecida. O fracasso de 2006 caiu na conta apenas de Carlos Alberto Parreira e dos baladeiros do elenco.

Hoje, Kaká é o principal jogador do Brasil e é justamente por isso que seu abatimento é preocupante para a seleção. Sem ele, é mínima a chance de o Brasil vencer a Copa do Mundo. O lado positivo de toda essa situação é que o próprio Kaká pode revertê-la. Para isso, precisa ignorar as críticas e se concentrar em ajudar o Real Madrid e a seleção brasileira.

Além de Kaká, os brasileiros Marcos Senna (naturalizado espanhol) e Nilmar marcaram gols no jogo de ontem. O primeiro acertou uma linda cobrança de falta e o segundo, que também deve ser convocado para a Copa do Mundo, fez lindo gol após tabela com o francês Robert Pires.

Fonte: Época

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

0 comentários

Irreverência homossexual: Elton John diz que Jesus Cristo foi ‘um gay superinteligente’

0 comentários
“Jesus Cristo foi um gay superinteligente”. Essa é a reflexão do cantor britânico Elton John, de 62 anos. Os comentários do músico, feitos durante uma entrevista que abordou temas como fama, amor, drogas e religião, foram publicados no site da revista americana Parade.

Elton John, ele próprio um homossexual, não lançou mão de eufemismos. “Eu acho que Jesus foi um homem gay compassivo e superinteligente que entendeu os problemas humanos”, afirmou o cantor.

O músico continua: “Na cruz, ele perdoou aqueles que o crucificaram. Jesus queria que amássemos e perdoássemos. Não sei o que deixa as pessoas tão cruéis. Experimente ser lésbica no Oriente Médio - é melhor estar morta”.

Na entrevista, Elton John também falou sobre David Furnish, seu parceiro de longa data. “Senti atração imediata por David. Ele estava muito bem vestido, muito tímido. Na noite seguinte, jantamos”, lembra. “Nós nos apaixonamos muito rápido”.

Segundo a BBC, um porta-voz da Igreja de Inglaterra já se manifestou sobre estas declarações polêmicas: A reflexão de Sir Elton John sobre o fato de Jesus nos pedir para amar e perdoar é partilhada por todos os cristãos, mas incursões sobre aspectos da pessoa histórica de Jesus devem ser deixadas para os acadêmicos”.

Elton John não foi a primeira estrela do mundo da música a proferir considerações não muito cristãs. Há 44 anos, John Lennon declarou que os Beatles eram mais populares que Jesus. No começo da década de 90, Madonna também causou polêmica ao beijar um santo no videoclipe da música “Like a Prayer”.

Fonte: Veja Online / Blitz

Esposa do televangelista Benny Hinn entra com pedido de divórcio

0 comentários
ORANGE, Calif. EUA — A esposa do televangelista Benny Hinn entrou com pedido de divórcio no Sul da Califórnia.

Suzanne Hinn entrou com documentos na Corte Suprema da Cidade de Orange em 1 de fevereiro, citando diferenças irreconciliáveis. O casal está casado há mais de 30 anos. Hinn dirige uma igreja e estúdio de televisão em Aliso Viejo.

Ele é um dos seis televangelistas sob investigação do senador Charles Grassley, republicano de Iowa.

Grassley enviou cartas para seis ministérios evangélicos, inclusive o de Hinn, em 2007, perguntando sobre gastos com aviões particulares, mansões a beira mar, omissões da diretoria e envolvimento em empreendimentos comerciais. Os ministérios negaram terem violado qualquer lei.
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com

Ore por Israel

0 comentários
As profecias da Bíblia estão se cumprindo. A ONU está contra Israel. Todas as nações estão se voltando contra Israel. O governo do Brasil é amigo dos inimigos de Israel e tem votado sistematicamente contra Israel no Conselho de Segurança da ONU. E os EUA, que sob Ronald Reagan tinham grande amizade com Israel, agora também se unem, sob Obama, em amizade aos inimgos de Israel.
Israel, uma pequenina nação cercada por enormes nações cheias de ódio contra os judeus, corre grande perigo.
Ore para que finalmente Israel se volte para o Deus de Abraão, Isaque e Jacó.
Faça jejum por Israel.
Ore diariamente por Israel.
Ore para que a paz e a justiça do Senhor prevaleçam em Israel e em Jerusaém, a eterna capital de Israel.
Ore para que Deus tenha misericórdia do Brasil, que tem grande aliança com os países que estão na linha de frente contra Israel.
Ore para que Deus levante líderes cristãos para denunciarem publicamente os rumos anti-Israel das políticas brasileiras.
A letra da música “Esta Terra É Minha”, composta por Pat Boone, tem a seguinte tradução em português:
Esta terra é minha, Deus deu esta terra para mim
Esta terra grande e antiga para mim
E quando o sol da manhã
Revelar suas montanhas e planícies
Então vejo uma terra
Onde crianças podem correr livres
Por isso, pegue minha mão caminhe comigo nesta terra de ouro
A terra plana e antiga comigo
Embora eu seja apenas um homem
Quando você está do meu lado
Com a ajuda de Deus
Sei que posso ser forte
Para tornar esta terra o nosso lar
Se for preciso lutar
Lutarei para tornar esta terra a nossa terra
Até a morte, esta terra é minha!

Julio Severo

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Pr. Silas Malafaia participará de debate no Programa do Ratinho (SBT) sobre a PL 122

0 comentários
A polêmica do PL 122/2006 será assunto em pauta no Programa Ratinho (SBT), no dia 24 de fevereiro, às 18h, quando o pastor Silas Malafaia e a ex-deputada Iara Bernardes, autora do projeto, debaterão sobre a possível aprovação dessa lei que sanciona como crime qualquer ação, opinião ou crítica que venha a ser interpretada como discriminação ou preconceito quanto ao homossexualismo.

Na oportunidade, o pastor Silas explicará as razões de a igreja evangélica se posicionar contra esse projeto de lei que, além de ferir a Constituição Federal, traz sérios prejuízos à célula mater da sociedade, a família, bem como às convicções religiosas. Não perca!

Fonte: Ministério Silas Malafaia
Loading...

Advertisement

 

Copyright 2008 All Rights Reserved Revolution Two Church theme by Brian Gardner Converted into Blogger Template by Bloganol dot com